Girabola es­tá ao ru­bro

Jornal dos Desportos - - ABERTURA -

OCam­pe­o­na­to na­ci­o­nal de fu­te­bol da pri­mei­ra di­vi­são, re­gis­ta uma re­nhi­da dis­pu­ta, qu­an­to às po­si­ções ci­mei­ras. As for­ma­ções do 1º de Agos­to, Des­por­ti­vo da Huí­la e Pe­tro de Lu­an­da tra­vam uma es­pé­cie de ba­ta­lha cam­pal pe­la li­de­ran­ça, tal é pois, a de­ter­mi­na­ção por es­tas evi­den­ci­a­das. O Ka­bus­corp do Pa­lan­ca, por sua vez, não fi­ca dis­tan­te. Na ver­da­de, é es­te equi­lí­brio na dis­pu­ta que con­fe­re in­te­res­se e sus­pen­se a qual­quer tor­neio, por­que mui­tas ve­zes o do­mí­nio ab­so­lu­to de um, re­ti­ra a be­le­za que o pú­bli­co es­pe­ra da com­pe­ti­ção. Por­tan­to, não sig­ni­fi­ca que os tro­pe­ços que o cam­peão na­ci­o­nal te­ve, nos te­nham agra­da­do. Em com­pe­ti­ção é as­sim. Qu­em tro­pe­ça fa­ci­li­ta a con­cor­rên­cia. Hou­ve uma de­ter­mi­na­da fa­se, em que os mi­li­ta­res ti­nham uma re­la­ti­va van­ta­gem so­bre os ou­tros con­cor­ren­tes, po­rém, os su­ces­si­vos em­pa­tes que con­sen­tiu com o Pro­gres­so do Sam­bi­zan­ga, Re­cre­a­ti­vo do Li­bo­lo e Sau­ri­mo FC , abri­ram ca­mi­nho de as­cen­são às ou­tras equi­pas, que ba­se­a­ram-se no afo­ris­mo "no apro­vei­tar es­tá o ga­nho" é cla­ro que não des­per­di­ça­ram.

À saí­da da dé­ci­ma jor­na­da, as du­as tur­mas mi­li­ta­res (1º de Agos­to e Des­por­ti­vo da Huí­la) es­tão "ex-ae­quo" no to­po da clas­si­fi­ca­ção, so­mam 19 pon­tos, são se­gui­das de per­to pe­lo Pe­tro de Lu­an­da, que so­ma 17 pon­tos. Por­tan­to, os nú­me­ros ati­çam a com­pe­ti­ti­vi­da­de, pre­vê­se pa­ra as pró­xi­mas jor­na­das dis­pu­ta acér­ri­ma e cer­ta­men­te com pro­ces­so de re­ve­za­men­to na li­de­ran­ça.

Es­ta se­ma­na, o Pe­tro de Lu­an­da des­lo­ca-se à Ba­ma­ko, pa­ra de­fron­tar no sá­ba­do o Sta­de de Ma­li­en, pa­ra a Ta­ça da Con­fe­de­ra­ção. Es­te par­ti­cu­lar po­de al­te­rar as coi­sas no co­man­do, de­ve o 1º de Agos­to vol­tar a iso­lar-se, ca­so ven­ça o Re­cre­a­ti­vo da Caá­la, na des­lo­ca­ção ao Pla­nal­to Cen­tral. Os pe­tro­lí­fe­ros iam jo­gar com o Des­por­ti­vo da Huí­la, no que de­via ser um ver­da­dei­ro "ti­ra-tei­mas" da jor­na­da.

Com efei­to, o que se de­pre­en­de, ape­sar da de­ca­dên­cia de al­gu­mas equi­pas de to­po, por ra­zões que po­de ser que te­nha a sua ra­zão de ser, co­mo são os ca­sos do In­ter­clu­be e do Re­cre­a­ti­vo do Li­bo­lo, as ou­tras não per­de­ram o tim­bre de aguer­ri­das e for­tes can­di­da­tas ao tí­tu­lo. Mes­mo o Re­cre­a­ti­vo do Li­bo­lo dá si­nal de que tem al­gu­ma pa­la­vra a di­zer no pre­sen­te cam­pe­o­na­to.

De res­to, os três pon­tos que os se­pa­ram do 1º de Agos­to e do Des­por­ti­vo da Hui­la, não cons­ti­tu­em uma mar­gem de di­fe­ren­ça as­sus­ta­do­ra. Des­de que se fi­xem nos seus ob­jec­ti­vos e sai­bam, por ou­tro, apro­vei­tar as opor­tu­ni­da­des que apa­re­çam à fren­te, po­de lá che­gar. E, é já mui­to bom, qu­an­do o tí­tu­lo en­vol­va mais que du­as ou três equi­pas.

É cla­ro, que ain­da se es­tá a meio do cam­pe­o­na­to, não se des­cu­re a hi­pó­te­se de al­gu­mas equi­pas fra­cas­sa­rem e se ve­rem sem fô­le­go pa­ra às exi­gên­ci­as da se­gun­da vol­ta. En­tre­tan­to, va­mos es­pe­rar que is­so não acon­te­ça, te­nha­mos um cam­pe­o­na­to dis­pu­ta­do até ao li­mi­te, é afi­nal es­te que­si­to, que agra­da o pú­bli­co con­su­mi­dor do es­pec­tá­cu­lo.

Es­ta se­ma­na, o Pe­tro de Lu­an­da des­lo­ca-se à Ba­ma­ko, pa­ra de­fron­tar no sá­ba­do o Sta­de de Ma­li­en, pa­ra a Ta­ça da Con­fe­de­ra­ção.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.