Jornal de Angola

Pre­si­den­ci­ais em Por­tu­gal mar­ca­das pa­ra 24 de Ja­nei­ro

Marcelo Re­be­lo de Sou­sa as­si­na de­cre­to a 61 di­as da da­ta do es­cru­tí­nio e cum­pre pro­mes­sa de anun­ci­ar can­di­da­tu­ra ape­nas em “fi­nais de No­vem­bro ou prin­cí­pi­os de De­zem­bro”

-

O Pre­si­den­te de Por­tu­gal, Marcelo Re­be­lo de Sou­sa, mar­cou, on­tem, as eleições pre­si­den­ci­ais pa­ra 24 de Ja­nei­ro de 2021.

A Pre­si­dên­cia por­tu­gue­sa anun­ci­ou que “o Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca as­si­nou ho­je (on­tem) o De­cre­to que fi­xa pa­ra do­min­go 24 de Ja­nei­ro de 2021 as eleições pre­si­den­ci­ais, o qual se­guiu pa­ra pu­bli­ca­ção em Diário da Re­pú­bli­ca”.

A Lei Elei­to­ral por­tu­gue­sa es­ta­be­le­ce que o Che­fe de Es­ta­do “marcará a da­ta do primeiro su­frá­gio pa­ra a elei­ção pa­ra a Pre­si­dên­cia da Re­pú­bli­ca com a an­te­ce­dên­cia mí­ni­ma de 60 di­as” e Marcelo Re­be­lo de Sou­sa as­si­nou es­te de­cre­to 61 di­as an­tes da da­ta das eleições.

Se ne­nhum dos can­di­da­tos ob­ti­ver mais de me­ta­de dos vo­tos va­li­da­men­te ex­pres­sos, não se con­si­de­ran­do co­mo tal os vo­tos em bran­co, “o se­gun­do su­frá­gio re­a­li­zar­se-á no vi­gé­si­mo primeiro dia pos­te­ri­or ao primeiro” en­tre os dois can­di­da­tos mais - nes­te ca­so, se­rá em 14 de Fe­ve­rei­ro.

A lei de­ter­mi­na que “tan­to o primeiro co­mo o even­tu­al se­gun­do su­frá­gio re­a­li­zar­se-ão nos 60 di­as an­te­ri­o­res ao ter­mo do man­da­to do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca ces­san­te”, que é no dia 9 de Mar­ço de 2021.

A da­ta des­tas eleições já ti­nha si­do di­vul­ga­da à co­mu­vo­ta­dos ni­ca­ção so­ci­al por par­ti­dos po­lí­ti­cos, que re­fe­ri­ram ter re­ce­bi­do es­sa in­for­ma­ção do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, Marcelo Re­be­lo de Sou­sa, nas au­di­ên­ci­as re­a­li­za­das há uma se­ma­na no Pa­lá­cio de Be­lém.

Elei­to nas pre­si­den­ci­ais de 24 de Ja­nei­ro de 2016, à pri­mei­ra vol­ta, com 52 por cen­to dos vo­tos ex­pres­sos, Marcelo Re­be­lo de Sou­sa to­mou pos­se em 9 de Mar­ço de 2006, e ao lon­go do seu man­da­to man­te­ve a re­can­di­da­tu­ra em aber­to.

Re­cen­te­men­te, em entrevista à RTP, pro­me­teu anun­ci­ar a sua decisão em “fi­nais de No­vem­bro, prin­cí­pi­os de De­zem­bro”, após mar­car a da­ta das eleições.

Já em Fe­ve­rei­ro des­te ano, Marcelo Re­be­lo de Sou­sa ti­nha afir­ma­do que iria primeiro con­vo­car as eleições “co­mo Pre­si­den­te”, e só de­pois even­tu­al­men­te as­su­mir uma can­di­da­tu­ra, “co­mo ci­da­dão”.

To­das as no­ve an­te­ri­o­res eleições pre­si­den­ci­ais em de­mo­cra­cia se re­a­li­za­ram em Ja­nei­ro, ex­cep­tu­an­do as du­as pri­mei­ras após o 25 de Abril de 1974, pa­ra as quais a Cons­ti­tui­ção de 1976 es­ta­be­le­cia pra­zos es­pe­ci­ais, as­so­ci­a­das ao iní­cio e ter­mo da pri­mei­ra le­gis­la­tu­ra.

As pri­mei­ras eleições fo­ram em 27 de Ju­nho de 1976 e as segundas em 7 de De­zem­bro de 1980.

As se­guin­tes re­a­li­za­ram­se em 26 de Ja­nei­ro de 1986 as úni­cas com uma se­gun­da vol­ta, que acon­te­ceu em 16 de Fe­ve­rei­ro de 1986 - e em 13 de Ja­nei­ro de 1991, em 14 de Ja­nei­ro de 1996, em 14 de Ja­nei­ro de 2001, em 22 de Ja­nei­ro de 2006, em 23 de Ja­nei­ro de 2011 e 24 de Ja­nei­ro de 2016.

 ?? DR ?? Che­fe de Es­ta­do por­tu­guês ou­viu lí­de­res po­lí­ti­cos an­tes de anun­ci­ar a da­ta da ida às ur­nas
DR Che­fe de Es­ta­do por­tu­guês ou­viu lí­de­res po­lí­ti­cos an­tes de anun­ci­ar a da­ta da ida às ur­nas

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola