Quan­do guar­dar os re­ci­bos de pa­ga­men­tos

A De­cla­ra­ção Anu­al de Qui­ta­ção de Dé­bi­tos me dis­pen­sa de guar­dar os com­pro­van­tes de pa­ga­men­tos e cer­ti­fi­ca que não há ne­nhum dé­bi­to an­te­ri­or?”

Ana Maria - - VOCÊ NO AZUL - A. S., por e-mail

“Em pri­mei­ro lu­gar, nem to­dos os com­pro­van­tes pre­ci­sam ser guar­da­dos pe­lo pra­zo de cin­co anos. O tem­po vai va­ri­ar de acor­do com a na­tu­re­za de ca­da com­pro­mis­so fi­nan­cei­ro”

Pa­ra se pre­ca­ver de se­rem co­bra­dos e pe­na­li­za­dos in­de­vi­da­men­te por al­go que já foi pa­go ou mes­mo re­cla­mar de pro­ble­mas em pro­du­tos ou ser­vi­ços com­pra­dos, mui­tos con­su­mi­do­res aca­bam acu­mu­lan­do uma gran­de quan­ti­da­de de pa­péis e com­pro­van­tes, que, além de ocu­pa­rem es­pa­ço, dão um tra­ba­lho tre­men­do pa­ra se­rem or­ga­ni­za­dos. Mas sai­ba que ter to­do es­se pa­pel guar­da­do, na mai­o­ria das ve­zes, não é ne­ces­sá­rio.

Em pri­mei­ro lu­gar, nem to­dos os com­pro­van­tes pre­ci­sam ser guar­da­dos pe­lo pra­zo de cin­co anos. O tem­po vai va­ri­ar de acor­do com a na­tu­re­za de ca­da com­pro­mis­so fi­nan­cei­ro. Por exem­plo: no­tas fis­cais, ter­mos de ga­ran­tia e ma­nu­ais de uso de bens du­rá­veis – ge­la­dei­ra, ce­lu­la­res, no­te­bo­ok – devem ser pre­ser­va­dos du­ran­te to­da a vi­da útil dos ob­je­tos. Já re­ci­bos de pa­ga­men­tos de se­gu­ros, por sua vez, po­dem ser des­car­ta­dos após um ano do fim da vi­gên­cia da apó­li­ce. Com re­la­ção aos re­ci­bos de qui­ta­ção de ser­vi­ços pú­bli­cos ou pri­va­dos, co­mo con­tas de água, ener­gia elé­tri­ca, te­le­fo­ne, IPTU, IPVA e com­pro­van­te de de­cla­ra­ção de im­pos­to de ren­da, a recomendaç­ão é que se­jam ar­ma­ze­na­dos por pe­lo me­nos cin­co anos.

Ape­sar dis­so, no ca­so das con­tas de ser­vi­ços con­ti­nu­a­dos, uma vez que o con­su­mi­dor re­ce­ba a de­cla­ra­ção anu­al de qui­ta­ção de dé­bi­to, ele po­de, sim, des­car­tar os re­ci­bos men­sais e man­ter ape­nas a de­cla­ra­ção pe­lo pra­zo de cin­co anos. A lei de­ter­mi­na que as pes­so­as ju­rí­di­cas en­vi­em o do­cu­men­to pa­ra o con­su­mi­dor até maio de ca­da ano. Ca­so o con­su­mi­dor não re­ce­ba o do­cu­men­to, po­de so­li­ci­tá-lo di­re­ta­men­te jun­to à em­pre­sa pres­ta­do­ra do ser­vi­ço.

MARCELA KAWAUTI apren­deu eco­no­mia na gra­du­a­ção da Uni­ver­si­da­de de São Pau­lo e no mes­tra­do da Fun­da­ção Ge­tú­lio Var­gas, além de ter mais de dez anos de ex­pe­ri­ên­cia. É eco­no­mis­ta-che­fe do SPC Brasil e co­la­bo­ra­do­ra do por­tal de Edu­ca­ção Fi­nan­cei­ra Meu Bol­so Fe­liz. En­vie su­as per­gun­tas pa­ra Marcela Kawauti pe­lo e-mail ana­ma­[email protected]­lei­tor.com.br

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.