Es­tu­dan­te con­si­de­ra a mãe um ‘mons­tro’ por ser cha­ma­da de ‘li­xo’

Agora - - Nas Ruas - (AH)

Uma es­tu­dan­te de 14 anos afir­mou que “o pro­ble­ma de­la é mais es­pe­cí­fi­co”, pois a mãe, de­sem­pre­ga­da de 39 anos, a agri­de ver­bal­men­te. “Des­de que eu me lem­bro, ela tem pre­fe­rên­cia de fi­lho. Sem­pre me cha­ma de li­xo e de inú­til”, diz. A jo­vem tem du­as ir­mãs mais ve­lhas e um ir­mão mais no­vo.

Ela diz que a fal­ta de aten­ção da mãe a de­ses­ti­mu­lou pa­ra mui­tas coi­sas, le­van­doa de­sis­tir de es­tu­dar. Po­rém, por con­ta do tra­ba­lho de orientação do co­lé­gio, se ani­mou a vol­tar a es­tu­dar e ago­ra par­ti­ci­pa de to­da as ati­vi­da­des da uni­da­de de en­si­no, in­cluin­do mu­ti­rões de lim­pe­za. “Ado­ro es­tar aqui”, afir­ma.

Ela diz ain­da que foi as­se­di­a­da por um “ir­mão” da igre­ja que fre­quen­ta­va e que a mãe fi­cou do la­do do agres­sor. “Ele [as­se­di­a­dor] fa­lou que qu­e­ria tran­sar co­mi­go. Ele é ca­sa­do. Con­tei pa­ra meus pas­to­res e pa­ra mi­nha mãe, mas eles fi­ca­ram do la­do do ho­mem que me as­se­di­ou”, diz a jo­vem.

A ga­ro­ta afir­ma não amar a mãe. “Eu não amo ela mes­mo não, por­que ela não é mi­nha mãe, ela é um mons­tro”, diz.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.