VI­A­TU­RAS USA­DAS VOLTAM À RIBALTA NO BAIR­RO PALANCA

Jornal de Economia & Financas - - Destaque - Ju­lião Pau­lo Pro­mo­tor de ven­das

No se­gui­men­to da nos­sa ron­da, che­gou-se à Ave­ni­da De­o­lin­da Ro­dri­gues, o pon­to co­mer­ci­an­tes de automóveis usa­dos. Na cir­cuns­cri­ção não eram vi­sí­veis os ha­bi­tu­ais stands de ven­da. Os mo­ra­do­res da zo­na in­for­ma­ram que mui­tos co­mer­ci­an­tes de­ci­di­ram aban­do­nar o ne­gó­cio e es­tão ho­je fo­ca­dos em ou­tros pro­du­tos ren­tá­veis. Uma das op­ções es­tá a ser a co­mer­ci­a­li­za­ção de pneus no­vos e usa­dos. Is­to ocor­reu com An­tó­nio Sa­mi. Aos 48 anos, as ven­das ba­te­ram con­tra as su­as pers­pec­ti­vas. “O ne­gó­cio já não es­ta­va a an­dar, não exis­te di­nhei­ro pa­ra im­por­tar vi­a­tu­ras e as pes­so­as tam­bém es­tão des­ca­pi­ta­li­za­das”, dis­se. Bem ao la­do, es­tá o Stand Ami­gos Car. Per­to de trin­ta car­ros, na sua mai­o­ria de oca­sião, ex­pos­tos, pre­en­chi­am 80 por cen­to do es­pa­ço de ex­po­si­ção. Ju­lião Pau­lo, pro­mo­tor de ven­das, la­men­tou o fac­to de não ha­ver ain­da uma boa aber­tu­ra na aqui­si­ção da mo­e­da es­tran­gei­ra, que per­mi­ti­ria aque­cer o mer­ca­do. Pa­ra ele, o abrandamen­to es­tá a pro­vo­car de­sem­pre­go e a le­var que mui­ta gen­te opte por for­mas pou­co honestas de ga­nhar a vi­da. Al­gu­mas vi­a­tu­ras são ad­qui­ri­das lo­cal­men­te, da mão

O ABRANDAMEN­TO ES­TÁ A PRO­VO­CAR DE­SEM­PRE­GO E A LE­VAR QUE MUI­TA GEN­TE OPTE POR FOR­MAS POU­CO HONESTAS DE GA­NHAR A VI­DA.

de pro­pri­e­tá­ri­os de­se­jo­sos de se des­fa­zer das mes­mas. O vo­lu­me de ven­das ac­tu­al ron­da du­as a três vi­a­tu­ras por mês, com uma mar­gem de lu­cro na or­dem dos kz 200 mil por ca­da ven­da, ten­do a Hyun­dai e a Kia co­mo as mais pro­cu­ra­das e co­mer­ci­a­li­za­das.

CAR­LOS CARDOSO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.