Recessão po­de ser pi­or que a an­te­ri­or

Jornal Economia and Finanças - - MUNDO -

A recessão mun­di­al em con­sequên­cia da pan­de­mia do coronavíru­s po­de ser pi­or do que a re­gis­ta­da após a cri­se fi­nan­cei­ra de 2008, ad­ver­tiu ter­ça-fei­ra a di­rec­to­ra-ge­ral do Fundo Mo­ne­tá­rio In­ter­na­ci­o­nal (FMI), Kris­ta­li­na Ge­or­gi­e­va, nu­ma te­le­con­fe­rên­cia com o G20.

Em co­mu­ni­ca­do, Ge­or­gi­e­va afir­mou que pre­ve­niu os mi­nis­tros das Finanças e os governador­es de ban­cos cen­trais que as pers­pec­ti­vas de cres­ci­men­to mun­di­al pa­ra 2020 eram “ne­ga­ti­vas” e in­di­cou que se es­pe­ra uma recessão “pe­lo me­nos tão grave co­mo a da cri­se fi­nan­cei­ra mun­di­al ou até pi­or”.

Em 2009, o Pro­du­to In­ter­no Bru­to (PIB) mun­di­al bai­xou 0,6 por cen­to, se­gun­do da­dos do FMI. Nas eco­no­mi­as avan­ça­das, o re­cuo foi de 3,16 e de 4,08 por cen­to nos paí­ses da zo­na eu­ro. “Mas es­pe­ra­mos uma re­cu­pe­ra­ção em 2021”, acres­cen­tou, mais op­ti­mis­ta. No en­tan­to, “pa­ra con­se­guir is­so, é pre­ci­so dar pri­o­ri­da­de ao iso­la­men­to e re­for­çar os sistemas de saú­de” em to­do o mun­do.

“O im­pac­to eco­nó­mi­co é e se­rá grave, mas quanto mais de­pres­sa o vírus for tra­va­do, mais rápido e for­te se­rá a re­cu­pe­ra­ção”, con­si­de­rou.

A pan­de­mia do Covid-19 obri­gou mui­tos paí­ses a sus­pen­de­rem li­ga­ções aé­re­as, en­cer­rar lo­jas, ba­res e res­tau­ran­tes e li­mi­tar as mo­vi­men­ta­ções de milhões de pes­so­as, isoladas em ca­sa, pa­ran­do a ac­ti­vi­da­de económica mun­di­al.

O FMI afir­mou que apoia “vi­go­ro­sa­men­te as me­di­das or­ça­men­tais ex­tra­or­di­ná­ri­as já apro­va­das em vá­ri­os paí­ses pa­ra re­for­çar os sistemas de saú­de e pro­te­ger os tra­ba­lha­do­res e em­pre­sas afec­ta­dos”.

A di­rec­to­ra-ge­ral de­fen­deu ain­da mais es­for­ços, lem­bran­do que as eco­no­mi­as mais avan­ça­das es­tão “ge­ral­men­te me­lhor co­lo­ca­das pa­ra res­pon­der à cri­se”, enquanto os mer­ca­dos emer­gen­tes e os paí­ses mais po­bres en­fren­tam “de­sa­fi­os im­por­tan­tes”. Kris­ta­li­na Ge­or­gi­e­va lem­brou que os in­ves­ti­do­res já re­ti­ra­ram 83 mil milhões de dó­la­res dos mer­ca­dos emer­gen­tes des­de o iní­cio da cri­se, “a mai­or saí­da de ca­pi­tais de sem­pre”. Num co­mu­ni­ca­do se­pa­ra­do, o Ban­co Mun­di­al re­fe­riu que apro­vou um pacote de ajuda ime­di­a­ta de 14 mil milhões de dó­la­res pa­ra lu­tar con­tra o im­pac­to do no­vo coronavíru­s. “Pre­pa­ra­mos igual­men­te pro­jec­tos em 49 paí­ses (...) com de­ci­sões es­pe­ra­das es­ta se­ma­na em pe­lo me­nos 16 pro­gra­mas”, dis­se o pre­si­den­te da ins­ti­tui­ção, David Mal­pass, ci­ta­do no tex­to.

DR

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.