Es­ta­ções de ser­vi­ços au­men­tam so­lu­ções pa­ra os au­to­mo­bi­lis­tas

Jornal de Economia & Financas - - Serviços - João Cons­tan­ti­no

O nú­me­ro de es­ta­ções de ser­vi­ço pa­ra la­va­gem e ma­nu­ten­ção de vi­a­tu­ras na pro­vín­cia do Bié es­tá a au­men­tar con­si­de­ra­vel­men­te, cri­an­do em­pre­go pa­ra jo­vens que en­con­tram aí o ga­nha-pão pa­ra sus­ten­tar as su­as fa­mí­li­as.

O JE fez uma ron­da nas prin­ci­pais ar­té­ri­as da ci­da­de do Cuito, ten­do cons­ta­ta­do a pre­sen­ça de vá­ri­as es­ta­ções de ser­vi­ço sob ge­rên­cia de ci­da­dãos na­ci­o­nais e es­tran­gei­ros. As per­ten­cen­tes aos es­tran­gei­ros, so­bre­tu­do asiá­ti­cos, são as que ofe­re­cem mai­or con­fi­an­ça aos cli­en­tes.

Exis­tem oi­to es­ta­ções de ser­vi­ços, no Cuito, que pres­tam ser­vi­ço di­a­ri­a­men­te ao pú­bli­co.

Abraão Bar­bo­sa, ge­ren­te de uma das es­ta­ções de ser­vi­ço do bair­ro pi­lo­to, zo­na ur­ba­na da ci­da­de do Cuito dis­se ao JE que a em­pre­sa fun­ci­o­na há dois anos e o ne­gó­cio é ren­tá­vel.

Dis­se que é na épo­ca chu­vo­sa que se re­gis­ta mai­or cli­en­te­la, ten­do em con­ta o ex­ces­so de “la­go­as” que exis­tem nas zo­nas pe­ri­fé­ri­cas.

A em­pre­sa em­pre­gou 10 jo­vens, dos quais dois na área de ba­te- cha­pa, 4 na pin­tu­ra, dois na área de re­cau­chu­ta­gem e la­va­gem de vi­a­tu­ras e igual ní­me­ro na área de me­câ­ni­ca.

Com a cri­a­ção da as­so­ci­a­ção dos me­câ­ni­cos, Abrão Bar­bo­sa dis­se que, o ser­vi­ço vai es­tar me­lhor or­ga­ni­za­do.

En­tre vá­ri­as es­ta­ções exis­ten­tes no Cuito, vi­si­tá­mos, igual­men­te, a es­ta­ção de ser­vi­ço sem ma­nu­ten­ção, de­no­mi­na­da “Si­dar­ta Va­nois” .

Se­gun­do o ge­ren­te da “Si­dar­ta Va­nois”, An­tó­nio Yon­go­le, a sua es­ta­ção es­tá aber­ta há três anos, e pos­sui cli­en­tes per­ma­nen­tes que dei­xam as su­as vi­a­tu­ras sem des­con­fi­an­ça.

“A qua­li­da­de e a con­fi­an­ça no ser­vi­ço pres­ta­do é o ele­men­to fun­da­men­tal pa­ra qual­quer re­la­ção de tra­ba­lho que pos­sa exis­tir en­tre o pres­ta­dor de ser­vi­ço e o cli­en­te co­mo con­su­mi­dor fi­nal do pro­du­to”, des­ta­cou.

An­tó­nio Va­nois e a sua es­ta­ção de ser­vi­ço têm pre­ços es­ti­pu­la­dos que va­ri­am en­tre kz 2.500 e 4 mil, de­pen­den­do do ta­ma­nho das vi­a­tu­ras.

A n t ó n i o Yo n g o l e , dis­se ter em­pre­ga­do qua­tro jo­vens pa­ra a la­va­gem e ma­nu­ten­ção de vi­a­tu­ras.

DR

Uma es­ta­çao de ser­vi­ce em Lu­an­da

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.