AGT ES­TÁ A OB­SER­VAR A CON­DI­ÇÃO FIS­CAL DOS CON­TRI­BUIN­TES

Jornal de Economia & Financas - - Destaque -

No de­cor­rer da “Ope­ra­ção Res­ga­te”, os prin­ci­pais ob­jec­ti­vos da Ad­mi­nis­tra­ção Ge­ral Tri­bu­tá­ria AGT pas­sam pe­la ve­ri­fi­ca­ção dos agen­tes eco­nó­mi­cos que se en­con­tram à mar­gem da fis­ca­li­da­de, com re­al­ce pa­ra os agen­tes eco­nó­mi­cos que não se en­con­tram re­gis­ta­dos na ba­se de da­dos da ins­ti­tui­ção e os agen­tes eco­nó­mi­cos cu­jo NIF se en­con­tra sus­pen­so, em vir­tu­de da prá­ti­ca de ir­re­gu­la­ri­da­des tri­bu­tá­ri­as.

Nes­te qua­dro, a AGT es­tá a afe­rir se os con­tri­buin­tes cum­prem com as su­as obri­ga­ções fis­cais re­gu­la­res, quer se­jam obri­ga­ções de­cla­ra­ti­vas quer obri­ga­ções con­tri­bu­ti­vas. A ins­ti­tui­ção con­ti­nua a di­zer que o seu pa­pel não é re­pres­si­vo, mas fun­da­men­tal­men­te edu­ca­ti­vo e di­dác­ti­co, cha­man­do as­sim os con­tri­buin­tes pa­ra a sua for­ma­li­za­ção fis­cal vo­lun­tá­ria.

A “Ope­ra­ção Res­ga­te” es­tá a con­tar com o en­vol­vi­men­to de efec­ti­vos da po­lí­cia, agen­tes de fis­ca­li­za­ção, pro­fis­si­o­nais da AGT, ór­gãos da Ad­mi­nis­tra­ção Cen­tral e Lo­cal dos Es­ta­do en­tre ou­tros. To­dos os ór­gãos en­vol­vi­dos na ope­ra­ção es­tão a ser al­vos de uma acen­tu­a­da mo­ni­to­ria.

Pa­ra pre­ve­nir e san­ci­o­nar tais com­por­ta­men­tos, a Po­lí­cia Na­ci­o­nal ape­la aos ci­da­dãos a de­nun­ci­a­ram ati­tu­des e ac­ções que pos­sam ser con­si­de­ra­das abu­si­vas e ir­re­gu­la­res. A po­pu­la­ção é igual­men­te cha­ma­da a de­nun­ci­ar ac­ti­vi­da­des ile­gais de que te­nham co­nhe­ci­men­to.

Re­cen­te­men­te a Po­lí­cia Na­ci­o­nal tor­nou pú­bli­cos da­dos que dão con­ta que os pri­mei­ros se­te di­as da ope­ra­ção re­sul­ta­ram no en­cer­ra­men­to de vá­ri­as uni­da­de de cui­da­dos de saú­de e cen­tros de cul­to re­li­gi­o­so que exer­ci­am ac­ti­vi­da­de em si­tu­a­ção de con­fli­to com a lei. Trin­ta e qua­tro tem­plos de ado­ra­ção e cin­co lo­cais de cul­to fo­ram en­cer­ra­dos, sen­do 19 na pro­vín­cia de Ca­bin­da, 11 em Lu­an­da e qua­tro em Ma­lan­je, que fun­ci­o­na­vam sem do­cu­men­ta­ção e em lo­cais ina­pro­pri­a­dos.

Com­por­ta­men­tos ne­ga­ti­vos co­mo o su­bor­no, a ex­tor­são e agres­sões dão lu­gar a du­ras san­ções con­tra os in­frac­to­res. To­dos são cha­ma­dos a cum­prir o de­ver obe­de­cen­do aos prin­cí­pi­os da le­ga­li­da­de e res­pei­to, ao mes­mo tem­po que se ape­la a um com­por­ta­men­to pe­da­gó­gi­co e de au­xí­lio aos ci­da­dãos.

DR

Re­par­ti­ções Fis­cais re­gis­tam em to­do o país o cres­ci­men­to de so­li­ci­ta­ções

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.