An­tro­pó­lo­ga re­al­ça o pa­tri­mó­nio

Jornal de Angola - - CULTURA - Ma­nu­el Al­ba­no | São Pau­lo

A pre­ser­va­ção do pa­tri­mó­nio cul­tu­ral e ar­qui­tec­tó­ni­co na­ci­o­nal de­ve ser um de­sa­fio de to­dos os an­go­la­nos, co­mo de­fen­deu, on­tem, em São Pau­lo, Bra­sil, a an­tro­pó­lo­ga Ro­sa Kuim­bi­la, pa­ra quem ain­da é pre­ci­so um mai­or tra­ba­lho de di­vul­ga­ção des­ta “ri­que­za”, que tem tra­ços mui­to co­muns com os de cer­tos mo­nu­men­tos bra­si­lei­ros.

A an­tro­pó­lo­ga cha­ma a aten­ção, por is­so, pa­ra um mai­or tra­ba­lho de in­ves­ti­ga­ção, de for­ma a exis­tir um cru­za­men­to de in­for­ma­ções, ca­paz de dar mais de­ta­lhes so­bre qu­an­to da cul­tu­ra an­go­la­na foi le­va­da pe­lo trá­fi­co de es­cra­vos a ou­tros paí­ses.

Nu­ma vi­si­ta efec­tu­a­da, on­tem, ao Cen­tro His­tó­ri­co de São Pau­lo, pe­la de­le­ga­ção an­go­la­na que par­ti­ci­pa no Fes­ti­val de Li­te­ra­tu­ra (FES), Ro­sa Kuim­bi­la des­ta­cou o es­ta­do de pre­ser­va­ção de mui­to do pa­tri­mó­nio ar­qui­tec­tó­ni­co his­tó­ri­co da ci­da­de, co­mo o Edi­fí­cio Mar­ti­nel­li e o Te­a­tro Mu­ni­ci­pal, cu­jo nú­me­ro de vi­si­tas tor­na­ram­no num dos “car­tões pos­tais” de São Pau­lo.

“É pre­ci­so um mai­or re­for­ço nas po­lí­ti­cas de pre­ser­va­ção dos bens pa­tri­mo­ni­ais na­ci­o­nais, as­sim co­mo é ur­gen­te a im­ple­men­ta­ção de pro­gra­mas pa­ra a re­qua­li­fi­ca­ção dos lo­cais e mo­nu­men­tos his­tó­ri­cos, não ape­nas no Cen­tro His­tó­ri­co de Lu­an­da, ou o ca­das­tra­men­to das fi­gu­ras his­tó­ri­cas e a in­ves­ti­ga­ção das res­pec­ti­vas bi­o­gra­fi­as”, dis­se.

Pa­ra o ho­te­lei­ro Fran­cis­co Pau­li­no, ou­tro dos mem­bros da de­le­ga­ção an­go­la­na, é pos­sí­vel ti­rar mai­or pro­vei­to do acer­vo pa­tri­mo­ni­al de Lu­an­da, pa­ra in­cen­ti­var, tam­bém, o cres­ci­men­to do tu­ris­mo. “Mas pa­ra is­so é pre­ci­so ser fei­to o res­tau­ro de mui­tos dos bens pa­tri­mo­ni­ais.”

In­ter­câm­bio

O pro­fes­sor bra­si­lei­ro Ro­dri­go de Oliveira con­si­de­ra o in­ter­câm­bio com os cri­a­do­res an­go­la­nos uma opor­tu­ni­da­de úni­ca de apro­xi­ma­ção e for­ta­le­ci­men­to dos la­ços en­tre os po­vos, atra­vés das ar­tes e de­ba­tes, cu­jo te­or aju­da a co­nhe­cer me­lhor a ac­tu­al re­a­li­da­de de An­go­la. “É uma boa for­ma de que­brar mui­tos dos mi­tos e men­sa­gens dis­tor­ci­das so­bre o con­ti­nen­te afri­ca­no”, dis­se.

Pa­ra a pro­fes­so­ra de ar­te e pes­qui­sa­do­ra Mi­che­le Lom­ba o in­ter­câm­bio es­tá a per­mi­tir, aci­ma de tu­do, apren­der mais so­bre a cul­tu­ra afri­ca­na e ver os tra­ços co­muns com a afro-bra­si­lei­ra. “Já es­tou a pen­sar em re­gres­sar a An­go­la pa­ra fa­zer mais pes­qui­sas so­bre a di­ver­si­da­de cul­tu­ral”, con­tou.

A es­pe­ci­a­lis­ta em Mar­ke­ting Pes­so­al e pro­fes­so­ra de in­glês Ana de Oliveira des­ta­cou o pa­pel que pro­jec­tos in­cor­po­ra­ti­vos co­mo es­te po­dem ter, ten­do em con­ta a eco­no­mia cri­a­ti­va pa­ra sus­ten­ta­bi­li­da­de dos pro­gra­mas ar­tís­ti­cos.

Me­mó­ri­as

Com 108 anos co­me­mo­ra­dos em Se­tem­bro des­te ano, o Te­a­tro Mu­ni­ci­pal de São Pau­lo é um dos gran­des es­pa­ços cul­tu­rais da ci­da­de. Em 12 de Se­tem­bro de 1911, com a cé­le­bre ópe­ra “Ham­let”, do dra­ma­tur­go Am­bró­sio Tho­mas, o lo­cal foi inau­gu­ra­do e tor­nou-se, com o tem­po, num dos mais be­los da ci­da­de de São Pau­lo.

O Edi­fí­cio Mar­ti­nel­li é uma das re­fe­rên­ci­as do cen­tro de São Pau­lo. A an­ti­ga mo­ra­dia de Giu­sep­pe Mar­ti­nel­li, ti­da co­mo o “pri­mei­ro ar­ra­nha-céu” de São Pau­lo, já foi usa­do co­mo ho­tel, ci­ne­ma e bo­a­te. O pré­dio, ca­ri­nho­sa­men­te cha­ma­do pe­los pau­lis­ta­nos de Mar­ti­nel­li, com­ple­tou 90 anos em 2019.

DR

De­le­ga­ção an­go­la­na re­a­li­za vi­si­tas a lo­cais his­tó­ri­cos do Bra­sil

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.