Des­pe­sas ope­ra­ci­o­nais

Os gas­tos de­sem­bol­sa­dos ou previstos cons­tam da pla­ni­lha des­te le­que de ope­ra­ções que a em­pre­sa pre­ci­sa exe­cu­tar

Jornal de Economia & Financas - - Gestão -

Nu­ma ac­ti­vi­da­de em­pre­sa­ri­al exis­tem vá­ri­os ti­pos de gas­tos. Do pon­to de vis­ta con­tá­bil, as des­pe­sas ope­ra­ci­o­nais são pa­ga­men­tos re­la­ci­o­na­dos à ac­ti­vi­da­de da ad­mi­nis­tra­ção de uma em­pre­sa e à ven­da dos seus pro­du­tos ou ser­vi­ços.

Ti­pos de des­pe­sa

As des­pe­sas ope­ra­ci­o­nais se di­vi­dem em gas­tos de ven­das e as de ti­po ad­mi­nis­tra­ti­vas. No pri­mei­ro ca­so, re­fe­rem- se às ac­ções des­ti­na­das à ven­da de pro­du­tos de uma em­pre­sa e são for­ma­das por des­pe­sas de pu­bli­ci­da­de, sa­lá­ri­os, co­mis­sões de ven­de­do­res ou trans­por­te.

Em re­la­ção aos gas­tos ad­mi­nis­tra­ti­vos, cons­tam o des­gas­te dos equi­pa­men­tos de es­cri­tó­rio, pa­ga­men­tos de alu­guel, água, luz, te­le­fo­ne e dos ma­te­ri­ais de es­cri­tó­rio.

As des­pe­sas ope­ra­ci­o­nais são ain­da to­dos os gas­tos de­sem­bol­sa­dos ou previstos, que se re­la­ci­o­nam di­rec­ta­men­te com o objecto so­ci­al de uma em­pre­sa. Ima­gi­ne­mos uma em­pre­sa co­mer­ci­al que ven­da mó­veis. Os sa­lá­ri­os e en­car­gos do pes­so­al da ad­mi­nis­tra­ção, do sec­tor de ven­das ou dos ou­tros sec­to­res são di­rec­ta­men­te re­la­ci­o­na­dos com o ob­jec­ti­vo do ne­gó­cio, por is­so são ope­ra­ci­o­nais.

Em re­la­ção à uti­li­da­de das des­pe­sas ope­ra­ci­o­nais, po­de­mos des­ta­car dois as­pec­tos: o pri­mei­ro per­mi­te co­nhe­cer a re­a­li­da­de con­tá­bil de uma em­pre­sa e o se­gun­do per­mi­te cri­ar um or­ça­men­to pa­ra o pró­xi­mo ano ou ci­clo con­tá­bil.

Quan­do se re­a­li­za um or­ça­men­to, de­ve-se di­fe­ren­ci­ar uma sé­rie de as­pec­tos ou ele­men­tos con­tá­beis, tais co­mo as ven­das, a pro­du­ção, mão- de- obra, os cus­tos de ma­té­ria- pri­ma e des­pe­sas ope­ra­ci­o­nais.

Em pri­mei­ro lu­gar, de­ve-se des­ta­car que as des­pe­sas ope­ra­ci­o­nais não de­vem ser con­fun­di­das com ou­tros ti­pos de gas­tos co­muns, por exem­plo, com os cus­tos de pro­du­ção.

O or­ça­men­to das des­pe­sas ope­ra­ci­o­nais é uma es­ti­ma­ti­va e se re­a­li­za a par­tir da in­for­ma­ção do ano an­te­ri­or. Em re­la­ção às des­pe­sas de ven­da fi­xa são cal­cu­la­das aque­las que per­ma­ne­cem de ma­nei­ra cons­tan­te. Em com­pen­sa­ção, há des­pe­sas de ven­da que são va­riá­veis, pois ob­vi­a­men­te de­pen­dem do vo­lu­me de ven­das, por exem­plo, os ma­te­ri­ais pa­ra em­ba­lar os pro­du­tos e as co­mis­sões dos ven­de­do­res.

Uma em­pre­sa se­ja ela de ti­po co­mer­ci­al, de ser­vi­ços ou in­dus­tri­al tem uma sé­rie de des­pe­sas e re­cei­tas. Na pri­mei­ra, te­mos as des­pe­sas ad­mi­nis­tra­ti­vas e de ven­das que for­mam o con­jun­to de des­pe­sas ope­ra­ci­o­nais, mas tam­bém exis­tem ou­tros gas­tos co­mo os in­di­rec­tos de fa­bri­ca­ção, os re­la­ci­o­na­dos à com­pra ou des­pe­sas fi­nan­cei­ras.

Em re­la­ção às re­cei­tas se des­ta­cam as fi­nan­cei­ras, as re­la­ci­o­na­das a in­ves­ti­men­to, por di­vi­den­dos ou des­con­tos de com­pra.

DR

xxxxxxxxxx­xxxxxxxxxx­xxxxxxxxxx­xxxxxxxxxx­xxxxxxxxxx­xxxxxxxxxx­xxxxxxxxxx­xxxxxxxxxx­xxxxxxxxxx­xxxxx O con­tro­lo dos in­di­ca­do­res con­ta­bi­lis­tí­cos das em­pre­sas é fun­da­men­tal pa­ra evi­tar so­bre­en­di­vi­da­men­to das mes­mas

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.