Su­ges­tão de pre­sen­tes

Super Fashion - - Índice - POR MA­RIA SAN­TOS

To­dos ado­ra­mos o Na­tal! E as cri­an­ças mui­to mais: é uma épo­ca de ma­gia, de so­nho, de ale­gria... mas tam­bém uma épo­ca em que mui­tos só pen­sam em re­ce­ber pre­sen­tes. O es­pí­ri­to con­su­mis­ta en­tra­nhou-se de tal for­ma que mui­tos miú­dos já não pe­dem, exi­gem mais e mais pren­das. Mas o Na­tal é mui­to mais do que is­so: é paz, amor, tem­po de fa­mí­lia, mas so­bre­tu­do a da­ta em que se co­me­mo­ra o nas­ci­men­to de Je­sus. Pa­ra que es­se es­pí­ri­to não de­sa­pa­re­ça, há mui­to que po­de­mos fa­zer pa­ra trans­mi­tir a ver­da­dei­ra es­sên­cia das festas às nos­sas cri­an­ças, des­de lo­go en­vol­vê-las na de­co­ra­ção da ca­sa e des­per­tá-las pa­ra a im­por­tân­cia dos en­con­tros fa­mi­li­a­res.

O PRESÉPIO E O NAS­CI­MEN­TO DE JE­SUS

Ex­pli­que aos seus fi­lhos que o dia 25 de De­zem­bro é o dia em que se co­me­mo­ra o nas­ci­men­to de Je­sus e o que ele re­pre­sen­ta pa­ra a Hu­ma­ni­da­de. E leia-lhe his­tó­ri­as so­bre es­se acon­te­ci­men­to. Uma for­ma das cri­an­ças per­ce­be­rem me­lhor a his­tó­ria, bem como co­nhe­ce­rem as su­as prin­ci­pais per­so­na­gens é atra­vés do presépio. Trans­for­me o mo­men­to de com­por o presépio num mo­men­to de fa­mí­lia, en­quan­to ex­pli­ca às cri­an­ças quem é cada uma das fi­gu­ras, des­de o Me­ni­no Je­sus a Ma­ria e Jo­sé, pas­san­do pe­los Reis Ma­gos vin­dos do Ori­en­te gui­a­dos pela es­tre­la. Se qui­ser, po­de com­prar um presépio ba­ra­to com pe­que­nas fi­gu­ras, pa­ra que os miú­dos pos­sam brin­car com ele.

HIS­TÓ­RI­AS E MÚ­SI­CAS DE NA­TAL

Apro­vei­te a épo­ca das festas pa­ra ler às su­as cri­an­ças. Li­te­ra­tu­ra com te­má­ti­ca na­ta­lí­ci­as, que ex­pli­cam a im­por­tân­cia da ma­gia de acre­di­tar é o que não fal­ta. E, ao mes­mo tem­po que lhes in­cu­te o es­pí­ri­to da qua­dra, es­ta­rá tam­bém a fo­men­tar o in­te­res­se pela lei­tu­ra. Ou­tra for­ma de man­ter ace­so o es­pí­ri­to na­ta­lí­cio é ou­vi­rem e can­ta­rem mú­si­cas de Na­tal em fa­mí­lia. As cri­an­ças, em re­gra, apren­dem es­sas can­ções na es­co­la, e fi­ca­rão mui­to con­ten­tes se os pais as can­ta­rem com eles em ca­sa.

ÁR­VO­RE DE NA­TAL

Uma das ati­vi­da­des de Na­tal pre­fe­ri­das das cri­an­ças - e tam­bém dos adul­tos, é pre­ci­so con­fes­sar - é mon­tar a ár­vo­re de Na­tal! É um da­que­les mo­men­tos que jun­ta to­da a fa­mí­lia e não há quem não quei­ra co­lo­car uma bo­la ou uma fi­ta. E to­dos lu­tam por co­lo­car a es­tre­la no to­po da ár­vo­re! Des­fru­tem des­se mo­men­to em fa­mí­lia e fa­ça sen­tir às cri­an­ças que a aju­da de­las foi es­sen­ci­al pa­ra al­can­ça­rem o re­sul­ta­do que a to­dos or­gu­lha. Mas há mui­to mais ati­vi­da­des on­de po­de en­vol­vê-las além da de­co­ra­ção da ca­sa. Cha­me-os tam­bém pa­ra a co­zi­nha quan­do es­ti­ver a pre­pa­rar os do­ces tra­di­ci­o­nais da qua­dra e dei­xe-os su­ja­rem-se de fa­ri­nha e mas­sa. Vai ser di­ver­ti­do e mui­to di­dá­ti­co no sen­ti­do de apren­de­rem que a noite da Con­so­a­da não é ape­nas es­tar à espera que o Pai Na­tal tra­ga as pren­das à meia-noite.

LIS­TA DE PREN­DAS LIMITADA

Quan­do os seus fi­lhos es­cre­ve­rem a car­ta ao Pai Na­tal, di­ga-lhes que não po­dem pe­dir es­te mun­do e o outro de pren­das. Es­ta­be­le­ça um li­mi­te ra­zoá­vel e ex­pli­que-lhes que o Na­tal é mui­to mais do que is­so; que as pes­so­as ofe­re­cem pren­das a pes­so­as es­pe­ci­ais pa­ra mos­tra­rem o quan­to gos­tam de­las e não pa­ra "com­pra­rem" o seu amor ou ami­za­de. E ain­da mais im­por­tan­te: que o que re­al­men­te con­ta é a in­ten­ção e não a quan­ti­da­de ou o va­lor dos pre­sen­tes, lem­bran­do-lhe tam­bém que mui­tas cri­an­ças do mun­do não vão ter um úni­co em­bru­lho pa­ra abrir, nem se­quer um ár­vo­re de Na­tal. Se ti­ver tem­po, po­dem igual­men­te fa­bri­car al­gu­mas das pren­das que vão ofe­re­cer e es­cre­ve­rem jun­tos os pos­tais de Na­tal.

EM FA­MÍ­LIA

O Na­tal é um tem­po de fa­mí­lia. Mes­mo aque­les que não se vêem du­ran­te o ano fazem ques­tão de se jun­tar nes­ta qua­dra. Mas an­tes da noite da Con­so­a­da ou do Dia de Na­tal enal­te­ça es­se es­pí­ri­to e pas­sem mais tem­po jun­tos em fa­mí­lia. Sai­am à rua pa­ra ver as lu­zes de Na­tal, as ár­vo­res que se vão fa­zen­do nas ci­da­des, vão ao te­a­tro ou ao ci­ne­ma, por­que nes­ta al­tu­ra há sem­pre no­vos fil­mes e pe­ças com te­má­ti­ca na­ta­lí­cia. E di­vir­tam-se!

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.