Ques­ti­o­na­da qu­a­li­da­de do pão pro­du­zi­do no país

Jornal Economia and Finanças - - LAZER - Sil­vi­no For­tu­na­to | Uíge

A qua­li­da­da­de do pão consumido em An­go­la dei­xa mui­to a de­se­jar, a jul­gar pe­lo in­cum­pri­men­to das nor­mas da sua pro­du­ção por par­te da mai­o­ria dos pa­ni­fi­ca­do­res, conforme re­co­nhe­ce a Co­o­pe­ra­ti­va de Associação da In­dús­tria de Pa­ni­fi­ca­ção e Pas­te­la­ria de An­go­la (CAIPPA).

De acor­do com o seu pre­si­den­te, Jo­sé Ne­to, mui­tos pro­du­to­res não ob­ser­vam as nor­mas que de­ter­mi­nam os ma­te­ri­ais ne­ces­sá­ri­os pa­ra o fa­bri­co do pão, o que faz com que o pro­du­to che­gue às me­sas dos con­su­mi­do­res sem os re­qui­si­tos, nem a qua­li­da­des de­se­ja­da.

Em de­cla­ra­ções ao JE, Jo­sé Ne­to re­la­ci­o­nou o fac­to com a ape­tên­cia dos pro­du­to­res de ob­te­rem lu­cros mui­to al­tos, em­pre­gan­do es­cas­sos ma­te­ri­ais. “Es­ta­mos a tra­ba­lhar com os sec­to­res cor­res­pon­den­tes do go­ver­no no sen­ti­do de que o pão que che­gue à me­sa do ci­da­dão te­nha o pe­so e a qu­a­li­da­de re­que­ri­das, se­gun­do o seu ta­ma­nho”. Dis­se ain­da que a in­dús­tria da pa­ni­fi­ca­ção em An­go­la vi­ve mo­men­tos mui­to di­fi­ceis con­subs­tan­ci­a­dos pe­las di­fi­cul­da­des en­fren­ta­das pa­ra a ob­ten­ção do tri­go e de fi­nan­ci­a­men­tos jun­tos dos ban­cos e de ou­tras en­ti­da­des cre­do­ras do país. Com vis­ta a po­ten­ci­ar os pro­du­to­res an­go­la­nos, a CAIPPA es­tá a tra­ba­lhar com uma en­ti­da­de cre­do­ra na­ci­o­nal, a fim de fa­ci­li­tar a con­cep­ção de fi­nan­ci­a­men­tos aos mes­mos atra­vés de mi­cro-cré­di­tos.

DR

Pa­ni­fi­ca­do­ras que­rem in­cen­ti­vos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.