Ac­ti­vi­da­des la­bo­rais con­ti­nu­am sus­pen­sas

A me­di­a­ção elu­ci­dou a en­ti­da­de em­pre­ga­do­ra so­bre o cum­pri­men­to dos pon­tos abor­da­dos du­ran­te o en­con­tro, sob pe­na de pu­ni­ção nos ter­mos da lei

Jornal de Angola - - SOCIEDADE - Cé­sar An­dré

Ses­sen­ta e no­ve di­as são pas­sa­dos des­de que a di­rec­ção da em­pre­sa Nov/Tu­bos­co­pe, se­di­a­da na Ba­se Pe­tro­lí­fe­ra da So­nils, em Lu­an­da, com­pro­me­teu-se em sa­tis­fa­zer as exi­gên­ci­as dos tra­ba­lha­do­res que con­sis­tem es­sen­ci­al­men­te no re­a­jus­te cam­bi­al à luz da Lei 2/12, apli­ca­da ao sub-sec­tor pe­tro­lí­fe­ro.

Quar­ta-fei­ra, os tra­ba­lha­do­res da­que­la em­pre­sa, exi­bin­do car­ta­zes, com di­ze­res “qu­e­re­mos o nos­so di­nhei­ro”, ma­ni­fes­ta­ram-se em fren­te ao por­tão prin­ci­pal da Ba­se da So­nils pa­ra exi­gir da di­rec­ção a re­so­lu­ção das rei­vin­di­ca­ções apre­sen­ta­das em 2014.

Pe­dro Ma­teus, se­gun­do se­cre­tá­rio da Co­mis­são Sin­di­cal da em­pre­sa, dis­se ao

Jor­nal de An­go­la que a pa­ra­li­sa­ção das ac­ti­vi­da­des la­bo­rais vai con­ti­nu­ar até que a en­ti­da­de em­pre­ga­do­ra re­sol­va as rei­vin­di­ca­ções apre­sen­ta­das pe­lo sin­di­ca­to do ra­mo.

O sin­di­ca­lis­ta afir­mou que nu­ma reu­nião re­a­li­za­da em Se­tem­bro des­te ano com a di­rec­ção da em­pre­sa, foi ela­bo­ra­da uma ac­ta/com­pro­mis­so, em que a re­pre­sen­tan­te da em­pre­sa com­pro­me­teu­se em cum­prir com as exi­gên­ci­as dos tra­ba­lha­do­res.

“De­pois de atu­ra­das dis­cus­sões, a re­pre­sen­tan­te da Nov/Tu­bos­co­pe com­pro­me­teu-se em efec­tu­ar o pa­ga­men­to dos sa­lá­ri­os in­de­xa­dos ao dó­lar, ao câm­bio ac­tu­a­li­za­do, fac­to que até ho­je não acon­te­ceu”, dis­se Pe­dro Ma­teus.

O lí­der sin­di­cal afir­mou ain­da que na mes­ma reu­nião, em que par­ti­ci­pa­ram re­pre­sen­tan­tes do Mi­nis­té­rio dos Re­cur­sos Mi­ne­rais e Pe­tró­le­os,

Ins­pec­ção Ge­ral do Tra­ba­lho, a re­pre­sen­tan­te da em­pre­sa com­pro­me­teu-se ain­da em pa­gar os re­tro­ac­ti­vos de dois anos em oi­to me­ses.

“A im­ple­men­ta­ção po­de­ria com­pre­en­der oi­to pres­ta­ções, so­bre três acu­mu­la­dos, até Maio de 2020, ten­do Co­len Carr, di­rec­to­ra Re­gi­o­nal de Re­cur­sos Hu­ma­nos, as­su­mi­do em ne­go­ci­ar os mol­des de pa­ga­men­to dos re­tro­ac­ti­vos, pa­ra o dia 19 de Se­tem­bro, em lo­cal que de­via ser in­di­ca­do pe­las par­tes”, dis­se Pe­dro Ma­teus. Na reu­nião do dia 18 de Se­tem­bro de 2019, con­cluiu-se tam­bém o can­ce­la­men­to de qual­quer ope­ra­ção de subs­ti­tui­ção de tra­ba­lha­do­res gre­vis­tas por no­vos.

Das re­co­men­da­ções saí­das do en­con­tro, a me­di­a­ção elu­ci­dou aos re­pre­sen­tan­tes da en­ti­da­de em­pre­ga­do­ra so­bre o cum­pri­men­to dos pon­tos abor­da­dos, sob pe­na de pu­ni­ção nos ter­mos da lei.

Que a em­pre­sa de­ve evi­tar qual­quer ti­po de re­ta­li­a­ção con­tra os tra­ba­lha­do­res, no âm­bi­to do pro­ces­so de greve em cur­so, e que as par­tes de­vem pri­vi­le­gi­ar o diá­lo­go per­ma­nen­te, com vis­ta à ma­nu­ten­ção da har­mo­nia e paz so­ci­al na em­pre­sa, cons­ta das re­co­men­da­ções.

O Jor­nal de An­go­la con­tac­tou, on­tem, via te­le­fó­ni­ca, o di­rec­tor dos Re­cur­sos Hu­ma­nos da Nov/To­bos­co­pe, Er­nes­to Pu­a­ti, que não te­ceu ne­nhum co­men­tá­rio, re­le­gan­do o as­sun­to pa­ra o Ga­bi­ne­te de Co­mu­ni­ca­ção Ins­ti­tu­ci­o­nal da em­pre­sa.

“Não es­tou au­to­ri­za­do a fa­lar so­bre o as­sun­to. Por ou­tro la­do, os in­te­gran­tes do ga­bi­ne­te de im­pren­sa da ins­ti­tui­ção en­con­tram-se na se­de re­gi­o­nal da em­pre­sa ba­se­a­da na Áfri­ca do Sul”, dis­se Er­nes­to Pu­aty.

EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO

Em­pre­sa se­di­a­da na Ba­se Pe­tro­lí­fe­ra da So­nils en­fren­ta pro­ble­ma com os tra­ba­lha­do­res que rei­vin­di­cam me­lho­res sa­lá­ri­os

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.