Jornal de Angola

As­sin­to­má­ti­cos não são in­fec­ci­o­sos

-

Um estudo fei­to en­tre Maio e Ju­nho na ci­da­de chi­ne­sa de Wuhan - a ci­da­de on­de ale­ga­da­men­te sur­giu a Covid-19 e que en­vol­veu qua­se to­da a po­pu­la­ção (dez mi­lhões de pes­so­as), ago­ra pu­bli­ca­do na re­vis­ta Na­tu­re, mos­tra que os por­ta­do­res as­sin­to­má­ti­cos do ví­rus não são in­fec­ci­o­sos.

O estudo en­vol­veu cer­ca de 9,9 mi­lhões de pes­so­as, ou se­ja, 92,9% da po­pu­la­ção - no fun­do, to­dos os com mais de seis anos. Não foi de­tec­ta­do ne­nhum ca­so po­si­ti­vo sin­to­má­ti­co de Covid-19, mas re­gis­ta­ram-se 300 as­sin­to­má­ti­cos. O estudo con­clui que "não hou­ve evi­dên­cia de trans­mis­são de pes­so­as po­si­ti­vas as­sin­to­má­ti­cas pa­ra con­tac­tos pró­xi­mos ras­tre­a­dos".

Se­gun­do o tex­to pu­bli­ca­do na Na­tu­re, in­ti­tu­la­do "Ras­treio de áci­do nu­clei­co SARS-CoV2 pós-blo­queio em qua­se dez mi­lhões de re­si­den­tes de Wuhan, Chi­na", "es­tu­dos an­te­ri­o­res de­mons­tra­ram que in­di­ví­du­os as­sin­to­má­ti­cos in­fec­ta­dos com o ví­rus SARS-CoV-2 eram in­fec­ci­o­sos, po­den­do pos­te­ri­or­men­te tor­nar-se sin­to­má­ti­cos". Mas "no pre­sen­te estudo, a cultura do ví­rus foi re­a­li­za­da em amos­tras de ca­sos po­si­ti­vos as­sin­to­má­ti­cos, e não foi en­con­tra­do ne­nhum ví­rus SARSCoV-2 viá­vel".

Ou se­ja, "to­dos os con­tac­tos pró­xi­mos dos ca­sos po­si­ti­vos as­sin­to­má­ti­cos ti­ve­ram re­sul­ta­dos ne­ga­ti­vos, in­di­can­do que os ca­sos po­si­ti­vos as­sin­to­má­ti­cos de­tec­ta­dos nes­te estudo pro­va­vel­men­te não eram in­fec­ci­o­sos."

Por ou­tro la­do, "a cultura de ví­rus de la­bo­ra­tó­rio exis­ten­te e os es­tu­dos ge­né­ti­cos mos­tra­ram que a vi­ru­lên­cia do ví­rus SARS-CoV-2 po­de en­fra­que­cer com o tem­po, e as pes­so­as re­cém-in­fec­ta­das eram mais pro­pen­sas a ser as­sin­to­má­ti­cas e com uma car­ga vi­ral mais bai­xa do que os ca­sos in­fec­ta­dos há mais tem­po". Se­ja co­mo for, os in­ves­ti­ga­do­res di­zem que "é mui­to ce­do pa­ra ser com­pla­cen­te, de­vi­do à exis­tên­cia de ca­sos po­si­ti­vos as­sin­to­má­ti­cos e al­to ní­vel de sus­cep­ti­bi­li­da­de em re­si­den­tes em Wuhan".

"As medidas de saú­de pú­bli­ca pa­ra a pre­ven­ção e con­tro­lo da epi­de­mia da Covid-19, in­cluin­do o uso de más­ca­ras, man­ten­do o dis­tan­ci­a­men­to so­ci­al se­gu­ro em Wuhan, de­vem ser man­ti­das. Es­pe­ci­al­men­te, as po­pu­la­ções vul­ne­rá­veis de­vem con­ti­nu­ar a ser pro­te­gi­das de for­ma ade­qua­da", con­si­de­ra­ram. O estudo tam­bém en­con­trou 107 ca­sos de pes­so­as que já ti­nham si­do da­das co­mo re­cu­pe­ra­das e que vol­ta­ram a dar po­si­ti­vo, de for­ma as­sin­to­má­ti­ca, nos no­vos tes­tes. Mas tam­bém es­sas não ti­nham in­fec­ta­do qual­quer con­tac­to pró­xi­mos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola