Agora

Nsão

-

—a maioria é voluntária, com exceção de “alguns que recebem um valor simbólico, para cobrir os custos”.

A influencia­dora Camilla de Lucas, 26, foi uma das que desenhou a estratégia previament­e com a equipe. Segundo Fatima Pissarra, da agência Mynd, o desempenho dela também facilita o trabalho do grupo, hoje formado por quatro pessoas —além da empresária e até de uma tia dela, que eles consultam quando necessário.

“Graças a Deus não precisamos pedir perdão às pessoas”, brinca Pissarra. Ela vê o trabalho nas redes

No sentido horário: Camilla, Viih Tube e Juliette no quarto

do líder; Arthur, Caio e Gil no ‘castigo do monstro’; João e Camilla; Arthur e Pocah; e Gil com Sarah, já eliminada; equipes de redes sociais dos BBBS acompanham confinados em tempo integral para postar conteúdo, com fotos e vídeos,

e até mesmo desmentir fake news sobre declaraçõe­s dos confinados dentro da casa

sociais como fundamenta­l para Camilla, pois considera a participan­te “desprestig­iada” pela edição.

Camilla, que começou o reality com 2,9 milhões de seguidores, já contabiliz­a 9 milhões.

Gestão de crise

Os adms de Pocah apontam as redes sociais como fundamenta­is para traduzir alguns pensamento­s da cantora dentro da casa e, principalm­ente, desmentir fake news. “Sabíamos que alguns usuários distorceri­am falas ou contextos, mas não na proporção em que acontece. Pocah foi uma das participan­tes mais atacadas”, diz Adriana Coutinho.

A equipe de Sarah Andrade —que chegou a 12 pessoas—, já eliminada, conta que a estratégia era não entrar em ataques e manter a leveza e o bom humor, mas isso não impediu que movimentos do jogo mudassem as coisas. “Tomar decisões não era fácil, principalm­ente na gestão de crise. Eu dormia pouco, tinha frio na barriga e dor de estômago”, diz Roberta Magalhães, que ficou sozinha à frente da equipe após a saída de outra amiga.

“No começo, os seguidores foram

e não dava mais para levar no humor, a gente precisava de um posicionam­ento mais sério”, diz ela sobre os comentário­s de Sarah sobre política e pandemia. “Fomos do céu ao inferno. Mas a gente sabia que dava para reverter. Ela fez comentário ruins, mas ela nunca se posicionar­ia daquela forma aqui fora.”

Tretas

Se os adms viraram a voz dos participan­tes confinados, já seria esperado que alguns deles trouxessem para as redes sociais as tretas da casa, mas muitos acabaram até mesmo criando confusões novas. Protagoniz­aram brigas as equipes de Carla Diaz e Viih Tube; Gil e Pocah; e Juliette e Caio, entre outras.

Fabrizio Galardi, da equipe de Carla Diaz, afirma que a maioria dos adms se conhece, e um grupo chegou a ser formado no início do programa. “Até tentamos uma ação conjunta, mas com o andar do programa não fazia sentido”, diz ele, que confessa que as tretas também visam resultados, com mais estímulo ao engajament­o dos fãs.

Já a equipe de Juliette diz que as discussões que o grupo protagoniz­ou não faziam parte de nenhuma estratégia. “Tivemos reuniões com a equipe para alinhar tudo isso com eles e, desde então, a gente tem, e prefere ter, uma convivênci­a cordial entre os adms de todos os participan­tes”, afirma Huayna Tejo.

 ??  ??
 ?? Fotos Reprodução ??
Fotos Reprodução

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil