Me­nos pa­pe­la­da

Agora - - Editorial - Pre­si­den­te: Editor Res­pon­sá­vel:

Foi apro­va­da uma lei que dis­pen­sa a exi­gên­cia de au­ten­ti­ca­ção em có­pi­as e re­co­nhe­ci­men­to de fir­mas na ad­mi­nis­tra­ção pú­bli­ca. Ago­ra, o pró­prio fun­ci­o­ná­rio que re­ce­be a do­cu­men­ta­ção e co­le­ta a as­si­na­tu­ra po­de dar fé de que os pa­péis são au­tên­ti­cos.

Sem dú­vi­da, é uma boa no­tí­cia, mas não exa­ta­men­te uma no­vi­da­de. Des­de o ano pas­sa­do já es­ta­va va­len­do um de­cre­to que de­ter­mi­na pra­ti­ca­men­te a mes­ma coi­sa.

De qual­quer mo­do, a ideia de fa­ci­li­tar a vi­da do ci­da­dão, cor­tan­do gas­tos des­ne­ces­sá­ri­os, é mui­to bem-vin­da. Num tem­po em que o di­gi­tal per­mi­te fa­zer qua­se tu­do, ini­ci­a­ti­vas as­sim de­ve­ri­am ser uma ob­ses­são tan­to do Exe­cu­ti­vo co­mo do Le­gis­la­ti­vo.

Mas o Bra­sil, in­fe­liz­men­te, ape­nas en­ga­ti­nha nes­se cam­po. E com tom­bos fre­quen­tes.

A ade­são da po­pu­la­ção à car­tei­ra de ha­bi­li­ta­ção ele­trô­ni­ca, por exem­plo, foi um fi­as­co. Os De­trans es­ta­vam co­bran­do ca­ro pa­ra a emis­são, em­bo­ra o cus­to de fa­zer o do­cu­men­to vir­tu­al se­ja bai­xo.

En­quan­to aqui ain­da é uma di­fi­cul­da­de apo­sen­tar os ve­lhos ca­rim­bos de car­tó­ri­os, há paí­ses, co­mo a pe­que­na Estô­nia, na Eu­ro­pa, em que o ci­da­dão já con­se­gue, pe­la in­ter­net, obter o re­gis­tro de iden­ti­da­de, vo­tar, re­ce­ber pres­cri­ções mé­di­cas, abrir e fe­char em­pre­sas, com­prar e ven­der imó­veis.

Tu­do is­so se faz com mui­to mais ra­pi­dez e se­gu­ran­ça do que pe­los mé­to­dos tra­di­ci­o­nais.

A ques­tão não é só de con­for­to, mas de eco­no­mia. Um ex-pre­si­den­te da Estô­nia es­ti­ma que a di­gi­ta­li­za­ção te­nha pou­pa­do al­go em tor­no de 2% da ren­da do país. É co­mo se o Bra­sil dei­xas­se de gas­tar qua­tro anos de Bol­sa Fa­mí­lia. Gru­po Fo­lha

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.