DE­FE­SA PRE­O­CU­PA TÉC­NI­COS DO DES­POR­TI­VO

Jornal dos Desportos - - PORTADA - GH

A de­fe­sa é o sec­tor que mais pre­o­cu­pa a equipa téc­ni­ca do Clu­be Des­por­ti­vo da Huíla, se­gun­do o trei­na­dor -ad­jun­to, Hél­der Cruz, cu­ja for­ma­ção em­pa­tou, no sá­ba­do, a du­as bo­las, no jo­go com a equipa do Wiliete Sport Clu­be de Ben­gue­la, na pre­pa­ra­ção pa­ra os com­pro­mis­sos que se avi­zi­nham.

Hél­der Cruz afir­mou, que o amis­to­so ser­viu pa­ra ti­rar ila­ções, da­do que o Des­por­ti­vo da Huíla tem um de­sa­fio fo­ra de ca­sa ex­tre­ma­men­te di­fí­cil com o Re­cre­a­ti­vo do Li­bo­lo, na quar­ta jor­na­da do campeonato. Por is­so, os mi­li­ta­res hui­la­nos têm de tra­ba­lhar por­que não po­dem es­tar a pe­car no sec­tor de­fen­si­vo e a so­frer mui­tos golos.

“Te­mos de tra­ba­lhar os pro­ces­sos de­fen­si­vos, pa­ra que não acon­te­çam re­sul­ta­dos que es­tão fo­ra da nos­sa ex­pec­ta­ti­va”, avan­çou.

A in­ten­ção dos mi­li­ta­res da Re­gião Sul, acla­rou Hél­der Cruz, é ga­nhar jo­go após jo­go pa­ra con­quis­tar os três pon­tos. Por is­so, es­tão a tra­ba­lhar pa­ra con­tra­ri­ar o Re­cre­a­ti­vo do Li­bo­lo, uma equipa mui­to for­te, ex­pe­ri­en­te, que foi cam­peã na­ci­o­nal e sa­be com­por­tar-se qu­an­do jo­ga em ca­sa.

Com três jor­na­das já re­a­li­za­das, re­ve­lou o trei­na­dor -ad­jun­to do Des­por­ti­vo da Huíla, a pre­o­cu­pa­ção con­sis­te em jo­gar fo­ra de ca­sa e ad­mi­tiu que pos­sui um con­jun­to jo­vem que es­tá no pro­ces­so ain­da de for­ma­ção.

“Te­mos de ter mui­to cui­da­do, por­que são jo­vens e aca­bam por cair no que não faz par­te da nos­sa ideia de jo­go. En­tão, es­ta­mos pre­o­cu­pa­dos, prin­ci­pal­men­te, qu­an­do jo­ga­mos fo­ra de ca­sa, por­que sa­be­mos que é ex­tre­ma­men­te di­fí­cil”, fri­sou.

Ape­sar dis­so, Hél­der Cruz ma­ni­fes­tou-se con­ven­ci­do, por pos­suir uma equipa que vai ten­tar fa­zer sem­pre o me­lhor, pa­ra dar ale­gria ao pú­bli­co hui­la­no que tan­to me­re­ce.

O téc­ni­co -ad­jun­to de Má­rio So­a­res, es­te último cum­pre uma sus­pen­são fe­de­ra­ti­va de 21 di­as, va­ti­ci­nou que o jo­go com o Re­cre­a­ti­vo do Li­bo­lo, re­fe­ren­te à 4ª jor­na­da do Gi­ra­bo­la Zap 2019/2020, é ex­tre­ma­men­te di­fí­cil, por co­nhe­ce­rem aque­le campo.

“(O Re­cre­a­ti­vo do Li­bo­lo) É uma equipa que con­ta com uma mol­du­ra hu­ma­na que o apoia, do prin­cí­pio ao fim. Te­mos é de ter pa­ci­ên­cia e fa­zer um bom re­sul­ta­do. O Des­por­ti­vo da Huíla é uma equipa que qu­an­do en­tra em campo, o ob­jec­ti­vo é ga­nhar sem­pre. En­tão, o nos­so pen­sa­men­to ver­sa em tra­ba­lhar pa­ra de­fron­tar o Re­cre­a­ti­vo do Li­bo­lo, em Ca­lu­lo, pa­ra con­tra­ri­ar ao má­xi­mo o adversário e ob­ter uma vi­tó­ria”, as­se­gu­rou.

Hél­der Cruz avan­çou que ao lon­go da se­ma­na, da­do o jo­go, a pre­o­cu­pa­ção vai re­cair na par­te de­fen­si­va, pois, no amis­to­so efec­tu­a­do no sá­ba­do com o Wiliete de Ben­gue­la, so­fre­ram dois golos, o que é mau, por­que qu­an­do a equipa tra­ba­lha mui­to nos pro­ces­sos de­fen­si­vos, não po­de so­frer dois golos, prin­ci­pal­men­te, em ca­sa.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.