MO­RA­DO­RES DA CEN­TRA­LI­DA­DE “HORIZONTE” RE­CLA­MAM TARIFA DA ÁGUA INDEXADA A DO LIXO

Jornal Economia and Finanças - - DESTAQUE - Del­fi­na Vic­to­ri­no no Cui­to

Os mo­ra­do­res da cen­tra­li­da­de “Horizonte”, lo­ca­li­za­da na ci­da­de do Cui­to (Bié) re­cla­mam a ac­tu­al tarifa de água, que ape­sar de es­tar no sis­te­ma pré-pa­go, é ele­va­da por es­tar indexada a do lixo.

Jo­a­qui­na Ma­ni­co, en­fer­mei­ra de pro­fis­são, sa­li­en­tou que men­sal­men­te pa­ga 4.500 kwanzas, in­cluin­do a tarifa do lixo e ou­tros re­sí­du­os só­li­dos, “uma ta­xa mui­to ele­va­da”.

Por seu tur­no, o pro­fes­sor Mar­ce­li­no Jam­ba, da es­co­la Li­ceu 04 de Abril, re­si­den­te na mes­ma cen­tra­li­da­de, dis­se que com o sis­te­ma pré-pa­go, ca­da mo­ra­dor é obri­ga­do a sa­ber eco­no­mi­zar a água. O pro­fes­sor es­cla­re­ceu

Arrecadaçã­o de re­cei­tas

Cen­to e se­ten­ta mi­lhões de kwanzas é o va­lor ar­re­ca­da­do du­ran­te o ano de 2019, pe­la Em­pre­sa de Água e Sa­ne­a­men­to do Bié (EASB), com a co­lo­ca­ção de con­ta­do­res na cen­tra­li­da­de “Horizonte” e em al­guns bair­ros pe­ri­fé­ri­cos, se­gun­do o pre­si­den­te do Con­se­lho de Ad­mi­nis­tra­ção, Me­ne­zes Cha­ma­le.

O ges­tor dis­se que pa­ra re­du­zir o ga­rim­po de água, a em­pre­sa pú­bli­ca ins­ta­lou uma gi­ra­fa pa­ra os ca­miões cis­ter­nas re­ti­ra­rem o “lí­qui­do” com a qua­li­da­de de­se­ja­da pa­ra as po­pu­la­ções que pos­su­em re­ser­va­tó­ri­os. “A ins­ta­la­ção de con­ta­do­res de água, em to­dos os bair­ros do mu­ni­cí­pio do Cui­to, po­de re­du­zir os gas­tos des­ne­ces­sá­ri­os e man­ter mai­or con­tro­lo do lí­qui­do”, ga­ran­tiu o PCA da Easb, Me­ne­zes Cha­ma­le.

O res­pon­sá­vel re­ve­lou que com a en­tra­da em fun­ci­o­na­men­to do no­vo sis­te­ma de cap­ta­ção de água, ins­ta­la­da no rio Cu­que­ma, al­gu­mas zo­nas be­ne­fi­ci­am de água 24 ho­ras por dia. Ga­ran­tiu que 2.600 li­ga­ções do­mi­ci­li­a­res fo­ram fei­tas, re­cen­te­men­te, nos bair­ros Nje­le, Mi­li­tar, Azul I, II e Ca­lo­nui­ma. Ac­tu­al­men­te, a em­pre­sa con­tro­la 14 mil cli­en­tes que pos­su­em con­tra­tos, en­quan­to que 8.100 não têm sis­te­ma de con­tro­lo.

“Te­mos o con­tro­lo de 22 mil li­ga­ções do­mi­ci­li­a­res na pro­vín­cia, das quais ape­nas 14 mil cli­en­tes es­tão no con­tra­to pós e pré-pa­go”, afir­mou Me­ne­zes Cha­ma­le. Re­co­nhe­ceu ha­ver fal­ta de água em vá­ri­as lo­ca­li­da­des, mas ga­ran­te que os pro­ble­mas es­tão iden­ti­fi­ca­dos e se­rão so­lu­ci­o­na­dos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.