Va­mos ti­rar o de­do dos ga­ti­lhos

Ana Maria - - RECADINHO DA REDAÇÃO -

Orit­mo de vi­da “pé no ace­le­ra­dor” no qual vi­ve­mos, mui­tas ve­zes, co­lo­ca a nos­sa saú­de em ris­co. E, tão gra­ve quan­to is­so, nos im­pe­de de per­ce­ber que al­guém ao nos­so re­dor es­tá do­en­te. Às ve­zes, por com­por­ta­men­tos fo­ra do ha­bi­tu­al, uma pes­soa gri­ta por so­cor­ro ao nos­so la­do e não per­ce­be­mos. Afi­nal, es­ta­mos no olho do fu­ra­cão das pres­sões co­ti­di­a­nas. O re­sul­ta­do des­sa fal­ta de tem­po pa­ra si mes­mo e pa­ra o ou­tro po­de con­tri­buir pa­ra um ín­di­ce já as­sus­ta­dor: se­gun­do a Or­ga­ni­za­ção Mun­di­al de Saú­de (OMS), 800 mil pes­so­as se sui­ci­dam por ano no mun­do. A cam­pa­nha Se­tem­bro Ama­re­lo lu­ta pa­ra re­ver­ter es­se qu­a­dro. Uma das ma­nei­ras de fa­zer is­so é pre­ve­nir o sui­cí­dio por meio da que­bra do pre­con­cei­to em re­la­ção às do­en­ças psi­quiá­tri­cas, co­mo de­pres­são. Nes­ta edi­ção, a ma­té­ria, com o mes­mo no­me da ação, es­cri­ta pe­la re­pór­ter Jú­lia Ar­bex apre­sen­ta um ver­da­dei­ro guia so­bre a ques­tão. No tex­to, vo­cê en­con­tra­rá in­for­ma­ções im­por­tan­tes pa­ra en­ten­der o as­sun­to de for­ma am­pla, com­pre­en­der quais são os ga­ti­lhos que le­vam al­guém a uma ati­tu­de tão drás­ti­ca e iden­ti­fi­car os si­nais de aler­ta do pro­ble­ma. A par­tir daí, olho aber­to pa­ra si mes­mo e pa­ra quem es­tá ao seu la­do. Boa lei­tu­ra! Bei­jos!

Fa­bri­cio Pel­le­gri­no

Quan­to mais re­a­li­za­ção pes­so­al hou­ver, me­nor se­rá a an­gús­tia da mor­te

Arthur Scho­pe­nhau­er

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.