EN­CON­TRO NO “FAN ZONE” Se­lec­ção e adep­tos rus­sos fa­zem as pa­zes

Fe­de­ra­ção rus­sa re­a­pro­xi­ma po­pu­la­res da equi­pa na­ci­o­nal do país em am­bi­en­te or­ga­ni­za­do em Mos­co­vo

Jornal dos Desportos - - MUNDIAL - PAU­LO CACULO| MOS­CO­VO

Ase­lec­ção da Rús­sia vol­tou a sen­tir o apoio e ca­ri­nho dos seus adep­tos, na ma­nhã de on­tem, du­ran­te uma ce­ri­mó­nia de ma­ni­fes­ta­ção de agra­de­ci­men­tos ao gru­po que dis­pu­tou o Mun­di­al, or­ga­ni­za­do pe­la fe­de­ra­ção rus­sa, no “Fan Zone” ins­ta­la­do em Vo­ro­bi­ovy Gory, ar­re­do­res da Uni­ver­si­da­de Es­ta­tal de Mos­co­vo.

Du­ran­te cer­ca de três ho­ras, res­pon­sá­veis da fe­de­ra­ção, jo­ga­do­res, trei­na­do­res e adep­tos con­vi­ve­ram jun­tos, en­to­a­ram cân­ti­cos, tro­ca­ram elo­gi­os e vol­ta­ram a as­si­nar um compromisso sé­rio com a ban­dei­ra na­ci­o­nal, ape­lan­do ao pa­tri­o­tis­mo.

Fo­ram mo­men­tos de gran­de ma­ni­fes­ta­ção de­vo­ção e ba­nho de ca­ri­nho aos in­te­gran­tes da se­lec­ção da Rús­sia, so­bre­tu­do aos jo­ga­do­res. Os adep­tos en­tra­vam em êx­ta­se sem­pre que eram anun­ci­a­dos os atle­tas, nu­ma de­mons­tra­ção cla­ra de amor in­con­di­ci­o­nal.

Quem es­te­ve on­tem nos ar­re­do­res da Uni­ver­si­da­de de Mos­co­vo po­de sen­tir is­so mes­mo: adep­tos e jo­ga­do­res da se­lec­ção rus­sa fi­ze­ram as pa­zes e dei­xa­ram pa­ra trás os pe­río­dos de frus­tra­ção, lá­gri­mas e de­cep­ção após aque­le jo­go de “tris­te me­mó­ria” di­an­te da Croá­cia, que di­tou o afas­ta­men­to pre­co­ce do Mun­di­al, ain­da nos quar­tos de fi­nal.

Não fal­ta­ram dis­cur­sos, co­mo é ób­vio, ten­do o pre­si­den­te da fe­de­ra­ção, Pa­vel Ko­lob­kov, si­do o pri­mei­ro a elo­gi­ar o gru­po pe­lo “óp­ti­mo tra­ba­lho” dei­xa­do na com­pe­ti­ção. “Es­ta­mos or­gu­lho­sos da nos­sa equi­pa. Eles jo­ga­ram futebol ex­ce­len­te”, afir­mou, an­tes do ata­can­te Artyom Dzyu­ba agra­de­cer to­do o ca­ri­nho e apoio dos adep­tos num mo­men­to his­tó­ri­co pa­ra a se­lec­ção.

“Que­ría­mos provar que o futebol da Rús­sia continua vi­vo e con­se­gui­mos. Os nos­sos co­ra­ções es­tão que­bra­dos", con­fes­sou o ca­mi­so­la 22 da equi­pa na­ci­o­nal da Rús­sia.

Quem tam­bém não se mos­trou in­di­fe­ren­te ao ba­nho de ca­ri­nho dos adep­tos foi o téc­ni­co da se­lec­ção, Sta­nis­lav Cher­che­sov. O “co­man­dan­te” do con­jun­to da ca­sa pro­me­teu re­gres­sar com a equi­pa da­qui a qua­tro anos no Qa­tar. “Acre­di­ta­mos em nós mes­mos. Só con­se­gui­mos provar o nos­so va­lor, tra­ba­lhan­do no du­ro, mas con­ven­ce­mos às pes­so­as a acre­di­tar em nós”, dis­se.

DR

Se­lec­ção da Rús­sia vol­tou a con­tar com o apoio e ca­ri­nho dos seus adep­tos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.