Jornal de Angola

Gru­po Ho­ri­zon­te es­treia “Mu­lher sem de­fei­to”

- Ed­val­do Le­mos Arts · Luanda · Angola

A com­pa­nhia de ar­tes Ho­ri­zon­te Nzin­ga Mban­de es­treia ama­nhã, às 16h00, no au­di­tó­rio NJin­ga Mban­de, em Lu­an­da, a pe­ça de te­a­tro “Mu­lher sem de­fei­to”, que se­rá exi­bi­da igual­men­te no mes­mo dia e lo­cal, às 19h30.

A es­treia da pe­ça, a ser exi­bi­da no mes­mo lo­cal na sex­ta­fei­ra, sá­ba­do e do­min­go, em du­as ses­sões, às 16h00 e às 19h30, en­qua­dra-se nas co­me­mo­ra­ções do Dia In­ter­na­ci­o­nal de Não Vi­o­lên­cia con­tra as Mu­lhe­res, que é ce­le­bra­do ho­je.

O en­re­do da pe­ça abor­da as pro­ble­má­ti­cas que mui­tas pes­so­as en­fren­tam em di­ver­sos re­la­ci­o­na­men­tos con­ju­gais. De acordo a si­nop­se, o ca­sal co­nhe­ceu-se no gru­po co­ral da igre­ja. A jo­vem era lin­da, ma­ra­vi­lho­sa e sem de­fei­tos, o que ce­gou o par­cei­ro.

O ac­tor Ga­li­a­no da Ro­cha dis­se, se­gun­da-fei­ra, em con­fe­rên­cia de im­pren­sa, que a pe­ça pro­cu­ra mos­trar di­ver­sos ân­gu­los dos re­la­ci­o­na­men­tos con­ju­gais. “Com is­so qu­e­re­mos mos­trar os ân­gu­los de vi­são dos vá­ri­os as­sun­tos da nos­sa so­ci­e­da­de so­bre as fa­mí­li­as. Sa­be­mos que há re­la­ções que co­me­çam bem de­pois vêm as des­fei­tas. Pou­cas pes­so­as con­se­guem lidar com os pro­ble­mas no lar”, la­men­tou o ac­tor.

Ade­li­no Ca­ra­col, di­rec­tor da com­pa­nhia de ar­tes Ho­ri­zon­te Njin­ga Mban­de, de­fen­deu a im­por­tân­cia da pro­fis­si­o­na­li­za­ção das ar­tes e dis­se que o gru­po es­tá com ob­jec­ti­vos mais cla­ros as­sen­tes na sus­ten­ta­bi­li­da­de e ren­ta­bi­li­da­de, a fim de me­lho­rar as con­di­ções fi­nan­cei­ras dos ac­to­res e da ins­ti­tui­ção, uma vez que o mundo, em par­ti­cu­lar An­go­la, en­fren­tam “uma crise ago­ni­zan­te”.

“É im­por­tan­te que as ar­tes ocu­pem o seu la­do de en­si­no pri­va­do. Va­mos ten­tar fa­zer as nos­sas escolas con­tí­nu­as e pro­fis­si­o­nais. Pre­ci­sa­mos de dei­xar de pen­sar que a ar­te só ser­ve de la­zer, por­que o que um ac­tor re­ce­be é mui­to in­fe­ri­or ao pre­ço de uma la­ta de lei­te”, dis­se.

Des­de a re­a­ber­tu­ra das sa­las de te­a­tro, já fo­ram re­a­li­za­das pe­lo Ho­ri­zon­te Njin­ga Mban­de qua­tro se­ma­nas de apre­sen­ta­ção, com uma mé­dia de par­ti­ci­pa­ção de 35 pes­so­as, nu­ma sa­la pa­ra 110 pes­so­as, cum­prin­do com o dis­tan­ci­a­men­to fí­si­co, hi­gi­e­ni­za­ção das mãos e o uso obri­ga­tó­rio de más­ca­ra fa­ci­al.

 ?? DR ?? Ade­li­no Ca­ra­col (ao cen­tro) du­ran­te a con­fe­rên­cia de im­pren­sa
DR Ade­li­no Ca­ra­col (ao cen­tro) du­ran­te a con­fe­rên­cia de im­pren­sa

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola