Im­pul­si­o­nar o in­ves­ti­men­to

Jornal de Economia & Financas - - Opinião -

As au­to­ri­da­des an­go­la­nas es­tão apos­ta­das em en­con­trar soluções tan­gí­veis para a cri­a­ção de mais ri­que­zas, por via da cap­ta­ção de in­ves­ti­men­tos pri­va­dos, quer na­ci­o­nais, quer es­tran­gei­ros.

Uma das saídas tem si­do a pro­mo­ção do país para além das nos­sas fron­tei­ras e mes­mo a ní­vel in­ter­no, mos­tran­do as po­ten­ci­a­li­da­des de que o país dis­põe para ser mais fá­cil vi­a­bi­li­zar-se os ne­gó­ci­os. A cap­ta­ção de in­ves­ti­men­tos é fei­ta de va­ri­a­dís­si­mas for­mas, sen­do uma de­las o “ro­ad-show”, se­mi­ná­ri­os e fei­ras in­ter­na­ci­o­nais, pe­lo que já exis­te uma es­tra­té­gia nes­se sen­ti­do.

O Exe­cu­ti­vo pre­ten­de, para os pró­xi­mos qua­tro anos, ele­var e con­so­li­dar a di­na­mi­za­ção da cap­ta­ção de in­ves­ti­men­tos pri­va­dos, aten­den­do aos de­sa­fi­os da eco­no­mia na­ci­o­nal e ao pro­ces­so de di­ver­si­fi­ca­ção eco­nó­mi­ca, com as bases as­sen­tes no Pla­no de De­sen­vol­vi­men­to Na­ci­o­nal 2018-2022.

A Co­mis­são Eco­nó­mi­ca do Con­se­lho de Mi­nis­tros apro­vou, em Ou­tu­bro pas­sa­do, o Pro­jec­to de Pro­mo­ção e Cap­ta­ção de In­ves­ti­men­to Pri­va­do (PROCIP), um ins­tru­men­to de apoio do Exe­cu­ti­vo, que vi­sa es­ti­mu­lar a trans­for­ma­ção e di­ver­si­fi­ca­ção eco­nó­mi­ca, o de­sen­vol­vi­men­to do sec­tor pri­va­do, bem como a pro­du­ti­vi­da­de.

Até sábado, 25 de Maio, Lu­an­da era a ca­pi­tal do Tu­ris­mo Mun­di­al, cu­jo even­to foi pres­ti­gi­a­do pe­la pre­sen­ça e in­ter­ven­ção do Che­fe de Es­ta­do an­go­la­no. O Pre­si­den­te ga­ran­tiu que o seu Exe­cu­ti­vo es­tá com­pro­me­ti­do em vi­a­bi­li­zar e apoi­ar os in­ves­ti­men­tos que se cons­ti­tu­am em ca­ta­li­sa­do­res da eco­no­mia na­ci­o­nal.

Como no­ta de re­al­ce fei­ta pe­lo nos­so jor­nal, a pro­mes­sa do Che­fe de Es­ta­do aos in­ves­ti­do­res pre­sen­tes no Fó­rum Mun­di­al do Tu­ris­mo, que Lu­an­da aco­lheu, vi­sa as­se­gu­rar o de­sen­vol­vi­men­to do tu­ris­mo e a cri­a­ção de in­fra-es­tru­tu­ras para a sua ope­ra­ci­o­na­li­za­ção, uma vez es­tar aten­to a “uma no­va An­go­la” vol­ta­da para o in­ves­ti­men­to e para o pro­gres­so, daí o Pre­si­den­te ter pe­di­do aos in­ves­ti­do­res es­tran­gei­ros a jun­ta­rem-se aos es­for­ços de di­vul­ga­ção des­sa ima­gem que se es­tá a cons­truir.

No âm­bi­to do con­cla­ve, pre­sen­ça no­tá­vel do antigo pre­si­den­te fran­cês, Fran­çois Hol­lan­de, que efec­tu­ou uma vi­si­ta de al­gu­mas ho­ras a Lu­an­da, para par­ti­ci­par nos tra­ba­lhos do Fó­rum In­ter­na­ci­o­nal do Tu­ris­mo. O antigo es­ta­dis­ta fran­cês crê nas po­ten­ci­a­li­da­des de An­go­la e nas gran­des opor­tu­ni­da­des de in­ves­ti­men­to para na­ci­o­nais e es­tran­gei­ros, ao que de­cla­rou que o em­pre­sa­ri­a­do do seu país po­de aju­dar a de­sen­vol­ver o tu­ris­mo em An­go­la, da­da a ca­pa­ci­da­de e ex­pe­ri­ên­cia que tem em do­mí­ni­os como o ho­te­lei­ro. Além da Ho­te­la­ria e Tu­ris­mo, An­go­la tem ou­tras áre­as a des­pon­tar, como é o ca­so do sec­tor das Tec­no­lo­gi­as de In­for­ma­ção e Co­mu­ni­ca­ção (TIC), que pro­mo­ve o AN­GO­TIC – An­go­la ICT Fó­rum 2019, a de­cor­rer de 18 a 20 de Ju­nho, em Lu­an­da. Esperam-se por 8.000 par­ti­ci­pan­tes, 150 spe­a­kers e mo­de­ra­do­res, 54 ses­sões ple­ná­ri­as e pa­ra­le­las, 200 ex­po­si­to­res, 150 star­tups e 30 par­cei­ros na­ci­o­nais e es­tran­gei­ros. Es­ses even­tos, a exem­plo da Fei­ra de Ben­gue­la, são tão va­li­o­sos e im­por­tan­tes na cap­ta­ção de no­vos in­ves­ti­men­tos.

AN­GO­LA TEM OU­TRAS ÁRE­AS A DES­PON­TAR, COMO É O CA­SO DAS TEC­NO­LO­GI­AS DE IN­FOR­MA­ÇÃO E CO­MU­NI­CA­ÇÃO (TIC), QUE PRO­MO­VE O AN­GO­TIC, DE 18 A 20 DE JU­NHO, EM LU­AN­DA.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.