Per­to do ob­jec­ti­vo!

Jornal dos Desportos - - ABERTURA -

Nu­ma ron­da, cu­jo ar­ran­que foi mar­ca­do por três em­pa­tes, o Pe­tro de Luanda foi fe­liz na des­lo­ca­ção a Ba­ma­ko, Ma­li, on­de apon­tou um go­lo no Es­tá­dio Ma­di­bo Kei­ta, fren­te ao Sta­de Ma­li­en lo­cal, que lhe po­de ser fa­vo­rá­vel nas con­tas pa­ra o aces­so à fa­se de gru­pos da Ta­ça da Con­fe­de­ra­ção. Com es­te re­sul­ta­do, a equi­pa do “ei­xo-viá­rio” fi­ca a 90 mi­nu­tos de ma­te­ri­a­li­zar o re­tor­no à fa­se de gru­pos da pro­va, o que já não acon­te­ce há 13 anos.

E co­mo se dis­se, sá­ba­do, no ar­ran­que des­ta der­ra­dei­ra eli­mi­na­tó­ria de aces­so aos gru­pos da se­gun­da mai­or pro­va de clu­bes da Con­fe­de­ra­ção Afri­ca­na de Fu­te­bol (CAF), des­ta­ca­ram-se os em­pa­tes. Além da par­ti­lha de pon­tos en­tre o Pe­tro e o Sta­de Ma­li­en, ve­ri­fi­ca­ram-se ain­da os em­pa­tes a uma bo­la en­tre o Afri­can Stars da Na­mí­bia e o Ra­ja de Ca­sa­blan­ca do Mar­ro­cos e a ze­ro bo­las en­tre Vi­pers do Ugan­da e Sfa­xi­en da Tu­ní­sia.

O úni­co so­bre­vi­ven­te an­go­la­no nas Afrotaças, is­to na sequên­cia do ines­pe­ra­do afas­ta­men­to do cam­peão em tí­tu­lo, 1º de Agos­to, na pri­mei­ra eli­mi­na­tó­ria da Li­ga dos Clu­bes Cam­peões, pô­de, efec­ti­va­men­te, vol­tar a con­quis­tar Áfri­ca.

Mas pa­ra tal, te­rá de ex­plo­rar o má­xi­mo pos­sí­vel a sua con­di­ção de an­fi­trião no jo­go do pró­xi­mo sá­ba­do, dia 19, no Es­tá­dio Na­ci­o­nal 11 de No­vem­bro, pa­ra re­pe­tir a proeza da edi­ção de 2006, ano em que se fez pre­sen­te pe­la úl­ti­ma vez na fa­se de gru­pos.

De lá pa­ra cá, o em­ble­ma tri­co­lor do “ei­xo-viá­rio” vem co­lec­ci­o­nan­do uma sé­rie de fra­cas­sos nes­sa se­gun­da mai­or com­pe­ti­ção de clu­bes a ní­vel con­ti­nen­tal. O Pe­tro te­rá, por as­sim di­zer, de fa­zer da ex­ce­lên­cia uma di­vi­sa nes­te jo­go da se­gun­da “mão”, pa­ra des­se mo­do le­var a água ao seu moi­nho com o pos­sí­vel re­tor­no à fa­se de gru­pos.

E o go­lo apon­ta­do por Vá em Ba­ma­ko po­de, de for­ma inequí­vo­ca, pe­sar na ba­lan­ça a fa­vor do Pe­tro, pois ca­so con­si­ga re­pe­tir a proeza em ca­sa, is­to obri­ga a que a for­ma­ção do Ma­li cor­ra atrás do pre­juí­zo. Qual­quer em­pa­te por mais de uma bo­la afas­ta o em­bai­xa­dor an­go­la­no da pos­si­bi­li­da­de de che­gar à fa­se dos gru­pos.

Por is­so, o me­lhor dos ce­ná­ri­os que po­de acon­te­cer e que fa­vo­re­ce a equi­pa an­go­la­na é a vi­tó­ria ou, na pi­or das hi­pó­te­ses, um em­pa­te sem go­los. Mas ain­da as­sim, es­ta­mos em crer que o téc­ni­co Be­to Bi­an­chi tem ple­na cons­ci­ên­cia das res­pon­sa­bi­li­da­des que lhe re­ser­vam es­te se­gun­do jo­go, daí que te­rá de ar­mar um es­que­ma ca­paz de con­tra­por aos in­ten­tos da for­ma­ção do Sta­de Ma­li­en.

Ati­tu­de e de­ter­min­ção é o que se re­co­men­da aos pu­pi­los de Be­to Bi­an­chi no jo­go do pró­xi­mo dia 19. O res­to vem por acrés­ci­mo

E pa­ra is­so, o pú­bli­co sur­ge aqui tam­bém co­mo um im­por­tan­te fac­tor, que po­de aju­dar o em­ble­ma tri­co­lor a cor­tar a me­ta a fren­te da tur­ma ma­li­a­na, nes­te der­ra­dei­ro du­e­lo de aces­so à fa­se de gru­pos da Ta­ça da Con­fe­de­ra­ção.

Ati­tu­de e de­ter­min­ção é o que se re­co­men­da aos pu­pi­los de Be­to Bi­an­chi, no jo­go do pró­xi­mo dia 19. O res­to vem por acrés­ci­mo. Con­tu­do, é im­por­tan­te não per­der o fo­co pa­ra a ba­li­za ad­ver­sá­ria, pois só sim o Pe­tro po­de­rá sair do de­sa­fio a sor­rir e as­si­na­lar mais uma pre­sen­ça na fa­se de gru­pos da Ta­ça da Con­fe­de­ra­ção. Te­mos de acre­di­tar!...

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.