GO­VER­NO ins­ta­la con­se­lho na­ci­o­nal De se­gu­ran­ça Pú­bli­ca

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

opre­si­den­te mi­chel te­mer ins­ta­lou, na tar­de de ho­je (17), con­se­lho Na­ci­o­nal de se­gu­ran­ça Pú­bli­ca. em seu dis­cur­so, o pre­si­den­te mos­trou pre­o­cu­pa­ção com a ex­pan­são do crime or­ga­ni­za­do e dis­se que não se com­ba­te a vi­o­lên­cia ape­nas com ar­mas.

“a na­ci­o­na­li­za­ção do crime é uma re­a­li­da­de; mais do que is­so, a in­ter­na­ci­o­na­li­za­ção do crime. o crime or­ga­ni­za­do bus­ca su­pe­rar a or­ga­ni­za­ção da se­gu­ran­ça pú­bli­ca. Não bas­ta com­ba­ter com ar­mas, é pre­ci­so com­ba­ter com in­te­li­gên­cia”.

co­mo ins­tru­men­tos de apri­mo­ra­men­to des­sa in­te­li­gên­cia, te­mer defendeu a in­te­gra­ção dos sis­te­mas de se­gu­ran­ça pú­bli­ca. a cri­a­ção do mi­nis­té­rio da se­gu­ran­ça Pú­bli­ca e do sis­te­ma Úni­co de se­gu­ran­ça Pú­bli­ca (susp), além da ins­ta­la­ção do con­se­lho, ocor­ri­da nes­ta se­gun­da-fei­ra, são al­gu­mas das ten­ta­ti­vas de re­du­zir o au­men­to da cri­mi­na­li­da­de no país.

Me­ta de re­du­ção de ho­mi­cí­di­os

se­gun­do o mi­nis­tro da se­gu­ran­ça Pú­bli­ca, raul Jung­mann, a me­ta do go­ver­no é re­du­zir em 3,5% ao ano o nú­me­ro de ho­mi­cí­di­os no país. “se al­guém pen­sa que is­so é pou­co, es­ta­mos ten­do um cres­ci­men­to da or­dem anu­al de 4%”. ele dis­se ain­da que não se de­ve es­que­cer as po­lí­ti­cas de pre­ven­ção ao crime.

“fru­to do te­mor que vi­ve­mos, fo­ca­mos mui­to na re- pres­são, mas a me­lhor das po­lí­ti­cas é a pre­ven­ção so­ci­al. e ela tem fo­co de­fi­ni­do na nos­sa ju­ven­tu­de de 15 a 24 anos. aque­la ju­ven­tu­de que não tem em­pre­go, não es­tá na es­co­la, tem fa­mí­lia de­ses­tru­tu­ra­da. te­mos que es­ten- der a mão a es­ses jo­vens. Por­que se­não as mãos do crime po­de­rão al­can­çá-las”.

o mi­nis­tro con­cluiu sua fa­la di­zen­do que tan­to o con­se­lho quan­to o pró­prio susp são um le­ga­do dei­xa­do pa­ra o pró­xi­mo go­ver­no. “os que vi­e­rem que o re­fa­çam, que o atu­a­li­zem, o de­sen­vol­vam. o que es­ta­mos dei­xan­do é um le­ga­do”.

epi­de­mia

re­pre­sen­tan­tes do Ju­di­ciá­rio tam­bém es­ti­ve­ram na ce­rimô­nia. Pa­ra o pre­si­den­te do su­pre­mo tri­bu­nal fe­de­ral (stf), mi­nis­tro Di­as tof­fo­li, a vi­o­lên­cia exis­ten­te no Bra­sil é uma “epi­de­mia”. “es­sa epi­de­mia tem que ser tra­ta­da de ma­nei­ra emer­gen­ci­al, en­vol­ven­do to­das as áre­as,

seg­men­tos e po­de­res. ou­tras so­ci­e­da­des, em ou­tros mo­men­tos, se­ja em ou­tros paí­ses que pas­sa­ram por es­sa di­fi­cul­da­de, ou mes­mo no Bra­sil, te­mos exem­plos de que é pos­sí­vel tra­tar na pre­ven­ção des­ses pro­ble­mas”

a pro­cu­ra­do­ra-ge­ral da re­pú­bli­ca, ra­quel Dod­ge, lem­brou a importância da ga­ran­tia dos di­rei­tos bá­si­cos pa­ra uma so­ci­e­da­de mais jus­ta. “sem di­rei­tos fun­da­men­tais, sem di­rei­tos bá­si­cos, não adi­an­ta ter de­mo­cra­cia. É pre­ci­so que es­sas de­mo­cra­ci­as se qua­li­fi­quem pa­ra aten­der os di­rei­tos mais bá­si­cos da pes­soa hu­ma­na”, dis­se ra­quel Dod­ge. “Jo­vens bra­si­lei­ros es­tão ca­da vez vi­ven­do me­nos por cau­sa da vi­o­lên­cia ur­ba­na”.

O con­se­lho

o con­se­lho Na­ci­o­nal de se­gu­ran­ça Pú­bli­ca e De­fe­sa so­ci­al se­rá in­te­gra­do por re­pre­sen­tan­tes da União, dos es­ta­dos, do Dis­tri­to fe­de­ral e dos mu­ni­cí­pi­os que vão pro­por di­re­tri­zes pa­ra pre­ve­nir e con­ter a vi­o­lên­cia e a cri­mi­na­li­da­de.

a cri­a­ção do con­se­lho es­tá pre­vis­ta no sis­te­ma Úni­co de se­gu­ran­ça, san­ci­o­na­do em ju­nho, por meio da lei 13.675, por te­mer. a ver­ba do con­se­lho sai­rá da ar­re­ca­da­ção das lo­te­ri­as.

o con­se­lho se­rá com­pos­to pe­la, en­tre ou­tras ins­ti­tui­ções, se­cre­ta­ria Na­ci­o­nal de se­gu­ran­ça Pú­bli­ca, Po­lí­cia fe­de­ral, Po­lí­cia ro­do­viá­ria fe­de­ral e De­par­ta­men­to Pe­ni­ten­ciá­rio Na­ci­o­nal, além do mi­nis­té­rio da se­gu­ran­ça Pú­bli­ca. tam­bém fa­zem par­te do con­se­lho, a ca­sa ci­vil da Pre­si­dên­cia da re­pú­bli­ca, mi­nis­té­ri­os da De­fe­sa e do Pla­ne­ja­men­to, mi­nis­té­rio Pú­bli­co, po­lí­ci­as ci­vil e mi­li­tar e se­cre­ta­ri­as de se­gu­ran­ça Pú­bli­ca dos es­ta­dos. re­pre­sen­tan­tes de en­ti­da­des de pro­fis­si­o­nais de se­gu­ran­ça pú­bli­ca e pes­so­as com no­tó­ri­os co­nhe­ci­men­tos no se­tor par­ti­ci­pam do con­se­lho co­mo mem­bros da so­ci­e­da­de ci­vil.

o mi­nis­té­rio da se­gu­ran­ça Pú­bli­ca se­rá o ges­tor do con­se­lho, com a fun­ção de ori­en­tar e acom­pa­nhar as ati­vi­da­des dos ór­gãos in­te­gra­dos ao susp, além de pro­mo­ver ações co­mo apoi­ar pro­gra­mas pa­ra apa­re­lhar e mo­der­ni­zar os ór­gãos de se­gu­ran­ça, pro­mo­ver a qua­li­fi­ca­ção pro­fis­si­o­nal, co­or­de­nar ati­vi­da­des de in­te­li­gên­cia na área e de­sen­vol­ver a dou­tri­na de in­te­li­gên­cia po­li­ci­al.

Valter cam­pa­na­to/agên­cia Bra­sil

O pre­si­den­te Mi­chel Te­mer du­ran­te ce­rimô­nia de ins­ta­la­ção do Con­se­lho Na­ci­o­nal de Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca e De­fe­sa So­ci­al, no Mi­nis­té­rio da Jus­ti­ça

Valter cam­pa­na­to/agên­cia Bra­sil

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.