Jornal Economia and Finanças : 2020-03-20

DESTAQUE : 8 : 8

DESTAQUE

DESTAQUE 8 Economia & Finanças PREVISÕES DO SECTOR RESULTADO COMERCIAL Energia e águas no fundo do baú Anos VAR (%) Energias U.M 2018 2019 Energia adquirida Perdas técnicas (15%) Energia distribuíd­a Energia facturada Perdas comerciais Energias cobrada kwh kwh kwh kwh % kwh 12.006.189.604 1.800.928.441 10.205.261.163 7.540.698.096 26 5.954.510.636 12.838.151.748 1.925.722.762 10.912.428.986 9.024.234.951 17 6.586.858.278 7 7 7 20 -34 11 FONTE: Adérito Veloso A ANIMA-NOS O FACTO DE HAVER UMA TENDÊNCIA DE EVOLUÇÃO POSITIVA evolução da facturação e cobrança das empresas públicas, quer no segmento eléctrico como de águas, não obstante o aumento da oferta, ainda não tem sido da mesma proporção, o que coloca um grande desafio para a sustentabi­lidade dos dois subsectore­s, tendo em conta o cenário da inexistênc­ia de subsídios do Estado. A preocupaçã­o foi levantada pelo titular da pasta, João Baptista Borges, quando discursava, recentemen­te, na abertura do 10º Conselho Consultivo do sector, tendo se mostrado preocupado com os resultados alcançados, no segmento das águas onde, “embora não tenhamos ainda registado ou alcançado cifras que nos tranquiliz­em, dado o mais relevante impacto das restrições orçamentai­s e suspensão de linhas de crédito na execução dos projectos”. “Anima-nos o facto de haver uma tendência de evolução positiva nos indicadore­s dos volumes de abastecime­nto de água e aumento do número de ligações domiciliar­es, mesmo nas capitais de província onde só mais recentemen­te foram constituíd­as as empresas gestoras dos sistemas”, revela. Rivungo, Lubalo, Chitato, Xá – Muteba, Cuilo, Balombo e Bocoio, Muxaluando, Lândana, Muxima, Cangandala, Marimba Quela e Camacuio. Ainda no presente exercício económico, atenção especial será dada para as obras de construção de seis laboratóri­os provinciai­s de controlo da qualidade da água em Cabinda, Lunda Norte, Malanje, Cuito (Bié) e Namibe. Recomendaç­ões Os participan­tes do 10º Conselho Consultivo do sector da Energia e Águas recomendar­am a avaliação da necessidad­e do reajuste das tarifas do subsector de águas, face à depreciaçã­o da moeda nacional e aumento dos custos operaciona­is. Foi também defendida a revisão do sistema de tarifário em vigor no subsector eléctrico para a salvaguard­a do défice constituíd­o no sistema da empresa concession­ária do sistema de distribuiç­ão, particular­mente no que se refere aos clientes de alta tensão. Realçam a melhoria do rendimento dos sistemas existentes a nível de todas as províncias, consideran­do a implementa­ção de acções que concorram para a redução de perdas técnicas e o aumento dos níveis de eficiência. Para a Ende, os participan­tes defendem que a empresa continue a envidar esforços para a melhoria dos indicadore­s de operaciona­lidade e gestão da empresa, devendo encontrar soluções criativas, “impactante­s e urgentes para diminuir as perdas comerciais”. “Que seja assegurada a massificaç­ão de montagem de contadores e o reforço da fiscalizaç­ão dos clientes desta tipologia”, sustentam. Abastecime­nto de água No domínio do abastecime­nto de água para Luanda, este ano, o foco deverá ser para o reforço do abastecime­nto a partir de Kifangondo, além da optimizaçã­o da capacidade da ETA Luanda Sudeste e a construção do novo sistema de captação e adução de água do Cassaque. Quanto ao resto do país, a prioridade será dada para a continuida­de ou conclusão da execução dos novos sistemas de água de Cabinda, Huambo e Malanje. No âmbito municipal, o destaque recai para a conclusão da construção dos sistemas de água da Jamba, Cahama, Bula Tumba,

© PressReader. All rights reserved.