Zé diz que ope­ra­ção não tem re­la­ção com sua cam­pa­nha

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

Du­ran­te par­ti­ci­pa­ção no pri­mei­ro blo­co do de­ba­te pro­mo­vi­do pe­la Re­cord TV Goiás nes­ta quin­ta-fei­ra, 28/09, o go­ver­na­dor Zé Eli­ton (PSDB), com se­re­ni­da­de, res­pon­deu ob­je­ti­va­men­te a ques­ti­o­na­men­tos so­bre a Ope­ra­ção da Po­lí­cia Fe­de­ral de­fla­gra­da ho­je e fa­lou so­bre de Jay­me Rin­cón e so­bre o ex-go­ver­na­dor Mar­co­ni Pe­ril­lo (PSDB). “No ca­so es­pe­cí­fi­co de even­to de ho­je, nós ti­ve­mos uma ope­ra­ção que diz res­pei­to a fa­tos an­ti­gos, que diz res­pei­to a uma qu­es­tão de 2010 e 2014 e, co­mo tal, não tem na­da e ne­nhu­ma re­la­ção, se­ja com o meu go­ver­no, se­ja com a nos­sa cam­pa­nha”, es­cla­re­ceu.

Eli­ton dis­se, ain­da, que o te­ma “é com­ple­ta­men­te des­ca­bi­do” e fru­to “na mai­o­ria das ve­zes, nes­te de­ba­te aqui, em fun­ção de to­do o avan­ço que nós es­ta­mos ten­do no que diz res­pei­to à opi­nião pú­bli­ca”, que es­tão ob­ser­van­do o tra­ba­lho que é fei­to, “di­fe­ren­te do que é di­to aqui, com des­le­al­da­de, in­clu­si­ve, em re­la­ção aos fa­tos”. O go­ver­na­dor ain­da com­ple­tou: “Eu pos­so me ater ao Hu­go, que não dei­xou um dia se­quer de re­ce­ber pa­ci­en­tes, não fi­cou pa­ra­do nem um dia, que es­tá aten­den­do nor­mal­men­te, mo­di­fi­can­do os seus pa­drões de re­gu­la­ção pa­ra re­ce­ber os pa­ci­en­tes”, dis­se.

Ele res­sal­tou que seu go­ver­no se pre­o­cu­pa com os mais sim­ples. “Fi­ze­mos avan­ços ex­tra­or­di­ná­ri­os, se­ja pa­ra aque­les que re­ce­bem uma Ren­da Ci­da­dã, se­ja pa­ra aque­les que re­ce­be­ram a Bol­sa uni­ver­si­tá­ria, se­ja pa­ra mi­lha­res de goi­a­nos que ti­ve­ram aces­so ao em­pre­go”, dis­se. “Es­te é o es­ta­do que mais ge­ra em­pre­gos no país, li­de­ra­mos há al­guns anos es­sa agen­da tão im­por­tan­te que eman­ci­pa as pes­so­as”, dis­se, ci­tan­do tam­bém a cri­a­ção da UEG, que pro­pi­ci­ou a 100 mil goi­a­nos a for­ma­ção su­pe­ri­or gra­tui­ta. “Te­mos mui­to or­gu­lho do que fi­ze­mos. Se even­tu­al­men­te al­guns co­me­te­ram er­ros, ca­be ao po­der ade­qua­do fa­zer a apu­ra­ção”, dis­se.

Zé Eli­ton dis­se ain­da que os ad­vo­ga­dos de Jay­me Rin­cón fa­rão sua de­fe­sa téc­ni­ca e que ele me­re­ce, “co­mo to­do bra­si­lei­ro me­re­ce, o prin­cí­pio da pre­sun­ção da ino­cên­cia”. E as­si­na­lou: “Ele te­rá opor­tu­ni­da­de de se de­fen­der, de apre­sen­tar su­as te­ses, su­as idei­as, co­mo le­gi­ti­ma­men­te qual­quer ci­da­dão tem o di­rei­to de fa­zer”. Ao fa­lar so­bre o ex-go­ver­na­dor Mar­co­ni Pe­ril­lo, ain­da sob ques­ti­o­na­men­to de Wes­lei Gar­cia (Psol), Eli­ton ob­ser­vou que “é pre­ci­so ter cor­re­ção, ver­da­de nas co­lo­ca­ções”. Ele lem­brou que “não hou­ve ne­nhum ato que de­ter­mi­nas­se a pri­são do ex-go­ver­na­dor Mar­co­ni, hou­ve a de­ter­mi­na­ção de bus­ca e apre­en­são em seus lo­cais iden­ti­fi­ca­dos e na­da mais do que is­so. Não foi em fun­ção de lei elei­to­ral”.

O go­ver­na­dor co­brou o tra­ta­men­to do as­sun­to com res- pon­sa­bi­li­da­de. “Eu sem­pre tra­to as ques­tões com mui­ta cor­re­ção, res­pon­do sem­pre por aqui­lo que fa­ço e o meu go­ver­no sem­pre atua em de­fe­sa dos in­te­res­ses mai­o­res da po­pu­la­ção, de to­dos os ci­da­dãos”, ar­gu­men­tou. “É por is­so que atu­a­mos mui­to pa­ra ga­ran­tir que os sa­lá­ri­os se­jam pa­gos em dia. Ho­je, o sa­lá­rio do dia 30 já es­tá na con­ta dos fun­ci­o­ná­ri­os pú­bli­cos. E as­sim nós ha­ve­re­mos de con­ti­nu­ar, su­pe­ran­do as di­fi­cul­da­des e avan­çan­do ca­da vez mais”, as­si­na­lou.

RE­PRO­DU­ÇÃO TV

“Fa­ço e o meu go­ver­no sem­pre atua em de­fe­sa dos in­te­res­ses mai­o­res da po­pu­la­ção”, afir­mou Zé Eli­ton

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.