De­poi­men­tos de fi­gu­ras ho­me­na­ge­a­das

Jornal de Angola - - POLÍTICA -

Ra­fa­el Mar­ques, ac­ti­vis­ta

“É uma cerimónia que mui­to nos hon­ra e que nos es­ti­mu­la a con­ti­nu­ar a lu­tar por um país me­lhor. Sin­to-me co­mo ci­da­dão que con­ti­nu­a­rá a fa­zer o seu tra­ba­lho pe­lo bem des­te país. Pen­so que es­te re­co­nhe­ci­men­to do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca é mais um es­tí­mu­lo pa­ra que con­ti­nu­e­mos a lu­tar pe­lo bem e pe­los an­go­la­nos e por um país me­lhor. É re­con­for­tan­te ter pas­sa­do de “ven­de pá­tria” a pa­tri­o­ta, mui­to por con­ta des­te re­co­nhe­ci­men­to do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca. Con­ti­nu­a­re­mos com o mes­mo empenho e com mai­or en­tu­si­as­mo, por­que a si­tu­a­ção eco­nó­mi­ca é crí­ti­ca e pre­ci­sa­mos mo­ra­li­zar os ser­vi­do­res pú­bli­cos pa­ra que fa­çam o seu tra­ba­lho, pa­ra que a po­pu­la­ção te­nha uma vi­da me­lhor e pos­sa­mos sair des­ta cri­se eco­nó­mi­ca com o empenho de to­dos e com mai­or pro­bi­da­de por par­te dos ges­to­res pú­bli­cos.”

Sou­sa Jam­ba, es­cri­tor

“Até ago­ra não es­tou a acre­di­tar, por­que coi­sas des­te gé­ne­ro não acon­te­cem pa­ra pes­so­as co­mo eu. Mas te­nho que acre­di­tar. Agra­de­cer ao PR por­que is­to de­mons­tra um es­pí­ri­to de in­clu­são. Em­bo­ra fi­lho da diáspora an­go­la­na, sem­pre me sen­ti li­ga­do ao meu país. Ul­ti­ma­men­te vi­vo em An­go­la, na Al­deia Ca­me­la Amões (Pla­nal­to Cen­tral). O meu tra­ba­lho co­mo jor­na­lis­ta e es­cri­tor es­tá pro­fun­da­men­te li­ga­do a es­te país. É re­con­for­tan­te ver ago­ra es­ta li­ga­ção re­co­nhe­ci­da pe­lo Es­ta­do. É um imen­so or­gu­lho pa­ra mim e tam­bém pa­ra a mi­nha fa­mí­lia. O meu ir­mão Ja­ka Jam­ba te­ve a mes­ma hon­ra. A mi­nha mãe, que in­fe­liz­men­te não es­tá cá pa­ra ver is­to, foi uma gran­de ins­pi­ra­ção, es­ti­mu­lar nes­te ca­mi­nho de con­tar a nos­sa His­tó­ria, es­ti­mu­lar o de­ba­te no país e con­tri­buir pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to da nos­sa Na­ção.”

Vin­de­va­la Sa­chi­que­pa, em­pre­en­de­dor

“É ma­ra­vi­lho­so o que es­tá a acon­te­cer. Da­qui pa­ra fren­te vou fa­zer me­lhor da­qui­lo que já te­nho fei­to den­tro das co­mu­ni­da­des, por­que es­te bem veio por­que es­tou a con­vi­ver com o po­vo e fa­zer boa ges­tão da­qui­lo que te­mos con­ce­bi­do den­tro do Go­ver­no. Nun­ca pen­sei ser ho­me­na­ge­a­do. Não sei o que Deus es­tá a fa­zer na vi­da dos nos­sos go­ver­nan­tes, prin­ci­pal­men­te a in­te­li­gên­cia do nos­so Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, que es­tá a re­co­nhe­cer as pes­so­as pro­ve­ni­en­tes dos con­fins da vi­da pre­cá­ria”.

Edu­ar­do Paim, mú­si­co

“Sin­to-me fe­liz. Acre­di­to que es­ta con­de­co­ra­ção vai en­cher de or­gu­lho e de sa­tis­fa­ção as pes­so­as que, ao lon­go des­tas qua­tro dé­ca­das de tra­ba­lho, me têm in­cen­ti­va­do. Qu­e­ro crer que é al­go que veio no tem­po opor­tu­no, num tem­po em que os ide­ais são ou­tras. Te­nho ape­nas a agra­de­cer.”

Jo­sé Di­o­go Ven­tu­ra, nacionalis­ta

“Re­ce­ber o re­co­nhe­ci­men­to dos nos­sos ac­tos aos 90 anos é uma gran­de sa­tis­fa­ção. É si­nal de que o tra­ba­lho que foi fei­to pe­la nos­sa ju­ven­tu­de va­leu a pe­na pa­ra to­do o país, e o Es­ta­do ho­je re­co­nhe­ce que foi um tra­ba­lho útil pa­ra as ge­ra­ções de ho­je e pa­ra as que vi­rão. É uma sa­tis­fa­ção pa­ra mim, pa­ra a mi­nha fa­mí­lia e pa­ra to­dos nós.

Men­sa­gem pa­ra os jo­vens des­ta ge­ra­ção: Tu­do se con­se­gue com tra­ba­lho ár­duo e não com ime­di­a­tis­mo. Não podemos es­pe­rar se­me­ar ho­je e co­lher ama­nhã. O que se­me­a­mos an­tes es­ta­mos a co­lher ho­je. Os jo­vens têm que tra­ba­lhar. Se an­ti­ga­men­te ti­ve­mos que sa­cri­fi­car a vi­da e a nos­sa li­ber­da­de, ho­je os jo­vens de­vem de­fen­der a pá­tria, com tra­ba­lho, com ho­nes­ti­da­de.”

Do­min­gas Cas­san­ga, em­pre­sá­ria

“Foi uma enor­me sur­pre­sa. Qu­an­do li­ga­ram pa­ra mim nem que­ria acre­di­tar. Sin­to-me mui­to hon­ra­da. Da­qui pa­ra fren­te vou con­ti­nu­ar a tra­ba­lhar. Tem se di­to que qu­an­do to­ma­mos bem con­ta de cri­an­ças, o fu­tu­ro es­tá ga­ran­ti­do. É nos­so de­ver fa­zer es­te tra­ba­lho”.

Jo­a­na de Bri­to, atle­ta

“O re­co­nhe­ci­men­to dá-me mais mo­ti­va­ção pa­ra con­ti­nu­ar a treinar, dar o o meu me­lhor nos trei­nos, nas com­pe­ti­ções e ser cam­peã do mun­do. Na­da é im­pos­sí­vel , é só ir a lu­ta que se con­se­gue con­quis­tar al­go. Qu­an­do es­tás a fa­zer al­gu­ma coi­sa, continue, não de­sis­ta, por­que se de­sis­ti­res não ga­nhas na­da.”

Moi­sés Hi­em­ba Ca­mo­ta (trei­na­dor)

“Foi uma sur­pre­sa pa­ra mim. Não é a pri­mei­ra vez que so­mos cam­peões, so­mos tri­cam­peões afri­ca­nos por equi­pa e in­di­vi­du­al e pe­la pri­mei­ra vez cam­peã fe­mi­ni­na. Es­te re­co­nhe­ci­men­to traz mui­tas motivações. Foi mui­to bom. Na ve­la, tal­vez, so­mos os pri­mei­ros con­de­co­ra­dos. Is­so en­co­ra­ja-nos a con­ti­nu­ar a tra­ba­lhar. Is­so pro­va que es­ta­mos a ser vis­tos”.

SAN­TOS PE­DRO | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO

Jo­a­na de Bri­to, atle­ta de Ve­la Op­ti­mist Jú­ni­or, ga­nhou ou­ro pe­la Se­lec­ção

SAN­TOS PE­DRO | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO

Mú­si­co Edu­ar­do Paim diz que a con­de­co­ra­ção veio no mo­men­to cer­to

SAN­TOS PE­DRO | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO

Nacionalis­ta Jo­sé Di­o­go Ven­tu­ra sa­tis­fei­to com a ho­me­na­gem aos 90 anos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.