Pro­du­ção de mel as­se­gu­ra ren­di­men­to às fa­mí­li­as ru­rais

Go­ver­no es­tá a in­cen­ti­var as po­pu­la­ções de 150 mu­ni­cí­pi­os pa­ra apos­ta­rem nes­te seg­men­to que po­de­rá aju­dar na pre­ser­va­ção dos po­lí­go­nos flo­res­tais de vá­ri­as re­giões

Jornal de Economia & Financas - - Apicultura -

Apo­pu­la­ção das zo­nas ru­rais foi de­sa­fi­a­da a apos­tar mais na pro­du­ção de mel, co­mo for­ma de preservar os pe­rí­me­tros flo­res­tais e pro­mo­ver o au­to-sus­ten­to. O in­cen­ti­vo é do se­cre­tá­rio de Es­ta­do pa­ra os Re­cur­sos Flo­res­tais, An­dré de Je­sus Mo­da, que na pas­sa­da ter­ça-fei­ra, no Hu­am­bo, em de­cla­ra­ções à im­pren­sa, após um en­con­tro com o go­ver­na­dor do Hu­am­bo em exer­cí­cio, Le­o­nar­do Se­ve­ri­no Sa­pa­lo, dis­se que men­sa­gens idên­ti­cas já fo­ram trans­mi­ti­das a ha­bi­tan­tes de 150 mu­ni­cí­pi­os, dos 164 exis­ten­tes no país, de mo­do a que se pos­sa apos­tar na pro­du­ção de mel, co­mo fon­te de ren­da, ao con­trá­rio da ex­plo­ra­ção de car­vão ve­ge­tal e de ou­tras prá­ti­cas que pre­ju­di­cam as flo­res­tas.

Equi­lí­brio am­bi­en­tal

O se­cre­tá­rio de Es­ta­do dis­se ain­da que a po­pu­la­ção de­ve tam­bém preservar as plan­tas frutíferas, quer pa­ra a me­lho­ria da sua dieta ali­men­tar e ma­nu­ten­ção do equi­lí­brio am­bi­en­tal, co­mo pa­ra a au­to- sus­ten­ta­bi­li­da­de, evi­tan­do, des­te mo­do, prá­ti­cas co­mo do aba­te in­dis­cri­mi­na­do de ár­vo­res e quei­ma­das anár­qui­cas.

An­dré de Je­sus Mo­da re­al­çou, por es­ta ra­zão, o fo­men­to do diá­lo­go cons­tan­te com a po­pu­la­ção, atra­vés do es­cla­re­ci­men­to so­bre os va­lo­res da eco­lo­gia, de mo­do a ter um no­va pos­tu­ra so­bre a va­lo­ri­za­ção dos re­cur­sos flo­res­tais e a pro­tec­ção do am­bi­en­te, um de­sa­fio que de­ve en­vol­ver tan­to as ins­ti­tui­ções pú­bli­cas, co­mo as pri­va­das.

Qu­es­ti­o­na­do so­bre as quei­ma­das no país, o se­cre­tá­rio de Es­ta­do pa­ra os Re­cur­sos Flo­res­tais des­men­tiu as in­for­ma­ções se­gun­do as quais Angola fi­gu­ra en­tre os paí­ses com mais quei­ma­das no mun­do, es­cla­re­cen­do que po­de ha­ver quei­ma­das nas pla­ní­ci­es e flo­res­tas aber­tas, mas não nas tro­pi­cais hú­mi­das que pre­do­mi­nam no país.

Re­al­çou que ca­da ci­da­dão tem que ter cons­ci­ên­cia da pre­ser­va­ção do am­bi­en­te, pa­ra a sus­ten­ta­bi­li­da­de das ac­tu­ais e fu­tu­ras ge­ra­ções, apos­tan­do, des­te mo­do, na plan­ta­ção de ca­ju­ei­ros pa­ra o au­men­to das pre­ci­pi­ta­ções at­mos­fé­ri­cas, bem co­mo em ac­ções eco­ló­gi­cas.

An­dré Mo­da Se­cre­tá­rio de Es­ta­do pa­ra os Rec. Flo­res­tais

A PO­PU­LA­ÇÃO DE­VE TAM­BÉM PRESERVAR AS PLAN­TAS FRUTÍFERAS PA­RA A ME­LHO­RIA DA DIETA ALI­MEN­TAR

EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO

A api­cul­tu­ra é de­sen­vol­vi­da em vá­ri­as pro­vín­ci­as com des­ta­que o Mo­xi­co

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.