ESPREITAM VI­TÓ­RIA HO­JE NOS COQUEIROS

Li­bo­len­ses es­tão in­ter­mi­ten­tes no iní­cio do cam­pe­o­na­to ao con­trá­rio dos sambilas

Jornal dos Desportos - - PORTADA - BETUMELEANO FERRÃO

Ore­gres­so do cam­pe­o­na­to vem acom­pa­nha­do com uma cer­te­za ab­so­lu­ta pa­ra o Re­cre­a­ti­vo do Li­bo­lo. A for­ma­ção de Ca­lu­lo tem de apa­re­cer no Girabola ZAP 2018/2019, os maus re­sul­ta­dos nas jor­na­das an­te­ri­o­res, são a me­lhor pro­va de que ain­da não se aper­ce­be­ram que a pro­va co­me­çou. O opos­to, es­tá a acon­te­cer com o Pro­gres­so do Sam­bi­zan­ga. O bom ar­ran­que dos sambilas trans­mi­te tran­qui­li­da­de pa­ra en­ca­rar o fu­tu­ro com op­ti­mis­mo e com mo­ti­vos pa­ra acre­di­tar que po­dem con­ti­nu­ar a so­mar pon­tos.

Quan­do o re­ló­gio mar­car 15h00 e o ár­bi­tro au­to­ri­zar o iní­cio do Re­cre­a­ti­vo do Li­bo­lo Spor­ting de Ca­bin­da, no Es­tá­dio de Ca­lu­lo, a equi­pa ca­sei­ra vai es­tar for­ça­da a man­ter o fo­co na ba­li­za con­trá­ria. A vi­tó­ria es­tá a de­mo­rar, é nor­mal que a di­rec­ção e os adeptos es­te­jam an­si­o­sos em ver ho­je o co­me­ço de uma no­va era, afi­nal, quem quer che­gar ao tí­tu­lo sa­be que sem vi­tó­ri­as, é o mes­mo que na­da.

O es­ta­do de afli­ção em que se en­con­tram os an­fi­triões, têm uma ra­zão de ser. Ago­ra, che­gou o mo­men­to do cor­po téc­ni­co e do plan­tel mos­tra­rem de que ma­te­ri­al são fei­tos. To­da a de­mo­ra em res­pon­der com com­pe­tên­cia, po­de ser fa­tal, ain­da mais, por­que os prin­ci­pais con­cor­ren­tes, Pe­tro de Lu­an­da e 1º de Agos­to, já es­tão a fa­zer de­mons­tra­ções de for­ça.

A des­lo­ca­ção ao Li­bo­lo é de al­to ris­co pa­ra os leões, a bra­vu­ra que de­mons­tra­ram no úl­ti­mo jo­go, em que tra­va­ram com um em­pa­te o Pe­tro de Lu­an­da, é uma pro­va de que vão ten­tar ex­tra­mu­ros con­so­li­dar o que al­can­ça­ram com enor­mes sa­cri­fí­ci­os. Dar sequên­cia aos bons re­sul­ta­dos é uma am­bi­ção le­o­ni­na. Se a equi­pa re­cu­pe­rar as coi­sas bo­as que fez na jor­na­da pas­sa­da, po­de mui­to bem ser, ou­tra vez, mo­ti­vo de boa con­ver­sa no cam­pe­o­na­to, de­pois de um mau co­me­ço.

O Pro­gres­so do Sam­bi­zan­ga es­tá com­pe­ti­ti­vo e re­co­men­da­se. Por is­so, es­ta tar­de vai con­fi­an­te aos Coqueiros, ten­tar so­brepôr-se ao so­bre o Re­cre­a­ti­vo da Caá­la. Os sambilas têm fei­to coi­sas bo­as, nes­se iní­cio de épo­ca, a boa en­tra­da no cam­pe­o­na­to au­men­ta a res­pon­sa­bi­li­da­de pa­ra que ha­ja Pro­gres­so, em tu­do.

O Pro­gres­so do Sam­bi­zan­ga es­tá com­pe­ti­ti­vo e re­co­men­da-se. Por is­so, es­ta tar­de vai con­fi­an­te aos Coqueiros, ten­tar so­brepôr-se ao so­bre o Re­cre­a­ti­vo da Caá­la

O Caá­la tem de es­tar pre­ve­ni­do e es­co­lher mui­to bem co­mo se com­por­tar, pa­ra im­pe­dir que o ad­ver­sá­rio con­ti­nue na mó de ci­ma, no cam­pe­o­na­to. Fi­ca cla­ro, que tu­do de bom ou de mau que vai acon­te­cer ao CRC, tam­bém vai de­pen­der da pos­tu­ra em cam­po. Ten­tar jo­gar pa­ra o pon­ti­to, po­de in­cli­nar o rel­va­do, e fa­vo­re­cer quem es­ti­ver a ata­car.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.