PÓS-MODERNISMO

5 FON­TES PA­RA COM­PRE­EN­DER A PERS­PEC­TI­VA PÓS-MO­DER­NA

Aventuras na Historia - - PARA ENTENDER -

1

ÉTI­CA PÓSMODERNA,

Zyg­munt, Bau­man – 1993 So­ció­lo­go que é referência no as­sun­to, Bau­man es­tu­da aqui a ques­tão da éti­ca den­tro da pers­pec­ti­va pós-mo­der­na, fu­gin­do da mo­ra­li­da­de. O li­vro res­pon­de às mai­o­res ques­tões do mo­vi­men­to, co­mo es­ta: “Será que no pós­mo­der­no a es­té­ti­ca subs­ti­tui a éti­ca?”.

2

A CON­DI­ÇÃO PÓS-MO­DER­NA: UM RE­LA­TÓ­RIO SO­BRE CO­NHE­CI­MEN­TO,

Je­an-fran­çois Lyo­tard – 1979

Nes­te li­vro já clás­si­co, o au­tor ana­li­sa a pós-mo­der­ni­da­de a par­tir de um pon­to de vis­ta que co­lo­ca um fim de­fi­ni­ti­vo nas me­ta­nar­ra­ti­vas. Lyo­tard de­fen­de que as gran­des nar­ra­ti­vas – co­mo o mar­xis­mo e o ilu­mi­nis­mo – se­ri­am in­sus­ten­tá­veis na era da co­mu­ni­ca­ção em massa. 3

IDEN­TI­DA­DE CUL­TU­RAL NA PÓSMODERNI­DADE,

Stu­art Hall – 1992 Ex­tre­ma­men­te di­dá­ti­co, o li­vro in­ves­ti­ga co­mo o ho­mem se en­cai­xa cul­tu­ral­men­te na mo­der­ni­da­de tar­dia. “Exis­te uma cri­se de iden­ti­da­de nes­sa era?” O de­ba­te se de­sen­vol­ve a par­tir des­sa gran­de in­ter­ro­ga­ção, que tan­to afli­ge os es­tu­di­o­sos do pós-modernismo.

4

NO IN­TEN­SO AGO­RA,

João Mo­rei­ra Sal­les – 2017

O do­cu­men­tá­rio com­bi­na ima­gens e mo­men­tos do ano em­ble­má­ti­co de 1968 – mar­co de­ci­si­vo pa­ra o iní­cio de um con­cei­to de pós-modernismo. O ano fi­cou mar­ca­do pe­las lu­tas de vá­ri­os gru­pos re­pre­sen­ta­ti­vos de mi­no­ri­as – qu­an­do são re­co­nhe­ci­dos mo­vi­men­tos que vi­sam à iden­ti­da­de, co­mo o fe­mi­nis­ta, ne­gro, in­dí­ge­na, LGBT, en­tre ou­tros. 5

PÓSMODERNI­SMO, RAZÃO E RE­LI­GIÃO, Er­nest Gell­ner – 1992

Nesta obra, o au­tor faz uma aná­li­se di­vi­di­da em três gran­des tra­di­ções con­tem­po­râ­ne­as de pen­sa­men­to: o fun­da­men­ta­lis­mo as­so­ci­a­do à re­li­gião, (que acre­di­ta em uma ver­da­de úni­ca; o re­la­ti­vis­mo, que aban­do­na a ideia da ver­da­de úni­ca; e aque­le que re­cor­re a nor­mas me­to­do­ló­gi­cas – e não a uma con­vic­ção es­sen­ci­al.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.