Água es­tá ga­ran­ti­da

Jornal Economia and Finanças - - LAZER -

OE­xe­cu­ti­vo an­go­la­no vai pri­o­ri­zar o abas­te­ci­men­to re­gu­lar e gra­tui­to de água às uni­da­des sa­ni­tá­ri­as, mer­ca­dos in­for­mais, cen­tros de qua­ren­te­na e pri­si­o­nais, no qua­dro do pla­no de con­tin­gên­cia pa­ra im­pe­dir o avan­ço da pan­de­mia Coronavíru­s (Covid-19) no país. O pla­no, que não ex­clui o abas­te­ci­men­to à po­pu­la­ção, foi anun­ci­a­do es­ta quin­ta-fei­ra pe­lo mi­nis­tro da Ener­gia e Águas, João Baptista Bor­ges, no fi­nal da II reunião or­di­ná­ria da Comissão Económica do Con­se­lho de Mi­nis­tros. En­tre as uni­da­des sa­ni­tá­ri­as es­tão hos­pi­tais, cen­tros de saú­de e mor­gues, afir­mou o go­ver­nan­te, su­bli­nhan­do que o pla­no de con­tin­gên­cia con­tém tam­bém ac­ções pa­ra o re­for­ço da ca­pa­ci­da­de téc­ni­ca da Empresa Pú­bli­ca de Águas de Lu­an­da (EPAL) e das em­pre­sas pro­vin­ci­ais de água e saneamento. João Baptista Bor­ges en­ten­de que as me­di­das vão ra­pi­da­men­te fazer fa­ce às ava­ri­as exis­ten­tes na re­de de distribuiç­ão, com des­ta­que pa­ra as rup­tu­ras nas con­du­tas. Com­ba­te à po­bre­za.

Ain­da no qua­dro das me­di­das de con­tin­gên­cia con­tra a Covid-19, o se­cre­tá­rio pa­ra os As­sun­tos Eco­nó­mi­cas do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, Lopes Pau­lo, afir­mou, no fi­nal da ses­são, que es­tá em cur­so um pro­gra­ma co-fi­nan­ci­a­do pe­lo Ban­co Mun­di­al (BM) e pe­lo Go­ver­no de An­go­la. No re­fe­ri­do pro­gra­ma, e se­gun­do o mi­nis­tro, o BM co-fi­nan­cia com o va­lor de 320 milhões de dó­la­res, enquanto An­go­la participa com 100 milhões de dó­la­res.Lopes Pau­lo fri­sou que os re­cur­sos pa­ra o pro­gra­ma es­tão as­se­gu­ra­dos e já dis­po­ni­bi­li­za­dos. Quanto ao seu ar­ran­que re­fe­riu que fi­ca con­di­ci­o­na­da ao fim da pan­de­mia. Até 2022, de acor­do com Lopes Pau­lo, o pro­gra­ma deverá be­ne­fi­ci­ar 706 mil fa­mí­li­as.

Lu­an­da

Em fun­ção da es­cas­sez de água em al­gu­mas zo­nas da ca­pi­tal do país, o se­cre­tá­rio de Es­ta­do pa­ra as Águ as, Lu­cré­cio Cos­ta, tran­qui­li­zou a po­pu­la­ção, pro­me­ten­do re­por a distribuiç­ão re­gu­lar nos pró­xi­mos. Pa­ra os bair­ros que ain­da não têm li­ga­ções do­mi­ci­li­ar de água po­tá­vel, o di­ri­gen­te afir­mou que o sec­tor es­tá a tra­ba­lhar no sen­ti­do de for­ne­cer o pre­ci­o­so li­qui­do atra­vés de camiões cis­ter­na.

Nos úl­ti­mos di­as, o abas­te­ci­men­to de água em al­gu­mas zo­nas da ca­pi­tal do país con­ti­nua a ser um pro­ble­ma pa­ra os munícipes.

MO­TA AMBRÓSIO | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.