Agora : 2019-06-12

Primeira Página : 5 : 5

Primeira Página

Agora Nas Ruas A5 | QUARTA-FEIRA, 12 DE JUNHO DE 2019 Homem é assassinad­o por pedir para furar fila em supermerca­do Avião apreendido estava cheio de ouro A PF (Polícia Federal) apreendeu 111 quilos de ouro dentro de um avião monomotor em Goiânia (GO). A carga, que é avaliada em R$ 18 milhões, foi apreendida na segunda-feira (10). Uma denúncia anônima indicou que Um pedido para passar na frente de outro cliente e ser atendido no mercado para pagar um refrigeran­te teria sido o motivo para o assassinat­o de Ronaldo dos Santos Lima, 22 anos, na fila de um estabeleci­mento no bairro Bela Vista, em Marabá, sudeste do Pará, no último domingo (9). A vítima tinha ido com o cunhado, que não teve o nome divulgado, ao mercado comprar um refrigeran­te para almoçar quando foi atingido por dois tiros no abdômen disparados por outro cliente e morreu no hospital. Lima teria pedido ao suspeito, que estava com o carrinho cheio, para pagar antes de o caixa finalizar o registro das compras, mas o homem não teria gostado. um avião suspeito de transporta­r ouro ilegalment­e iria pousar no aeroporto de Goiânia. O passageiro do avião, que era dono do ouro, foi preso e autuado por crime ambiental e por usurpação de bem da União. ■ ■ (UOL) (UOL) Mãe de ator ao filho para tentar protegê-lo morreu abraçada Comerciant­e, por ciúme da filha, cometeu triplo homicídio domingo na zona sul e fugiu depois ALFREDO HENRIQUE Irmã diz que pais alertaram sobre riscos O ator Rafael Henrique Miguel, 22 anos, foi morto com um tiro na face, domingo (9), no bairro Pedreira (zona sul). A mãe tentou o proteger, abraçando o filho caído no chão, e foi assassinad­a sobre o corpo dele. Em seguida, o acusado, um comerciant­e, matou a tiros o pai do jovem e fugiu. A informação foi confirmada por um policial que investiga o caso. Uma policial militar que atendeu a ocorrência, afirmou, informalme­nte, que projéteis de pistola foram achados perto dos corpos. Paulo Cupertino Matias, 48, pai da namorada do ator, e acusado de matar a tiros o jovem e seus pais, Miriam Selma Miguel, 50, e João Alcisio Miguel, 52, no momento em que eles chegaram em frente à casa da família dela. O motivo do crime seria ciúmes da filha. Em depoimento na segunda-feira (10), Isabela Tibcherani Matias, 18, afirmou que o pai mantinha uma arma de fogo em casa há anos. Ela também afirmou que o pai descobriu o namoro, em 2018, após ler trocas de mensagens entre o jovem casal. Isabela disse ainda que o pai proibiu o relacionam­ento, alegando que o ator não era “uma pessoa de bem” apesar de “nunca ter conhecido ele pessoalmen­te”. Por conta da proibição, o casal teria rompido o namoro por cerca de oito meses. Eles reataram o relacionam­ento, segundo a polícia, um dia antes do crime. Isabela e Miguel se encontrara­m, instantes antes do triplo homicídio, em uma praça, perto da casa da namorada, de acordo com o depoimento. Os pais do ator foram os buscar dois e os levar à residência de Isabel, ainda segundo o relato dela. Ao chegarem na residência, o acusado se aproximou e, quando os pais de Miguel tentaram conversar, ele matou os três e fugiu. ■ Camilla Miguel, irmã do ator Rafael Miguel, revelou orientaçõe­s dos pais para proteger o filho e a namorada, Isabela Tibcherani, de possíveis reações do comerciant­e Paulo Cupertino, pai da garota e principal suspeito pelo assassinat­o de Rafael e seus pais no último domingo. Em entrevista ao programa “Balanço Geral”, da Record, Camilla disse que soube pela mãe, Miriam Selma Miguel, que o sogro de Rafael tinha comportame­nto possessivo com a filha. “O pai descobriu que eles estavam namorando, a proibiu de sair e ter acesso ao celular. Tudo que sei foram coisas que minha mãe me contou, porque meu irmão ficou muito mal na época e ela veio me contar”, contou ela. Segundo Camilla, seus pais tinham muito medo da presença ameaçadora de Cupertino e pediram para Rafael não expor os lugares onde encontrava Isabela. “Não se exponham, não fique em lugares esperando ela porque pode ser perigoso”, diziam os pais, segundo contou a irmã. Miriam, uma das três vítimas da tragédia de domingo, tentou tranquiliz­ar o pai da namorada sobre o namoro. “[Ela] disse que chegou a mandar mensagem do celular dela para o pai [de Isabela] ler e se tranquiliz­ar, de que éramos uma família boa”, disse. “Rafael e minha mãe contaram que ele era essa pessoa possessiva com a filha”, afirmou. O ator Rafael Miguel e a namorada, Isabela Tibcherani Matias, teriam reatado o relacionam­ento na véspera do triplo homicídio do último domingo, contou a jovem em depoimento, segundo disse a polícia Reprodução Facebook Carro usado para a fuga é encontrado A polícia encontrou, por volta das 16h desta terçafeira (11) na rua Batista Maciel (zona sul da capital paulista), o carro que teria sido usado na fuga pelo comerciant­e acusado de matar o ator de 22 anos e os pais do jovem. O caso é investigad­o pelo 98º DP (Jardim Miriam). O Volkswagen Up! vermelho é um veículo clonado, segundo a polícia e foi localizado a cerca de 21 quilômetro­s de distância do local onde ocorreu o triplo assassinat­o. Imagens de uma câmera de monitorame­nto mostram o acusado retornando ao local do crime, na madrugada desta terça, em um Chevrolet Corsa bege. Ele, segundo as imagens, deixa o veículo no local e, em seguida, tira uma picape Chevrolet Montana, de cor escura, de uma garagem e foge em seguida. Não foi confirmado em qual residência estava a caminhonet­e. ■ Paulo Cupertino Matias é procurado pela polícia desde domingo Reprodução sa Tibcherani de Camargo, 39, mulher do comerciant­e, afirmou, segundo um policial que acompanhou o depoimento, que o marido era violento com a família e que teria a agredido várias vezes, assim como a filha, Isabela Tibcherani Matias, namorada do ator assassinad­o. A esposa de Constantin­o não conversou com jornalista­s. A mulher ainda afirmou, segundo a polícia, que ele tinha um ciúme doentio da filha, a ponto de a impedir de sair de casa. O Volkswagen Up!, com placas clonadas, foi achado a cerca de 21 km do local do crime Alfredo Henrique/folhapress Fama Policiais civis e militares realizaram buscas na zona sul da capital paulista, além de em Embu Guaçu (Grande SP). A reportagem apurou que Matias conta com uma extensa ficha criminal. Ele foi indiciado por nove crimes, ocorridos entre 1990 e 1999. Segundo a SAP (Secretaria de Administra­ção Penitenciá­ria), gestão João Doria (PSDB), Matias cumpriu pena, por assalto a um carro forte, na Penitenciá­ria de São Vicente (93 km de SP), no litoral, entre setembro de 1993 e dezembro de 1994. Na segunda-feira, Vanes- O ator , que foi o personagem Paçoca, da novela infantil “Chiquitita­s”, do SBT e participou de novelas da Rede Globo, também ganhou fama por causa de um comercial em que aparecia brigando com a mãe para comer brócolis. (AH) (UOL e AH) Jovem morta no interior fez alerta pelo Twitter À polícia, suspeito diz que matou porque “queria saber como é” Na madrugada de domingo, ela tuitou que iria se encontrar com o jovem e que “se eu sumir/morrer, já sabe”. “Pensando melhor não sei se deveria ir na casa dele assim de primeira”, prosseguiu. Para a Polícia Civil, os tuítes revelam a premeditaç­ão do crime. Yasmin saiu no domingo à tarde dizendo aos pais que iria a um show no Sesc com amigos. Ela, no entanto, já sabia que iria para a casa do adolescent­e. Lá, ela foi enforcada e esquarteja­da. Partes do seu corpo foram espalhadas por três locais diferentes da cidade. Segundo a Polícia Civil, em depoimento, o jovem disse que matou Yasmin porque “queria saber como é” matar alguém. Ele afirmou que os dois se conheceram na noite de sábado e que a convidou para ir até a casa dele no dia seguinte. Na casa, que fica no Jardim das Hortênsias, ele aproveitou a ausência da mãe (que havia ido à igreja) e pediu que ela ficasse em pé e fechasse os olhos. O adolescent­e então aplicou um “mata-leão” até deixar Yasmin desacordad­a. Ela tentou resistir, ferindo o suspeito com uma facada na perna, ainda de acordo com a polícia. Em seguida, o garoto, no relato da polícia, levou a vítima até o banheiro, onde, usando uma faca, cortou partes de seu corpo com o chuveiro ligado para facilitar a limpeza do sangue. O rapaz contou ainda que adquiriu dicas de como fazer os cortes, e de usar o banheiro para o esquarteja­mento, em sites da deep web. O adolescent­e foi levado a uma unidade da Fundação Casa em São Carlos. A namorada dele, que teria ajudado a descartar os pedaços do corpo, também foi detida e encaminhad­a a uma unidade de internação da Fundação Casa em Franca. Nesta terça (11), o Corpo de Bombeiros faziam buscas para tentar localizar os restos do corpo. A estudante Yasmin da Silva Nery, 16 anos, morta e esquarteja­da por um adolescent­e de 17 anos no último domingo (9), em Araraquara (273 km de SP), manifestou a preocupaçã­o de se encontrar com o garoto em sua conta do Twitter horas antes do assassinat­o. ■ A estudante Yasmin da Silva Nery, morta aos 16 anos (Folha) Reprodução/facebook

© PressReader. All rights reserved.