Lu­la ne­ga que é do­no de sí­tio em Ati­baia

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

Oex-pre­si­den­te Luiz Iná­cio lu­la da sil­va ne­gou ho­je (14), em de­poi­men­to à Jus­ti­ça fe­de­ral em curitiba, ter co­nhe­ci­men­to so­bre as re­for­mas re­a­li­za­das no sí­tio san­ta Bár­ba­ra, em Ati­baia (sp). Ele ne­gou tam­bém ser o do­no do imó­vel.

Lu­la Foi in­ter­ro­ga­do pe­la juí­za Ga­bri­e­la Hardt em ação pe­nal na qu­al ele e mais 12 réus res­pon­dem ao pro­ces­so, en­tre eles os em­pre­sá­ri­os Marcelo e Emí­lio Ode­bre­cht e Léo Pi­nhei­ro, da oas, e o pe­cu­a­ris­ta Jo­sé car­los Bum­lai. as acu­sa­ções são dos cri­mes de cor­rup­ção e la­va­gem de di­nhei­ro.

O sí­tio foi al­vo das in­ves­ti­ga­ções da ope­ra­ção la­va Ja­to, que apu­ra a sus­pei­ta de que as obras de me­lho­ri­as no lo­cal fo­ram pagas por em­prei­tei­ras in­ves­ti­ga­das por cor­rup­ção, co­mo a oas e a ode­bre­cht.

No in­ter­ro­ga­tó­rio, lu­la con­fir­mou que pas­sou a fre­quen­tar a pro­pri­e­da­de no iní­cio de 2011, quan­do dei­xou a Pre­si­dên­cia da re­pú­bli­ca.

No en­tan­to, as re­for­mas que fo­ram re­a­li­za­das já es­ta­vam pron­tas e lu­la dis­se que não te­ve co­nhe­ci­men­to de­las por não ser o do­no do imó­vel.

DE­POI­MEN­TO

O ex-pre­si­den­te tam­bém ne­gou que te­nha tra- ta­do do as­sun­to com o em­pre­sá­rio Emí­lio Ode­bre­cht. “Quan­do eu co­nhe­ci o sí­tio, não ti­nha re­for­ma, o sí­tio es­ta­va pron­to”, afir­mou.

No iní­cio da au­di­ên­cia, a juí­za per­gun­tou a lu­la se ele ti­nha co­nhe­ci­men­to so­bre as acu­sa­ções con­tra ele, uma pra­xe pro­ces­su­al fei­ta a to­dos os acu­sa­dos. ele res­pon­deu que não sa­bia e que­ria sa­ber o te­or da acu­sa­ção.

“Gos­ta­ria de pe­dir, se a se­nho­ra pu­des­se me ex­pli­car, qu­al é a acu­sa­ção? es­tou dis­pos­to a res­pon­der to­da e qual­quer per­gun­ta. eu sou do­no do sí­tio ou não?” ques­ti­o­nou.

Em se­gui­da, Ga­bri­e­la Hardt re­tru­cou. “is­so é o se­nhor que tem que res­pon­der e não eu. eu não es­tou sen­do in­ter­ro­ga­da nes­te mo­men­to. is­so é um in­ter­ro­ga­tó­rio, e se o se­nhor co- me­çar nes­te tom co­mi­go, a gen­te vai ter pro­ble­ma”.

Du­ran­te o de­poi­men­to, o ex-pre­si­den­te vol­tou a afir­mar que as acu­sa­ções con­tra ele são “uma far­sa”.

“O pri­mei­ro pro­ces­so que eu fui ví­ti­ma, que é uma far­sa, uma men­ti­ra do mi­nis­té­rio Pú­bli­co, com Power Point. a se­gun­da é ou­tra far­sa. eu es­tou pa­gan­do es­se pre­ço. eu vou pa­gar por­que sou um ho­mem que creio em Deus, creio na Jus­ti­ça, e um dia a ver­da­de vai pre­va­le­cer o que es­tá acon­te­cen­do”, afir­mou.

RE­FOR­MA

Se­gun­do os in­ves­ti­ga­do­res, as re­for­mas co­me­ça­ram após a com­pra da pro­pri­e­da­de pe­los em­pre­sá­ri­os fer­nan­do Bit­tar e Jo­nas Su­as­su­na, ami­gos de lu­la, quan­do “fo­ram ela­bo­ra­dos os pri­mei­ros de­se­nhos ar­qui­tetô­ni­cos pa­ra aco­mo­dar as ne­ces­si­da­des da fa­mí­lia do ex-pre­si­den­te”.

No lau­do ela­bo­ra­do pe­la Po­lí­cia fe­de­ral, em 2016, os pe­ri­tos ci­tam as obras que fo­ram fei­tas, en­tre elas a de uma co­zi­nha ava­li­a­da em r$ 252 mil. a es­ti­ma­ti­va é de que te­nha si­do gas­to um va­lor de cer­ca de r$ 1,7 mi­lhão, so­man­do a com­pra do sí­tio (r$ 1,1 mi­lhão) e a re­for­ma (r$ 544,8 mil).

É a pri­mei­ra vez que lu­la dei­xa a car­ce­ra­gem da Po­lí­cia fe­de­ral (Pf) em curitiba após ter si­do pre­so pe­la con­de­na­ção em ou­tro pro­ces­so, que tra­ta do apar­ta­men­to trí­plex do Gu­a­ru­já (sp). Des­de 7 de abril, lu­la cum­pre, na ca­pi­tal pa­ra­na­en­se, pe­na de 12 anos e um mês de pri­são, im­pos­ta pe­lo tri­bu­nal re­gi­o­nal fe­de­ral da 4ª re­gião (trf4), pe­los cri­mes de cor­rup­ção pas­si­va e la­va­gem de di­nhei­ro.

DE­FE­SA DO EX-PRE­SI­DEN­TE

Em no­ta, a de­fe­sa do ex-pre­si­den­te afir­mou que o de­poi­men­to de lu­la de­mons­tra ar­bi­tra­ri­e­da­de da acu­sa­ção. is­so por­que em­bo­ra o mi­nis­té­rio Pú­bli­co fe­de­ral ci­te que con­tra­tos es­pe­cí­fi­cos da Pe­tro­bras te­ri­am ge­ra­do van­ta­gens a lu­la, ne­nhu­ma per­gun­ta nes­te sen­ti­do foi fei­ta: “a si­tu­a­ção con­fir­ma que a re­fe­rên­cia a tais con­tra­tos da Pe­tro­bras na de­nún­cia foi um re­pro­vá­vel pre­tex­to cri­a­do pe­la la­va Ja­to pa­ra sub­me­ter lu­la a pro­ces­sos ar­bi­trá­ri­os pe­ran­te a Jus­ti­ça fe­de­ral de curitiba.”

A de­fe­sa tam­bém re­a­fir­ma que a pro­pri­e­da­de do sí­tio san­ta Bár­ba­ra, “que per­ten­ce de fa­to e de di­rei­to à fa­mí­lia Bit­tar, con­for­me far­ta documentação cons­tan­te no pro­ces­so.”

“O de­poi­men­to pres­ta­do pe­lo ex-pre­si­den­te lu­la tam­bém re­for­çou sua in­dig­na­ção por es­tar pre­so sem ter co­me­ti­do qual­quer cri­me e por es­tar so­fren­do uma per­se­gui­ção ju­di­ci­al por mo­ti­va­ção po­lí­ti­ca ma­te­ri­a­li­za­da em di­ver­sas acu­sa­ções ofen­si­vas e des­pro­po­si­ta­das pa­ra al­guém que go­ver­nou aten­den­do ex­clu­si­va­men­te aos in­te­res­ses do País”, en­cer­ra a no­ta as­si­na­da pe­lo ad­vo­ga­do cri­si­ti­a­no Za­nin mar­tins.

Marcelo camargo/agên­cia Bra­sil

Ex-pre­si­den­te Luiz Iná­cio Lu­la da Sil­va em de­poi­men­to à Jus­ti­ça Fe­de­ral em Curitiba

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.