DAM­NED

ALMANAQUE DO ROCK - EDIÇÃO DE COLECIONADOR - - Quarta Era -

Quan­do aca­bou a Lon­don SS, a ban­da que nun­ca fez um en­saio se­quer mas foi mais im­por­tan­te pa­ra o punk in­glês que mui­tas ou­tras, Mick Jo­nes for­mou o The Clash e o gui­tar­ris­ta Bri­an Ja­mes se jun­tou ao ba­te­ris­ta Rat Sca­bi­es e o bai­xis­ta Cap­tain Sen­si­ble. O trio che­gou a ser em­pre­sa­ri­a­do por Mal­com McLa­ren com o no­me The Mas­ters Of The Back­si­de e até fez al­guns en­sai­os com Ch­ris­sie Hyn­de, fu­tu­ra­men­te do Pre­ten­ders, no vo­cal. Mas não deu cer­to e aí en­con­tra­ram o vo­ca­lis­ta (e ator) Dave Va­ni­an, que se tor­na­ria o di­fe­ren­ci­al do gru­po no pal­co, sem­pre apa­re­cen­do ves­ti­do co­mo o pró­prio Con­de Drá­cu­la. As­sim nas­ceu o Dam­ned. Com a mes­ma fe­ro­ci­da­de e mais ve­loz que o Pis­tols e o The Clash, foi o pri­mei­ro gru­po es­tri­ta­men­te punk in­glês a lan­çar um sin­gle, com a ex­plo­si­va New Ro­se. No iní­cio de 77, de­pois de mais um sin­gle com os pe­tar­dos Ne­at Ne­at Ne­at e Stab Your Back, tor­nou-se tam­bém o pri­mei­ro dos punks in­gle­ses a fa­zer um ál­bum in­tei­ro, o não me­nos ex­plo­si­vo Dam­ned Dam­ned Dam­ned, clássico ab­so­lu­to do pe­río­do. Em mar­ço de 78 o gru­po se dis­sol­veu pa­ra re­tor­nar no mes­mo ano, sem Ja­mes e com Sen­si­ble na gui­tar­ra e Algy Ward no bai­xo. A no­va for­ma­ção foi res­pon­sá­vel por um dos me­lho­res ál­buns punk já gra­va­dos, Ma­chi­ne Gun Et­ti­que­te, em que usam te­cla­dos e mos­tram um es­ti­lo úni­co. Na dé­ca­da de 80 o Dam­ned as­su­miu um es­ti­lo gó­ti­co e tem gra­va­do óti­mos ál­buns, mas o punk fi­cou pa­ra trás. Pa­ra o bem e pa­ra o mal...

Ál­buns es­sen­ci­ais

• Dam­ned Dam­ned Dam­ned (1977) • Ma­chi­ne Gun Et­ti­que­te (1979)

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.