1º DE AGOS­TO SUPERA

PE­TRO EM PAR­TI­DA ELECTRIZANTE

Jornal dos Desportos - - PORTADA - JUSCELINO DA SILVA

Otri­plo do ex­tre­mo-ba­se Pedro Bas­tos di­tou on­tem, na Ci­da­de­la Des­por­ti­va, a der­ro­ta do Pe­tro de Luanda di­an­te do 1º de Agos­to por 90-86 na par­ti­da da se­gun­da jor­na­da da se­gun­da vol­ta do Uni­tel Bas­ket 20182019. A 55s20 do fi­nal do jo­go, Pedro Bas­tos fez um lan­ça­men­to opor­tu­no, após um con­tra­a­ta­que "ful­mi­nan­te".

O ges­to do ex­tre­mo-ba­se mi­li­tar ofus­cou a pre­ten­são da equi­pa do Ei­xo-viá­rio, que co­me­çou bem o jo­go. No fi­nal do pri­mei­ro quar­to, o Pe­tro de Luanda ven­cia por 21-17, re­sul­tan­te da boa de­fe­sa e boa di­nâ­mi­ca no jo­go ofen­si­vo. O pe­que­no e gran­de Chil­de Ndun­dão des­ta­cou-se com "boa exi­bi­ção".

No se­gun­do quar­to, os pu­pi­los de La­za­re Adin­go­no es­ta­vam dis­pos­tos a dominar o jo­go. Um "ti­me out" da equi­pa mi­li­tar ba­ra­lhou as con­tas do ei­xo­viá­rio. Pau­lo Ma­ce­do cha­mou a equi­pa e es­ta­be­le­ceu no­va es­tra­té­gia de abor­da­gem do jo­go. A in­ver­são das re­gras de jo­go foi a ordem. Os pos­tes Fe­li­zar­do Am­bró­sio e Edu­ar­do Min­gas as­sal­ta­ram as ta­be­las dos pe­tro­lí­fe­ros. No fi­nal, as equi­pas saí­ram equi­pa­das a 48 pon­tos.

Após o in­ter­va­lo mai­or, os ra­pa­zes do Rio Se­co en­tra­ram de­ter­mi­na­dos a anu­lar as in­ves­ti­das dos ad­ver­sá­ri­os. Os mi­li­ta­res dei­xa­ram sem so­lu­ções o trei­na­dor dos pe­tro­lí­fe­ros, La­za­re Adin­go­no. À se­me­lhan­ça de adep­tos, as­sis­tiu à fu­ga do re­sul­ta­do.

Pa­ra com­pen­sar o es­for­ço do gru­po em cam­po, so­li­ci­tou um "ti­me out" a cin­co mi­nu­tos do fi­nal da par­ti­da. Con­ver­sou com os atle­tas. Le­o­nel Pau­lo e Jo­sé An­tó­nio ten­ta­ram in­ver­ter o ru­mo da his­tó­ria do jo­go. Os es­for­ços go­ra­ram em na­da. O 1º de Agos­to era uma equi­pa bem ar­ru­ma­da e mo­ti­va­da pa­ra a vi­tó­ria.

No jo­go pe­tro­lí­fe­ro, um se­não me­xeu com os adep­tos. La­za­re Adin­go­no jo­gou se­te mi­nu­tos sem um ba­se nato. A si­tu­a­ção dei­xou des­con­ten­tes a mas­sa as­so­ci­a­ti­va. A sen­ten­ça che­gou com o tri­plo do ba­se mi­li­tar Pedro Bas­tos.

O Pe­tro de Luanda pa­gou ca­ro pe­los ex­ces­sos de er­ros de­fen­si­vos, per­das de bo­la e des­con­cen­tra­ção em cam­po. Olím­pio Ci­pri­a­no, que mui­to se es­pe­ra­va de­le, es­te­ve lon­ge da sua for­ma ha­bi­tu­al. Em 32 mi­nu­tos, ano­tou ape­nas no­ve pon­tos e fez du­as as­sis­tên­ci­as.

Fe­li­zar­do Am­bró­sio foi o ma­es­tro da or­ques­tra mi­li­tar. Em trin­ta mi­nu­tos, ano­tou 20 pon­tos. O ba­se Her­me­ne­gil­do Santos fez 19 pon­tos.

A fal­ta de es­tra­té­gia de La­za­re Adin­go­no en­tris­te­ceu os adep­tos. O des­con­ten­ta­men­to es­ten­deu-se pa­ra fo­ra do cam­po.

Os tri­co­lo­res in­sur­gi­ram-se e ata­ca­ram a vi­a­tu­ra em que se­guia o pre­si­den­te do Pe­tro de Luanda, To­más Fa­ria.

Em re­ac­ção à vi­tó­ria, Pau­lo Ma­ce­do fe­li­ci­tou os ra­pa­zes e pe­diu mais res­pei­to pelo tra­ba­lho dos trei­na­do­res na­ci­o­nais. Nou­tro ex­tre­mo, La­za­re Adin­go­no re­co­nhe­ceu a su­pe­ri­o­ri­da­de do ad­ver­sá­rio e as­su­miu os er­ros dos ra­pa­zes. Pro­me­teu mais tra­ba­lho e es­tá fe­liz com o plan­tel.

Em qua­tro jo­gos dis­pu­ta­dos na pre­sen­te épo­ca, o 1º de Agos­to le­va van­ta­gem de três vi­tó­ri­as con­tra uma do Pe­tro de Luanda. Os mi­li­ta­res li­de­ram o Uni­tel Bas­ket com 17 pon­tos, mais um que o Pe­tro de Luanda em se­gun­do lu­gar.

Pedro Bas­tos foi de­ter­mi­nan­te na vi­tó­ria dos mi­li­ta­res

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.