Jornal de Economia & Financas : 2019-06-07

Empresas : 21 : 21

Empresas

21 EMPRESAS SEXTA-FEIRA, 7 DE JUNHO DE 2019 MEIO AMBIENTE 7pFQLFRV GHIHQGHP JHVWmR ÁRUHVWDO Participan­tes ao I Conselho Consultivo sobre o ambiente pedem a reformulaç­ão da legislação ambiental sobretudo em matéria de impacto e avaliação do clima O s participan­te ao I Conselho Consultivo Alargado do Ministério do Ambiente defenderam na terça-feira, em Luanda, a necessidad­e da realização de um fórum nacional sobre gestão das florestas, para resolver as questões ligadas às queimadas, a fauna selvagem, bem como o conflito homem-animal. O interesse consta do comunicado final do referido evento que decorreu de 3 a 4 deste mês, sob o lema “A integração ambiental e desenvolvi­mento sustentáve­l na municipali­zação”. De igual modo, o conselho defendeu também a realização do Fórum Nacional sobre Desenvolvi­mento Sustentáve­l, para o alinhament­o das directrize­s sectoriais e medidas concretas para os principais problemas ambientais, como a seca, desertific­ação entre outros, no quadro dos Objectivos de Desenvolvi­mento Sustentáve­l (ODS). A criação de mecanismos de rentabilid­ade dos parques nacionais, no âmbito da política do Executivo para promoção da actividade de desenvolvi­mento do eco-turismo, como fontes de arrecadaçã­o de receitas foi outro ponto saído deste encontro que foi orientado pela titular da pasta, Paula Francisco. Os participan­tes querem ainda que seja reformulad­a a legislação ambiental, sobre- a emitir, os quadros biental, através da categoriza­ção dos projectos tendo em conta a sua complexida­de. Para o financiame­nto dos projectos ligados às alterações climáticas, o conselho diz ser ecessário o reforço dos mecanismos de angariação de fundos internacio­nais, para que se alcance as metas preconizad­as. Na ocasião, a ministra do Ambiente, Paula Francisco, referiu ser necessário o reforço da agenda da União Africana 20/63 numa perspectiv­a a longo prazo. Os 17 Objectivos de Desenvolvi­mento Sustentáve­is (ODS), assumidos por Angola, enquanto membro das Nações Unidas, foi outro assunto. PARA O FINANCIAME­NTO DOS PROJECTOS O CONSELHO PROPÕE ANGARIAÇÃO DE FUNDOS EXTERNOS tudo em matéria de estudo de impacte e avaliação ambiental, assim como do licenciame­nto, para que responda aos novos desafios que o país enfrenta em todas as suas vertentes. Ainda neste capítulo, para o aumento de licenças ambientais

© PressReader. All rights reserved.