A apre­en­são de mu­ni­cí­pi­os com a saí­da de cu­ba­nos

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

No co­me­ço, até o idi­o­ma pa­re­cia um em­pe­ci­lho pa­ra que os mé­di­cos es­tran­gei­ros re­cém-che­ga­dos ao Bra­sil con­se­guis­sem se co­mu­ni­car com a po­pu­la­ção das pe­ri­fe­ri­as e das ci­da­des mais iso­la­das do país. mas a exi­gên­cia do pe­río­do de três anos pa­ra atu­ar na mes­ma lo­ca­li­da­de in­cluí­da no con­vê­nio fir­ma­do com cu­ba le­va­ram es­ses pro­fis­si­o­nais a cri­a­rem vín­cu­los com as co­mu­ni­da­des, que, se­gun­do ges­to­res mu­ni­ci­pais, re­per­cu­ti­ram tam­bém em uma me­lho­ria dos in­di­ca­do­res de saúde. ci­da­des que até en­tão ti­nham co­ber­tu­ra pra­ti­ca­men­te nu­la na aten­ção básica —aque­la con­si­de­ra­da mais pre­ven­ti­va, pois faz o primeiro aten­di­men­to— pas­sa­ram a mul­ti­pli­car equi­pes e de­sa­fo­gar os aten­di­men­tos es­pe­ci­a­li­za­dos e em hospitais, eco­no­mi­zan­do ver­ba pú­bli­ca. se­gun­do o mi­nis­té­rio da saúde, o pro­gra­ma mais mé­di­cos, cri­a­do em 2013, vi­a­bi­li­zou que 700 ci­da­des ti­ves­sem mé­di­cos pe­la pri­mei­ra vez. a pre­sen­ça des­ses pro­fis­si­o­nais em mais lo­ca­li­da­des am­pli­ou o aces­so à saúde, as con­sul­tas e pré­na­tais e re­du­ziu até ín­di­ces de mor­ta­li­da­de in­fan­til.

em em­bu-gua­çu, a 47 quilô­me­tros de são Pau­lo, a re­de de aten­ção básica era pra­ti­ca­men­te ine­xis­ten­te an­tes de 2013, quan­do chegaram os pri­mei­ros mé­di­cos cu­ba­nos em mis­são ao país. a se­cre­tá­ria de saúde ma­ria Dal­va dos san­tos con­ta que eram es­cas­sas as ins­cri­ções de mé­di­cos bra­si­lei­ros in­te­res­sa­dos em atu­ar na ci­da­de de 67.000 ha­bi­tan­tes. “a gen­te fa­zia os con­cur­sos, mas pou­ca gen­te par­ti­ci­pa­va”, diz. se­gun­do ela, o mais mé­di­cos foi fun­da­men­tal pa­ra que o mu­ni­cí­pio pu­des­se es­tru­tu­rar to­da a re­de de aten­ção básica. “Nos­sa re­de vi­rou re­a­li­da­de pe­lo pro­gra­ma. De 2016 pra 2017, nós ti­ve­mos uma re­du­ção de mor­ta­li­da­de in­fan­til de 14% pa­ra 6%”, afir­ma.

Na úl­ti­ma quar­ta-fei­ra, cu­ba de­ci­diu re­ti­rar seus mé­di­cos do Bra­sil, man­ti­dos por um con­vê­nio por meio da or­ga­ni­za­ção Pan ame­ri­ca­na da saúde (opas), em que 70% da re­mu­ne­ra­ção dos mé­di­cos cu­ba­nos vai pa­ra o Go­ver­no da ilha, o que sus­ci­ta po­lê­mi­ca des­de o iní­cio da ini­ci­a­ti­va. a saí­da des­ses mé­di­cos tem cau­sa­do gran­de apre­en­são em di­ver­sos mu­ni­cí­pi­os, en­tre eles em­bu-gua­çu. to­do o aten­di­men­to da re­de básica da ci­da­de é fei­ta por mé­di­cos do pro­gra­ma fe­de­ral. são 18 mé­di­cos, no to­tal, ape­nas dois de­les bra­si­lei­ros, for­ma­dos no ex­te­ri­or. os ou­tros 16 são cu­ba­nos e to­dos eles re­tor­na­rão à cu­ba, seis já em 25 de no­vem­bro. “Va­mos per­der qua­se 100% dos nos­sos mé­di­cos”, diz a se­cre­tá­ria. “es­ta­mos mui­to in­se­gu­ros por não sa­ber co­mo vai ser. fi­ca­re­mos to­tal­men­te des­co­ber­tos na aten­ção básica.” in­con­for­ma­da com a po­si­ção do Go­ver­no bra­si­lei­ro em não ten­tar re­ver­ter a de­ci­são de Ha­va­na, ela te­me um gran­de re­tro­ces­so na as­sis­tên­cia pres­ta­da na ci­da­de ca­so o mi­nis­té­rio da saúde não consiga pre­en­cher as 8.300 va­gas oci­o­sas pe­lo fim do con­vê­nio e aten­der aos 24 mi­lhões de bra­si­lei­ros que de­pen­dem des­ses pro­fis­si­o­nais. “a gen­te es­tá mui­to preocupado por­que não con­se­gui­mos can­di­da­tos em to­das as nos­sas ten­ta­ti­vas an­te­ri­o­res de con­tra­tar mé­di­cos. a gen­te es­pe­ra que o mi­nis­té­rio to­me uma ati­tu­de fi­de­dig­na e consiga re­por es­sas va­gas”, afir­ma.

a 53 quilô­me­tros de em­bu-gua­çu, tam­bém no es­ta­do de são Pau­lo, o mu­ni­cí­pio de mauá de­ve per­der 33 dos 46 mé­di­cos que atu­am no pro­gra­ma. a pes­qui­sa­do­ra me­lis­sa spröes­ser alon­so (sa­ni­ta­ris­ta e mes­tra em es­ta­do, Go­ver­no e Po­lí­ti­cas Pú­bli­cas pe­la flac­so) acom­pa­nhou a im­plan­ta­ção do pro­gra­ma na ci­da­de que, se an­tes ti­nha di­fi­cul­da­de de con­tra­tar pro­fis­si­o­nais pa­ra a pe­ri­fe­ria, che­gou a du­pli­car as equi­pes de saúde nos úl­ti­mos anos e re­du­zir os ín­di­ces de mor­ta­li­da­de in­fan­til com o acom­pa­nha­men­to efi­ci­en­te do pré-natal.

“o mé­di­co for­ma­do no Bra­sil, com o crm do país, nor­mal­men­te quer es­tar mais per­to de um gran­de cen­tro, on­de po­de tam­bém ir pra ini­ci­a­ti­va pri­va­da com pro­pos­tas me­lho­res”, ex­pli­ca ela. se­gun­do da­dos da De­mo­cra­cia médica no Bra­sil 2018, uma pes­qui­sa do pro­fes­sor do De­par­ta­men­to de me­di­ci­na Pre­ven­ti­va da fa­cul­da­de de me­di­ci­na da USP, mário schef­fer, 84% dos re­cém-for­ma­dos em me­di­ci­na têm nas con­di­ções de tra­ba­lho o prin­ci­pal fa­tor de­ter­mi­nan­te pa­ra fi­xa­ção em uma ins­ti­tui­ção ou ci­da­de após a gra­du­a­ção ou re­si­dên­cia. a se­gun­da con­di­ção mais apon­ta­da foi a qua­li­da­de de vi­da, se­gui­da pe­la re­mu­ne­ra­ção. Por is­so, as va­gas em lo­cais mais dis­tan­tes do país ou mu­ni­cí­pi­os me­no­res, ge­ral­men­te com es­tru­tu­ra mais pre­cá­ria, cos­tu­mam in­te­res­sar me­nos es­tes pro­fis­si­o­nais.

Cri­se médica

o Go­ver­no cu­ba­no de­ci­diu re­ti­rar o mais mé­di­cos do Bra­sil de­pois de Jair Bol­so­na­ro ques­ti­o­nar a pre­pa­ra­ção pro­fis­si­o­nal dos mé­di­cos que in­te­gram o con­vê­nio e con­di­ci­o­nar a ma­nu­ten­ção do pro­gra­ma à realização de con­tra­to in­di­vi­du­al com os pro­fis­si­o­nais, que tam­bém de­ve­ri­am, pa­ra exer­cer a me­di­ci­na no país, se sub­me­ter ao re­va­li­da (teste que va­li­da o di­plo­ma es­tran­gei­ro no Bra­sil). Ha­va­na con­si­de­rou as con­di­ções “ina­cei­tá­veis” e de­ter­mi­nou o re­tor­no dos mé­di­cos cu­ba­nos. o mi­nis­té­rio da saúde in­for­mou nes­ta sex­ta-fei­ra que lan­ça­rá o edi­tal pa­ra co­brir as 8.332 mil va­gas na pró­xi­ma se­gun­da-fei­ra, mas não se pro­nun­ci­ou so­bre as 1.600 ci­da­des que já es­tão com va­gas de mé­di­cos oci­o­sas há seis me­ses. “a se­le­ção de pro­fis­si­o­nais bra­si­lei­ros em pri­mei­ra cha­ma­da do edi­tal se­rá re­a­li­za­da ain­da no mês de no­vem­bro e o com­pa­re­ci­men­to aos mu­ni­cí­pi­os, ime­di­a­ta­men­te após a se­le­ção”, in­for­mou em no­ta.

Mi­nis­té­rio Da saúde

Mé­di­co aten­de pa­ci­en­te in­dí­ge­na no Pro­gra­ma Mais Mé­di­cos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.