NA­DA DEDESPERDÍ­CIO

A per­da não es­tá re­la­ci­o­na­da ape­nas às coi­sas ma­te­ri­ais e fi­nan­cei­ras. Lu­ci­a­no Sa­la­ma­cha, pro­fes­sor da FGV Ma­na­ge­ment, lis­ta os cin­co prin­ci­pais gas­tos des­ne­ces­sá­ri­os que de­ve­mos com­ba­ter di­a­ri­a­men­te pa­ra atin­gir bons re­sul­ta­dos no tra­ba­lho e, de que­bra,

Ana Maria - - CARREIRA - Jú­lia Ar­bex

1

A ener­gia é o com­bus­tí­vel que nos guia des­de quan­do acor­da­mos até a ho­ra de dor­mir, além de nos mo­ti­var a cor­rer atrás dos de­sa­fi­os diá­ri­os. Pa­ra o es­pe­ci­a­lis­ta, mui­tos pro­fis­si­o­nais gas­tam es­se gás to­do pa­ra cul­par o ou­tro quan­do al­go es­tá er­ra­do. Se vo­cê for as­sim, um con­se­lho: sim­ples­men­te pa­re, olhe pa­ra si mes­ma e fo­que em es­tra­té­gi­as pa­ra mu­dar o re­sul­ta­do. Evi­te tam­bém se apro­xi­mar de pes­so­as ne­ga­ti­vas, que fa­lam mal ou vi­vem re­cla­man­do da che­fia, dos co­le­gas, da em­pre­sa, da vi­da.

2

Em pe­río­dos de cor­re­ria, des­per­di­çar mo­men­tos po­de cus­tar mui­to ca­ro no fu­tu­ro. Por is­so, não dei­xe de fa­zer aque­le cur­so ou es­pe­ci­a­li­za­ção que é es­sen­ci­al pa­ra a sua car­rei­ra. In­vis­ta tam­bém na vi­a­gem que se­rá su­pe­rim­por­tan­te pa­ra a união da sua fa­mí­lia. Lem­bre-se: tem­po é al­go pre­ci­o­so!

3

es­so­as que des­de­nham da ami­za­de, do na­mo­ro, do ca­sa­men­to e das con­quis­tas do ou­tro es­tão des­per­di­çan­do re­la­ci­o­na­men­tos. Ou me­lhor: es­tão per­den­do in­di­ví­du­os bons e que po­dem agre­gar al­go po­si­ti­vo no fu­tu­ro. Por is­so, cul­ti­ve as ami­za­des sem­pre. Ar­ro­gân­cia e fal­ta de vi­são po­dem, de­fi­ni­ti­va­men­te, aca­bar com as me­lho­res re­la­ções.

4

An­tes de gas­tar di­nhei­ro, ve­ja se va­le a pe­na. Trace su­as pri­o­ri­da­des, faça um pla­no es­tra­té­gi­co e fi­que aten­ta se es­se pla­no pre­ci­sa de mu­dan­ças ao lon­go da exe­cu­ção. Fi­que sem­pre com sal­do po­si­ti­vo ca­so sur­jam emer­gên­ci­as.

5

Co­mo a gen­te sa­be se as opor­tu­ni­da­des que apa­re­cem em nos­sa vi­da são, de fa­to, bo­as? Se­gun­do Sa­la­ma­cha, pa­ra ava­li­ar, es­cre­va no pa­pel um pla­ne­ja­men­to pes­so­al. As­sim, fi­ca mais cla­ro em quais por­tas en­trar quan­do elas se abri­rem. Além dis­so, é im­por­tan­te se acon­se­lhar, di­zer su­as afli­ções e me­dos pa­ra uma pes­soa mais ex­pe­ri­en­te e em qu­em con­fie. Cui­da­do pa­ra não des­per­di­çar opor­tu­ni­da­des que po­de­ri­am ser a vi­ra­da na vi­da e na car­rei­ra.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.