Os bo­los e de­sa­fi­os de Ju­li­a­na Pa­es

Ana Maria - - RECADINHO DA REDAÇÃO - Fabricio Pellegrino

Há um mês no ar co­mo a bo­lei­ra Ma­ria da Paz de A Do­na do Pe­da­ço (Glo­bo), Ju­li­a­na Pa­es já mos­trou seu po­der de fo­go. Fez a au­di­ên­cia su­bir, caiu no gos­to po­pu­lar e dei­xa to­do mun­do com água na bo­ca quan­do sur­ge em ce­na com a mão li­te­ral­men­te na mas­sa pro­du­zin­do bo­los apa­ren­te­men­te de­li­ci­o­sos. Tu­do is­so é pos­sí­vel gra­ças ao ta­len­to e ca­ris­ma da atriz, cla­ro, as­so­ci­a­dos a um bri­lhan­te tra­ba­lho em equi­pe. Po­rém, uma be­la do­se de co­ra­gem de Ju­li­a­na foi de­ter­mi­nan­te pa­ra ela acei­tar o pa­pel. “Sem­pre fui mo­vi­da a de­sa­fi­os”, dis­se à jor­na­lis­ta Ana Bar­del­la, que acom­pa­nhou uma gra­va­ção da tra­ma em São Pau­lo. E Ju­li­a­na ain­da se emo­ci­o­na com a his­tó­ria da per­so­na­gem. “Em ca­da mu­lher exis­te uma Ma­ria da Paz que pre­ci­sou lar­gar uma fa­mí­lia, um pai, uma mãe... Que guar­dou uma dor em uma cai­xi­nha pa­ra ga­nhar a vi­da. Al­guém que não te­ve me­do de en­fren­tar um tra­ba­lho, tal­vez não tão gla­mou­ro­so, que não tem ver­go­nha de pe­gar no ba­ten­te. Acho es­sa men­sa­gem ven­ce­do­ra, lin­da”, de­cla­ra. Quer sa­ber mais? En­tão cor­ra pa­ra es­sa de­li­ci­o­sa entrevista e apro­vei­te pa­ra es­quen­tar o for­no. A re­pór­ter Kar­la Pre­ci­o­so con­se­guiu as receitas dos bo­los da Ma­ria da Paz pa­ra vo­cê fa­zer em ca­sa! Hummm... Bei­jos!

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.