Fal­ta de con­di­ções tra­ma equi­pa téc­ni­ca

Jornal dos Desportos - - FUTEBOL - BENIGNO NAR­CI­SO, LUBANGO

O téc­ni­co do Des­por­ti­vo da Huí­la ma­ni­fes­tou on­tem o seu des­con­ten­ta­men­to, pe­lo fac­to de a sua equi­pa não ter apro­vei­ta­da da me­lhor for­ma a pa­ra­gem re­gis­ta­da no Girabola Zap 2018/2019. Má­rio So­a­res la­men­tou a fal­ta de con­di­ções de tra­ba­lho, pa­ra re­a­li­za­ção de jo­gos de con­tro­lo de ele­va­do grau de di­fi­cul­da­des, que pu­des­sem ele­var os ní­veis com­pe­ti­ti­vos da equi­pa. O trei­na­dor dis­se, que pre­ten­dia efec­tu­ar um es­tá­gio com­pe­ti­ti­vo fo­ra da pro­vín­cia e su­bli­nhou, que a equi­pa tra­ba­lhou em si­tu­a­ções di­fí­ceis con­di­ções e que a di­rec­ção do clu­be vê-se a bra­ços com mui­tas di­fi­cul­da­des, pa­ra pro­por­ci­o­nar as con­di­ções ne­ces­sá­ri­as e pre­ten­di­das pe­la equi­pa téc­ni­ca. “Não foi co­mo o ide­a­li­za­do e nem es­te­ve pró­xi­mo da­qui­lo que pla­ne­a­mos por mo­ti­vos de for­ça mai­or, con­di­ções de tra­ba­lho di­fí­ceis. A di­rec­ção viu-se a bra­ços com mui­tas di­fi­cul­da­des, pa­ra nos pro­por­ci­o­nar as con­di­ções que pre­ten­de­mos e, por es­se mo­ti­vo, não con­se­gui­mos fa­zer os tais jo­gos de con­tro­lo que pre­ten­día­mos com equi­pas com um grau de di­fi­cul­da­de acres­ci­da”, de­sa­ba­fou. Pa­ra con­tor­nar o qua­dro e cin­te de que as di­fi­cul­da­des são pa­ra se­rem su­pe­ra­das, o téc­ni­co e seus co­la­bo­ra­do­res não se ren­de­ram ao fra­cas­so. Má­rio So­a­res enal­te­ceu a ca­pa­ci­da­de de en­tre­ga, ca­pa­ci­da­de de su­pe­ra­ção e apre­en­são dos seus atle­tas. Es­sas vir­tu­des dei­xam o téc­ni­co fir­me, ape­sar de ter estado mui­to lon­ge do ide­al. “Den­tro das nos­sas di­fi­cul­da­des e em fun­ção das nos­sas ca­pa­ci­da­des de su­pe­ra­ção, pro­cu­ra­mos com­pre­en­der e aqui va­lo­ri­zar a mi­nha ra­pa­zi­a­da, por­que são au­tên­ti­cos guerreiros. Ti­ve­ram ca­pa­ci­da­de pa­ra ul­tra­pas­sar to­das as ad­ver­si­da­des que fo­ram sur­gin­do du­ran­te es­se pe­río­do de pre­pa­ra­ção”, elo­gi­ou.Com os olhos vi­ra­dos pa­ra o que es­tá por vir e não no pas­sa­do, o trei­na­dor aler­tou que res­ta ago­ra con­cen­trar a men­ta­li­da­de e o fo­co no Ka­bus­corp do Pa­lan­ca, ad­ver­sá­rio da ter­cei­ra jor­na­da, no es­tá­dio do Fer­ro­viá­rio, no Lubango, em de­sa­fio agen­da­do pa­ra es­te do­min­go.

Pa­ra o efei­to, a se­ma­na ser­ve ex­clu­si­va­men­te pa­ra tra­ba­lhar e pre­pa­rar es­se em­ba­te. O tra­ba­lho é fo­ca­do na po­ten­ci­a­li­za­ção das ca­pa­ci­da­des de su­pe­ra­ção da equi­pa, pe­lo que Má­rio So­a­res mos­tra-se con­fi­an­te de que a se­ma­na se­ja nor­mal, pro­vei­to­sa e ca­paz de pro­por­ci­o­nar os ní­veis ne­ces­sá­ri­os, pa­ra fa­zer fa­ce às ad­ver­si­da­des e o favoritismo do ad­ver­sá­rio. “Ago­ra, res­ta con­cen­trar­mos na ter­cei­ra jor­na­da, no re­co­me­ço do cam­pe­o­na­to, que é o Ka­bus­corp, o nos­so pró­xi­mo fo­co”, des­cre­veu.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.