Ivo co­lo­ca pre­ven­ção em pri­mei­ro lu­gar

Téc­ni­co-ad­jun­to do 1º de Agos­to re­pro­vou a dis­pu­ta da 25ª jor­na­da na úl­ti­ma se­ma­na

Jornal dos Desportos - - FUTEBOL - JOR­GE NE­TO

Otéc­ni­co-ad­jun­to do 1º de Agos­to, Ivo Tra­ça, não an­te­vê gran­des con­sequên­ci­as com a pa­ra­gem do Gi­ra­bo­la Zap e co­lo­cou em pri­mei­ro lu­gar a pre­ven­ção, pois, só as­sim, se­rá pos­sí­vel evi­tar o au­men­to do con­tá­gio do Co­vid-19 e o con­tro­lo dos ca­sos já exis­ten­tes no país.

"Pen­so que não ha­ve­rá con­sequên­ci­as com a pa­ra­gem do cam­pe­o­na­to. Te­mos é que evi­tar o au­men­to da pan­de­mia que se alas­tra a ní­vel do mun­do, ou se­ja, não de­ve­mos dei­xar de abra­çar a lu­ta pe­lo fim da pan­de­mia", dis­se, on­tem, o ad­jun­to de Dra­gan Jovic, ao Jor­nal dos Des­por­tos.

O ad­jun­to de Dra­gan Jovic aplau­diu a de­ci­são do Mi­nis­té­rio da Saú­de e do Mi­nis­té­rio da Ju­ven­tu­de e Des­por­tos, em pa­ra­li­sar to­das as ac­ti­vi­da­des des­por­ti­vas no país, quer a ní­vel com­pe­ti­ti­vo, quer a ní­vel do trei­na­men­to.

"Fa­lan­do dos clu­bes, não de­vía­mos mes­mo trei­nar, por­que iría­mos jun­tar mui­tas pes­so­as e o fu­te­bol é um des­por­to de con­tac­to fí­si­co, en­tão, foi bem pa­rar­mos e ser­mos so­li­dá­ri­os co­mo to­do mun­do. É cer­to que es­tá­va­mos nu­ma fa­se de vi­tó­ri­as, mas o mais im­por­tan­te é a vi­da hu­ma­na, por is­so, a pa­ra­gem é bem-vin­da", re­for­çou Ivo Tra­ça.

De­vi­do o pe­río­do de qua­ren­te­na que os jo­ga­do­res atra­ves­sam, de­vi­do a pau­sa de 15 di­as que se ob­ser­va nas pro­vas in­ter­nas, a equi­pa téc­ni­ca ori­en­tou al­guns exer­cí­ci­os ca­sei­ros, de mo­dos a man­ter a con­di­ção fí­si­ca, pa­ra que os atle­tas não te­nham pro­ble­mas no re­gres­so da com­pe­ti­ção.

"Acho que vai ser di­fí­cil con­tro­lar os jo­ga­do­res, mas eles já têm ma­tu­ri­da­de su­fi­ci­en­te pa­ra ve­lar pe­la sua con­di­ção fí­si­ca. Nes­te mo­men­to, os jo­ga­do­res es­tão a tra­ba­lhar em ca­sa, alon­ga­men­to, exer­cí­ci­os de for­ça, com pou­ca in­ten­si­da­de e exer­cí­ci­os de re­ac­ção, por­que nes­ta pon­ta fi­nal da pro­va não se tra­ba­lha mui­to a in­ten­si­da­de. Eles têm ain­da que cum­prir com a di­e­ta ali­men­tar e o ho­rá­rio de des­can­so. Na­tu­ral­men­te bai­xa o rit­mo des­por­ti­vo, mas é uma si­tu­a­ção que to­dos va­mos ter que li­dar", su­bli­nhou o téc­ni­co­ad­jun­to mi­li­tar.

Ivo Tra­ça re­jei­tou a pos­si­bi­li­da­de da ho­mo­lo­ga­ção do cam­pe­o­na­to na­ci­o­nal, tal co­mo de­fen­dem al­gu­mas en­ti­da­des li­ga­das ao fu­te­bol, por não ha­ver igual­da­de no nú­me­ro de jor­na­das dis­pu­ta­das en­tre os dois can­di­da­tos ao tí­tu­lo.

"Eu não di­ria que sim, es­ta úl­ti­ma jor­na­da (25ª) não de­via ter si­do dis­pu­ta­da, mas é mui­to di­fí­cil res­pon­der a is­so, por­que o Pe­tro jo­gou e ao 1º de Agos­to não. O res­to va­mos é ge­rir até à al­tu­ra de se res­ta­be­le­cer as ac­ti­vi­da­des nor­mais. Acho que se is­so for a fun­do, os mer­ca­dos se­rão fe­cha­dos e ou­tros ser­vi­ços", ana­li­sou.

O por­ta-voz da equi­pa téc­ni­ca mi­li­tar de­fen­deu o re­gres­so das competiçõe­s, quan­do a si­tu­a­ção es­ti­ver to­tal­men­te con­tro­la­da.

"Acho que na Bi­e­lor­rús­sia o cam­pe­o­na­to es­tá a de­cor­rer, mas co­mo afri­ca­nos, nós te­mos pou­cos re­cur­sos, é me­lhor es­pe­rar­mos que a si­tu­a­ção vol­te ao nor­mal, pa­ra re­gres­sar­mos aos trei­nos e aos jo­gos. Nes­ta al­tu­ra é di­fí­cil ar­ris­car­mos a con­ti­nui­da­de do cam­pe­o­na­to", con­cluiu.

VIGAS DA PURIFICAÇíO| EDI­ÇÕES NOVEMBRO

Ad­jun­to de Dra­gan Jovic de­fen­de o re­gres­so do cam­pe­o­na­to com o con­tro­lo da pan­de­mia

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.