Apo­sen­ta­do co­bra lom­ba­da na zo­na sul

Lei­tor afir­ma que ôni­bus pas­sam em al­ta ve­lo­ci­da­de na rua on­de mo­ra; ele quer uma lom­ba­da

Agora - - Cidadão - Ha­vo­le­ne va­li­nhos

O apo­sen­ta­do No­bu­mas­sa Fu­kay, 84 anos, da Vi­la Géa, San­to Ama­ro (zo­na sul), con­ta que os ôni­bus pas­sam em al­ta ve­lo­ci­da­de na rua Ar­nal­do Mag­nic­ca­ro, on­de ele mo­ra. Por is­so, o lei­tor so­li­ci­ta à CET (Com­pa­nhia de En­ge­nha­ria de Trá­fe­go) a im­plan­ta­ção de uma lom­ba­da na al­tu­ra do nú­me­ro 1.079 da via, em fren­te à sua ca­sa.

Po­rém, ele re­cla­ma que ain­da não foi aten­di­do.

O lei­tor re­la­ta que a rua faz a li­ga­ção en­tre as ave­ni­das Nos­sa Se­nho­ra do Sa­ba­rá e das Na­ções Uni­das e, por­tan­to, é uma via de trá­fe­go in­ten­so. “É mui­to mo­vi­men­ta­do. To­dos os di­as pas­sam vá­ri­as li­nhas de ôni­bus em al­ta ve­lo­ci­da­de. Sem­pre que o ôni­bus pas­sa, a mi­nha ca­sa tre­pi­da mui­to. Is­so ocor­re di­a­ri­a­men­te até à noi­te. Já co­me­ça­ram a apa­re­cer ra­cha­du­ras nas pa­re­des”, quei­xa-se o lei­tor à re­por­ta­gem do Ago­ra.

O apo­sen­ta­do afir­ma tam­bém que há uma es­co­la pró­xi­ma da via. “Es­sa rua é uma des­ci­da e, mes­mo as­sim, os mo­to­ris­tas vêm ‘vo­an­do’. Fi­co pre­o­cu­pa­do com os pe­des­tres de mo­do ge­ral que cir­cu­lam na via, co­mo es­tu­dan­tes, ido­sos e cri­an­ças. É um des­ca­so do poder pú­bli­co. Pe­ço a in­ter­ven­ção do De­fe­sa.” CET Tel.: 1188

Rob­son Ventura/folhapress/folhapress

No­bu­mas­sa Fu­kay na rua Ar­nal­do Mag­nic­ca­ro, on­de ele so­li­ci­ta que se­ja co­lo­ca­da uma lom­ba­da

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.