Cri­vel­la na ber­lin­da

Agora - - Editorial -

Num ver­da­dei­ro cir­co, a Câ­ma­ra Mu­ni­ci­pal do Rio de Ja­nei­ro re­cu­sou na quin­ta-fei­ra (12) dois pe­di­dos de aber­tu­ra de pro­ces­so de im­pe­a­ch­ment con­tra o pre­fei­to Mar­ce­lo Cri­vel­la (PRB).

Os re­que­ri­men­tos fo­ram apre­sen­ta­dos pe­lo PSOL e pe­lo ve­re­a­dor Áti­la Nu­nes (MDB), de­pois de o jornal O Glo­bo ter pu­bli­ca­do con­teú­do de áu­di­os gra­va­dos du­ran­te en­con­tro do pre­fei­to com pas­to­res e lí­de­res de igre­jas evan­gé­li­cas.

Na reu­nião, Cri­vel­la se com­por­tou mais co­mo de ir­mão de fé do que co­mo au­to­ri­da­de. Fa­lou em fa­ci­li­tar o aces­so de fiéis a ci­rur­gi­as em hos­pi­tais pú­bli­cos e pro­me­teu dar ra­pi­dez a plei­tos de isen­ção de co­bran­ça de IPTU em be­ne­fí­cio de igre­jas.

É cla­ro que ele tem di­rei­to a sua cren­ça. Mas um pre­fei­to, co­mo qual­quer ou­tro go­ver­nan­te, não po­de pri­vi­le­gi­ar nin­guém por es­se mo­ti­vo.

Com equí­vo­cos des­se ti­po, Cri­vel­la tem dei­xa­do flan­co aber­to pa­ra a oposição, que apro­vei­tou a opor­tu­ni­da­de do escândalo pa­ra uma ofen­si­va ba­ru­lhen­ta, mas pou­co con­se­quen­te.

Não hou­ve acor­do so­bre o im­pe­a­ch­ment nem mes­mo en­tre as si­glas con­trá­ri­as à ad­mi­nis­tra­ção. O PSOL apoi­ou. O PT, não.

A ten­ta­ti­va de afas­tar um go­ver­nan­te elei­to pa­re­ce de fa­to exa­ge­ra­da di­an­te das cir­cuns­tân­ci­as. Em­bo­ra as ati­tu­des de­le se­jam re­pro­vá­veis, o impedimento é uma so­lu­ção trau­má­ti­ca que só de­ve ser apli­ca­da em ca­sos ex­tre­mos.

Ma­ni­fes­tan­tes fa­vo­rá­veis e con­trá­ri­os à pro­pos­ta com­pa­re­ce­ram à ses­são, que re­gis­trou en­tre ou­tros mo­men­tos de­plo­rá­veis o ve­re­a­dor evan­gé­li­co Oto­ni de Pau­la (PSC) fa­zen­do ges­tos ofen­si­vos aos opo­nen­tes e à co­mu­ni­da­de LGBT.

Não foi, por cer­to, uma jor­na­da das mais fe­li­zes.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.