Rou­bo em la­vras e fa­zen­das pre­o­cu­pa

Jornal de Economia & Financas - - Agricultur­a -

Os cons­tan­tes rou­bos que se ve­ri­fi­cam nas fa­zen­das e la­vras no mu­ni­cí­pio do Chin­guar ( Bié) es­tão a pre­o­cu­par os agri­cul­to­res da lo­ca­li­da­de, que por fal­ta de mei­os de co­lhei­ta, vêem os la­drões a apo­de­ra­rem-se do seu es­for­ço e ár­duo tra­ba­lho.

A fa­zen­da “Vi­ne­va­la” é um exem­plo dis­so. Se­gun­do o seu pro­pri­e­tá­rio Al­feu Vi­ne­va­la, a fa­zen­da foi ví­ti­ma de rou­bo de 110 to­ne­la­das de mi­lho, no pre­sen­te ano agrí­co­la, um fac­to que dei­xa bas­tan­te pre­o­cu­pa­do que pa­ra o pre­sen­te ano, vai se­me­ar ape­nas 30 hec­ta­res de mi­lho, con­tra 200 na épo­ca 2018-2019.

“O mai­or pro­ble­ma que te­mos aqui são os rou­bos. Es­ta­mos a so­frer mui­tos rou­bos na fa­zen­da e nas la­vras vi­zi­nhas. O mi­lho es­tá a ser rou­ba­do em gran­de es­ca­la e es­ta­mos a ter mui­tos pre­juí­zos fi­nan­cei­ros”, la­men­tou o agri­cul­tor.

Quan­to a sa­fra do ano agrí­co­la pas­sa­do, o fa­zen­dei­ro dis­se que foi boa, mas os pre­juí­zos fo­ram mai­o­res.

“A pro­du­ção foi mui­to boa, mas nas co­lhei­tas es­tá o nos­so mai­or pro­ble­ma. Nes­te ano, se­me­a­mos 300 hec­ta­res de mi­lho pa­ra co­lher 1.500 to­ne­la­das e ape­nas co­lhe­mos 400. Foi um pre­juí­zo mui­to gran­de”, la­men­tou.

Al­feu Vi­ne­va­la con­ti­nua a la­men­tar o fac­to de não ha­ver má­qui­nas agrí­co­las que fa­ci­li­tam a co­lhei­ta de pro­du­tos em gran­des quan­ti­da­des.

“O pro­du­to é co­lhi­do por pes­so­as, que são su­pos­tas vi­rem à noi­te de car­ro pa­ra rou­ba­rem o pro­du­to ain­da no cam­po. Mes­mo con­tra­tan­do mais de 500 tra­ba­lha­do­res even­tu­ais não con­se­gui­mos co­lher tu­do em tem­po útil e as­sim di­mi­nuir os rou­bos”, afir­mou de­so­la­do.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.