Jornal de Angola

Pa­pa cri­ti­ca opo­si­to­res ao uso da más­ca­ra

-

O Pa­pa Francisco, num li­vro pu­bli­ca­do se­gun­da-fei­ra, cri­ti­cou os opo­si­to­res ao uso de más­ca­ras ou ou­tras res­tri­ções im­pos­tas pa­ra con­ter a pan­de­mia da Covid-19, su­bli­nhan­do que nun­ca se ma­ni­fes­ta­ri­am con­tra a mor­te do afro-ame­ri­ca­no Ge­or­ge Floyd.

"Al­guns gru­pos têm pro­tes­ta­do, re­cu­san­do-se a manter a dis­tân­cia, ma­ni­fes­tan­do-se con­tra as res­tri­ções às vi­a­gens - co­mo se as medidas que os go­ver­nos de­vem im­por pa­ra o bem do po­vo cons­ti­tuís­sem uma es­pé­cie de ata­que po­lí­ti­co à liberdade in­di­vi­du­al", la­men­ta o Pa­pa em "Un temps pour chan­ger", li­vro de en­tre­vis­tas que se­rá pu­bli­ca­do em fran­cês a 2 de De­zem­bro pe­la edi­to­ra fran­ce­sa Flam­ma­ri­on.

Francisco in­sur­ge-se so­bre­tu­do con­tra os que di­zem ser obri­ga­dos a usar más­ca­ra, obri­ga­ção des­cri­ta co­mo "um abu­so do po­der do Es­ta­do", sem nun­ca se pre­o­cu­pa­rem com quem per­deu o em­pre­go ou não tem pre­vi­dên­cia so­ci­al.

"Nun­ca se ve­rá es­sas pes­so­as a pro­tes­tar con­tra a mor­te de Ge­or­ge Floyd (...) São in­ca­pa­zes de sair do seu pe­que­no mundo de in­te­res­ses", acres­cen­ta o Pa­pa, de na­ci­o­na­li­da­de ar­gen­ti­na.

Ge­or­ge Floyd, um afro­a­me­ri­ca­no de 46 anos, mor­reu a 25 de Maio, em Min­ne­a­po­lis (Min­ne­so­ta), de­pois de um po­lí­cia bran­co lhe ter pres­si­o­na­do o pes­co­ço com um jo­e­lho du­ran­te cer­ca de oi­to mi­nu­tos nu­ma ope­ra­ção de de­ten­ção, ape­sar de Floyd di­zer que não con­se­guia res­pi­rar.

A par­tir do mo­men­to em que fo­ram di­vul­ga­das as ima­gens nas re­des so­ci­ais, su­ce­de­ram-se pro­tes­tos con­tra a vi­o­lên­cia po­li­ci­al e o ra­cis­mo em de­ze­nas de ci­da­des nor­te­a­me­ri­ca­nas, al­gu­mas das quais fo­ram pal­co de ac­tos de pi­lha­gem, bem co­mo nou­tras par­tes do mundo.O Pa­pa, mui­to em­pe­nha­do na de­fe­sa das mi­no­ri­as, con­si­de­rou na al­tu­ra "in­to­le­rá­vel" qual­quer for­ma de ra­cis­mo.

Os ne­ga­ci­o­nis­tas não vão in­ter­vir nem "con­tra as fa­ve­las, on­de as cri­an­ças ca­re­cem de água e edu­ca­ção", nem pa­ra que "as enor­mes so­mas in­ves­ti­das no co­mér­cio de ar­mas sir­vam pa­ra ali­men­tar to­da a ra­ça hu­ma­na e edu­car to­das as cri­an­ças", con­si­de­ra Francisco no li­vro.

O Pa­pa Francisco, de 83 anos, tam­bém cri­ti­ca lon­ga­men­te, sem os no­me­ar, os go­ver­nos "que ig­no­ra­ram as do­lo­ro­sas evi­dên­ci­as do au­men­to do nú­me­ro de mor­tes com con­sequên­ci­as ine­vi­tá­veis e gra­ves" a fa­vor da economia.

No en­tan­to, ad­mi­te que a mai­o­ria dos go­ver­nos "agiu com res­pon­sa­bi­li­da­de, im­pon­do medidas es­tri­tas pa­ra con­ter a epi­de­mia".

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola