PT de­sa­fia a Jus­ti­ça e apos­ta tu­do na can­di­da­tu­ra de Lu­la

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

De­sa­fi­an­do a Jus­ti­ça, al­guns mar­que­tei­ros e até o que res­tou de opo­si­ção in­ter­na, o PT cum­priu o anun­ci­a­do há me­ses e re­gis­trou o ex-pre­si­den­te Luiz Iná­cio Lu­la da Sil­va, pre­so em uma car­ce­ra­gem da Po­lí­cia Fe­de­ral em Cu­ri­ti­ba, co­mo o seu can­di­da­to à Pre­si­dên­cia da Re­pú­bli­ca. Tra­ta-se de uma can­di­da­tu­ra in­cer­ta, cu­jo des­fe­cho mais pro­vá­vel se­ja ter­mi­nar com a re­ti­ra­da de Lu­la da cha­pa em bre­ve, por ter sua can­di­da­tu­ra im­pug­na­da por con­ta de uma con­de­na­ção em se­gun­da ins­tân­cia pe­los cri­mes de la­va­gem de di­nhei­ro e cor­rup­ção pas­si­va.

O ro­tei­ro já co­me­çou a ser seguido nes­ta pró­pria quar­ta-fei­ra. Ra­quel Dod­ge, a pro­cu­ra­do­ra-ge­ral que tam­bém é o mais al­to car­go do Mi­nis­té­rio Pú­bli­co Elei­to­ral, pe­diu que o TSE (Tri­bu­nal Su­pe­ri­or Elei­to­ral) im­pug­ne a can­di­da­tu­ra de Lu­la. Tu­do is­so ape­nas ho­ras de­pois de 10.000 (con­for­me a po­lí­cia) a 50.000 (se­gun­do os or­ga­ni­za­do­res) de mi­li­tan­tes e mem­bros de mo­vi­men­tos so­ci­ais ca­mi­nha­rem cer­ca de seis quilô­me­tros pe­las ru­as de Bra­sí­lia até a fren­te do tri­bu­nal, para que Fer­nan­do Had­dad, vi­ce ofi­ci­al da cha­pa, Ma­nu­e­la D´ávi­la, a vi­ce não ofi­ci­al, e a pre­si­den­ta do par­ti­do, Glei­si Hoff­mann, e a ex-pre­si­den­ta Dil­ma Rous­seff fi­zes­sem o re­gis­tro da cha­pa do ex-pre­si­den­te.

Com es­se ges­to do PT e com a con­tra­o­fen­si­va de Dod­ge, co­me­çou a con­tar o pra­zo para que os pe­di­dos de im­pug­na­ção de can­di­da­tu­ra se­jam ava­li­a­dos pe­los ór­gãos com­pe­ten­tes, uma cor­ri­da que no TSE ter­mi­na, no má­xi­mo, em 17 de se­tem­bro. A per­gun­ta que fi­ca ago­ra é: até quan­do o par­ti­do es­ti­ca­rá a cor­da lu­tan­do por re­cur­sos, in­clu­si­ve para além do TSE e re­cor­ren­do ao Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral, e que con­sequên­ci­as is­so te­rá para as chan­ces de su­ces­so na cam­pa­nha de seu vi­ce Had­dad, ti­do co­mo pla­no B.

Pe­la Lei da Fi­cha Lim­pa, os con­de­na­dos por tri­bu­nais co­le­gi­a­dos não po­dem con­cor­rer à elei­ção. Mas os de­fen­so­res do ex-pre­si­den­te en­ten­dem que ele po­de­ria, sim, dis­pu­tar o plei­to. Tan­to que, nos do­cu­men­tos en­vi­a­dos ao tri­bu­nal in­for­ma­ram que ele é fi­cha lim­pa, já que não pos­sui ne­nhu­ma con­de­na­ção ju­di­ci­al em São Pau­lo, o Es­ta­do em que tem do­mi­cí­lio elei­to­ral. Sua con­de­na­ção ocor­reu na Jus­ti­ça Fe­de­ral em Cu­ri­ti­ba, onde res­pon­de a um dos pro­ces­sos da ope­ra­ção La­va Ja­to. O ar­gu­men­to para es­se mo­vi­men­to é que a lei elei­to­ral só exi­ge que o his­tó­ri­co le­gal do can­di­da­to no Es­ta­do em que ele é re­gis­tra­do é que pre­ci­sam ser apre­sen­ta­dos pe­la can­di­da­tu­ra. Ca­be­rá a quem for pe­dir a im­pug­na­ção apre­sen­tar a con­de­na­ção em Cu­ri­ti­ba.

Para ten­tar con­ven­cer os mi­nis­tros do TSE de que a can­di­da­tu­ra de Lu­la é vá­li­da, os ad­vo­ga­dos já ha­vi­am pre­pa­ra­do qua­tro ar­gu­men­tos con­tra im­pug­na­ções: 1. O ca­so de­le não foi tran­si­ta­do em jul­ga­do, não pas­sou por to­das as cor­tes e ain­da tem chan­ce de que a con­de­na­ção se­ja re­ver­ti­da; 2. A Lei das Ine­le­gi­bi­li­da­des pre­vê que, de­pois de ter­mi­na­das as elei­ções e até a da­ta da di­plo­ma­ção, é pos­sí­vel re- ver­ter a ine­le­gi­bi­li­da­de ob­ten­do uma me­di­da cau­te­lar; 3. Mes­mo que te­nha seu re­gis­tro in­de­fe­ri­do, Lu­la po­de­rá dis­pu­tar as elei­ções, apre­sen­tan­do re­cur­sos plau­sí­veis con­tra es­sa de­ci­são e; 4. O re­gis­tro co­mo can­di­da­to ga­ran­te a ele o di­rei­to de fa­zer cam­pa­nha e ter seu no­me na ur­na mes­mo que te­nha sua can­di­da­tu­ra ques­ti­o­na­da na Jus­ti­ça Elei­to­ral.

O PT apos­ta fir­me­men­te na jus­ti­fi­ca­ti­va 3 por­que en­ten­de que há re­ais chan­ces de re­ver­ter qual­quer de­ci­são da Jus­ti­ça Elei­to­ral com re­la­ção ao ex-pre­si­den­te. “Sem­pre se ga­ran­tiu a pre­sen­ça

de can­di­da­tos sub ju­di­ce nas ur­nas”, afir­mou à TVT Luiz Fer­nan­do Ca­sa­gran­de Pe­rei­ra, um dos ad­vo­ga­dos elei­to­rais de Lu­la. Pe­las con­tas de­le, nas elei­ções mu­ni­ci­pais de 2016, ao me­nos 145 pre­fei­tos fo­ram elei­tos na mes­ma si­tu­a­ção de su­pos­ta ine­le­gi­bi­li­da­de. Des­se to­tal, 98 (70%) re­ver­te­ram a san­ção ine­le­gi­bi­li­da­de após a elei­ção e an­tes da di­plo­ma­ção. Por­tan­to, aca­ba­ram em­pos­sa­dos.

O tri­bu­nal tem até 17 de se­tem­bro para jul­gar os re­gis­tros das can­di­da­tu­ras. Mas, le­van­do em con­ta os dis­cur­sos e as en­tre­vis­tas con­ce- di­das por du­as im­por­tan­tes pe­ças des­se jul­ga­men­to, a pre­si­den­te do TSE, Ro­sa We­ber, e da pro­cu­ra­do­ra-ge­ral da Re­pú­bli­ca, Ra­quel Dod­ge, há a ex­pec­ta­ti­va de que no ca­so de Lu­la a aná­li­se dos do­cu­men­tos e uma even­tu­al im­pug­na­ção da cha­pa ocor­ra de ma­nei­ra cé­le­re. “A lei das ine­le­gi­bi­li­da­des de­ve ser as­se­gu­ra­da para que só os ele­gí­veis con­cor­ram e os ine­le­gí­veis não fi­nan­ci­em su­as pre­ten­sões com re­cur­sos pú­bli­cos. É ta­re­fa da Jus­ti­ça Elei­to­ral anun­ci­ar ao elei­tor o quan­to an­tes e com se­gu­ran­ça ju­rí­di­ca quem são os re­ais con­cor­ren­tes, ou se­ja, os que tem ca­pa­ci­da­de elei­to­ral pas­si­va e po­dem ser vo­ta­dos se­gun­do a lei vi­gen­te”, ha­via di­to Ra­quel Dod­ge em dis­cur­so ain­da na noi­te de ter­ça-fei­ra, quan­do Ro­sa We­ber foi em­pos­sa­da co­mo pre­si­den­te da Cor­te. Ela não ci­tou di­re­ta­men­te o ca­so Lu­la.

We­ber, por sua vez, foi me­nos en­fá­ti­ca e dis­se que even­tu­ais im­pug­na­ções de can­di­da­tu­ras pre­si­den­ci­ais por se­rem fi­chas su­jas po­de­ri­am ser exa­mi­na­das de ofí­cio, ou se­ja, sem que o Mi­nis­té­rio Pú­bli­co ou ou­tros par­ti­dos a ques­ti­o­nas­sem. “Se não hou­ve im­pug­na­ção a re­so­lu­ção no sen­ti­do de que po­de ha­ver o exa­me de ofi­cio. Não se­rá im­pug­na­ção, se­rá in­de­fe­ri­men­to de ofi­cio, com­pre­en­são de que não es­tão pre­sen­tes condições de ine­le­gi­bi­li­da­de ou cau­sa de ine­le­gi­bi­li­da­de. Fa­lo em te­se e ob­ser­va­dos ter­mos le­gais”, afir­mou a ma­gis­tra­da em entrevista co­le­ti­va após sua pos­se.

No ca­so de Lu­la ser im­pos­si­bi­li­ta­do de con­cor­rer, os pe­tis­tas de­vem subs­ti­tuí­lo por Had­dad, ex-pre­fei­to de São Pau­lo, que per­deu a re­e­lei­ção mu­ni­ci­pal há dois anos já no pri­mei­ro tur­no. Nes­te ce­ná­rio, o PT pre­ten­de trans­fe­rir para ele ao me­nos boa parte das in­ten­ções de vo­to do ex-pre­si­den­te, que li­de­ra as pes­qui­sas. Para o car­go de vi­ce, a in­di­ca­da se­ria a de­pu­ta­da es­ta­du­al gaú­cha Ma­nu­e­la D’ávi­la, do PCDOB. Had­dad já tem con­ce­di­do en­tre­vis­tas na qual pa­re­ce ser o can­di­da­to de fa­to, o que tem de­sa­gra­da­do parte da mi­li­tân­cia do PT que in­sis­te em de­fen­der a can­di­da­tu­ra Lu­la e de di­zer que ele é um pre­so po­lí­ti­co. Por ou­tro la­do, sem ser o can­di­da­to for­mal, Had­dad aca­bou ex­cluí­do do pri­mei­ro de­ba­te de TV da cam­pa­nha en­tre os pre­si­den­ciá­veis.

atos - En­quan­to a mar­cha ca­mi­nha­da or­ga­ni­za­da pe­lo PT e pe­lo Mo­vi­men­to Sem Ter­ra ocor­ria em Bra­sí­lia, Had­dad, Glei­si e ou­tra li­de­ran­ça pe­tis­ta, o go­ver­na­dor mi­nei­ro Fer­nan­do Pi­men­tel, pre­fe­ri­ram fi­car nos es­cri­tó­ri­os da se­de do di­re­tó­rio na­ci­o­nal do par­ti­do con­ver­san­do com parte da im­pren­sa. Nas ru­as, os prin­ci­pais gri­tos eram de “Lu­la li­vre” e a mú­si­ca mais can­ta­da era a que ser­viu de jin­gle em to­das as su­as cam­pa­nhas, o “Lu­la lá”. En­fim, tu­do para ge­rar um far­to ma­te­ri­al para ser usa­do em cam­pa­nha elei­to­ral. No dis­cur­so em que in­for­mou aos mi­li­tan­tes de que o re­gis­tro da can­di­da­tu­ra ha­via si­do fei­to, Glei­si pre­fe­riu olhar para uma câ­me­ra ins­ta­la­da em um dro­ne do que para os milhares de ma­ni­fes­tan­tes que se con­cen­tra­vam em fren­te ao TSE. El Pais

Lu­la é re­gis­tra­do ofi­ci­al­men­te can­di­da­to à Pre­si­dên­cia jun­to ao Tri­bu­nal Su­pe­ri­or Elei­to­ral (TSE)

RI­CAR­DO STUCKERT

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.