MANOS KARANGA E TÓ CAR­NEI­RO REBUSTECEM O PE­TRO

Atle­tas as­si­na­ram por du­as épo­cas têm co­mo ob­jec­ti­vo con­quis­tar tí­tu­los

Jornal dos Desportos - - PORTADA - VALÓDIA KAMBATA

Os manos Karanga e Tó Car­nei­ro, que na épo­ca fin­da re­pre­sen­ta­ram o In­terc­lu­be, e evi­den­ci­a­ram­se ao lon­go da pri­mei­ra vol­ta, co­mo pe­ças pre­pon­de­ran­tes na equi­pa ori­en­ta­da pe­lo de­mis­si­o­ná­ri­os Paulo Tor­res, es­tão de saí­da do Ro­cha Pin­to, as­si­na­ram pe­lo Pe­tro de Lu­an­da, por du­as tem­po­ra­das.

O mé­dio ofen­si­vo ali­nhou nos úl­ti­mos qua­tro anos, de 2015 a 2018, na equi­pa da po­lí­cia, re­ve­lou em en­tre­vis­ta ao Jor­nal dos Des­por­tos que dei­xa a for­ma­ção da po­lí­cia, tris­te, pe­la for­ma co­mo foi tra­ta­do, mas or­gu­lho­so por cum­prir com pro­fis­si­o­na­lis­mo as su­as obri­ga­ções co­mo jo­ga­dor. Karanga e o seu ir­mão, não dis­pu­ta­ram qual­quer jo­go no úl­ti­mo tur­no do cam­pe­o­na­to na­ci­o­nal, por te­rem si­do sus­pen­sos pe­la di­rec­ção do clu­be. O mé­dio ofen­si­vo dis­se es­tar ma­go­a­do, pe­la for­ma co­mo foi tra­ta­do, no mo­men­to da saí­da.

"De­pois de qua­tro épo­cas, a ca­mi­nho da quin­ta, acho que de­via ser tra­ta­do de for­ma di­fe­ren­te e não com des­pre­zo, co­mo acon­te­ceu", la­men­tou o jo­ga­dor que se sen­te tris­te com os di­ri­gen­tes, mas fe­liz, por tu­do quan­to fez, em prol do In­terc­lu­be.

O atle­ta dis­se es­tar re­fei­to do gol­pe, ma­ni­fes­tou a in­ten­ção de sa­grar-se cam­peão na sua no­va equi­pa. Ad­mi­tiu, que a tro­ca do 22 de Ju­nho pe­lo Ca­te­tão, vi­sa con­quis­tar um tí­tu­lo com a ca­mi­so­la tri­co­lor. Enal­te­ceu a di­men­são do Pe­tro, equi­pa que lu­ta sem­pre pa­ra ven­cer.

" O Pe­tro de Lu­an­da é uma gran­de equi­pa que al­me­ja sem­pre ser cam­peão na­ci­o­nal, em to­das as épo­cas. Co­mo to­do o jo­ga­dor, te­nho o so­nho de ser cam­peão com es­te clu­be, que é gran­de e que exi­ge mui­to dos jo­ga­do­res", des­ta­cou.

Re­ve­lou es­tar cons­ci­en­te do de­sa­fio que o es­pe­ra, não ape­nas pe­lo es­ta­tu­to dos pe­tro­lí­fe­ros no fu­te­bol na­ci­o­nal, aci­ma de tu­do, pe­lo fac­to da equi­pa do ei­xo viá­rio es­tar há dez anos sem ven­cer o cam­pe­o­na­to na­ci­o­nal, iné­di­to no his­tó­ri­co do clu­be.

"Co­mo jo­ga­dor, o meu gran­de ob­jec­ti­vo pa­ra es­tas du­as épo­cas, é dar o meu me­lhor pa­ra aju­dar a equi­pa a con­quis­tar o cam­pe­o­na­to, que fo­ge ao clu­be há qua­se uma dé­ca­da, as­sim co­mo, em to­das as fren­tes em que es­ti­ver en­vol­vi­do", su­bli­nhou.

Karanga re­co­nhe­ceu, que pa­ra atin­gir os ob­jec­ti­vos que per­se­gue, vai pre­ci­sar de tra­ba­lhar bas­tan­te pa­ra con­ven­cer à equi­pa téc­ni­ca. Con­tu­do, pro­me­te dar o seu me­lhor, já que o plan­tel do Pe­tro de Lu­an­da é cons­ti­tuí­do por atle­tas de gran­de va­lia, e só jo­gam os me­lho­res.

"O Pe­tro de Lu­an­da tem gran­des jo­ga­do­res que res­pei­to mui­to, mas pa­ra al­can­çar o que am­bi­ci­o­no, te­rei mes­mo de tra­ba­lhar mui­to, pa­ra es­tar sem­pre en­tre os se­lec­ci­o­na­dos", dis­se con­fi­an­te nas su­as ca­pa­ci­da­de e von­ta­de de ven­cer.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.