TE­MER AU­TO­RI­ZA ES­TRAN­GEI­ROS A DE­TER 100% DE COM­PA­NHI­AS AÉ­RE­AS

Brasil em Folhas - - Primeira Página -

Dois di­as de­pois de a avi­an­ca Bra­sil, quar­ta mai­or com­pa­nhia aé­rea do país, ter pe­di­do re­cu­pe­ra­ção ju­di­ci­al, o pre­si­den­te mi­chel te­mer as­si­nou uma me­di­da Pro­vi­só­ria (mp) que aca­ba com o li­mi­te de participação de ca­pi­tal es­tran­gei­ro em com­pa­nhi­as aé­re­as no Bra­sil. se­gun­do o ministro-chefe da casa ci­vil, eli­seu Pa­di­lha, a mp não tem re­la­ção com a si­tu­a­ção fi­nan­cei­ra da avi­an­ca, mas a com­pa­nhia po­de­rá se be­ne­fi­ci­ar de­la. a avi­an­ca apre­sen­tou seu pe­di­do de re­cu­pe­ra­ção ju­di­ci­al no tribunal de Justiça de são Paulo por con­ta de uma dí­vi­da mi­li­o­ná­ria com for­ne­ce­do­res e ae­ro­por­tos.

“a avi­an­ca, cir­cuns­tan­ci­al­men­te, po­de­rá ser be­ne­fi­ci­a­da nes­se pro­ces­so. com es­ta mp, al­gu­ma em­pre­sa in­ter­na­ci­o­nal po­de­rá se in­te­res­sar em re­com­por as con­di­ções fi­nan­cei­ras da avi­an­ca”, co­men­tou o ministro, acres­cen­tan­do que Paulo Gu­e­des, ministro da economia do futuro Go­ver­no Bol­so­na­ro, foi con­sul­ta­do e con­cor­dou com a ideia. “ele dis­se que es­ta­va ri­go­ro­sa­men­te con­for­me aqui­lo que en­ten­de que de­va ser fei­to. es­ta­mos fa­zen­do em con­so­nân­cia com o novo go­ver­no”, dis­se Pa­di­lha em Bra­sí­lia.

a agência Na­ci­o­nal de avi­a­ção ci­vil (anac) dis­se em no­ta que a me­di­da vai estimular a des­con­cen­tra­ção de em­pre­sas no mer­ca­do bra­si­lei­ro e o au­men­to da quan­ti­da­de de ro­tas ofer­ta­das, além de pro­mo­ver a in­te­gra­ção com ro­tas in­ter­na­ci­o­nais, se­gun­do a agência Bra­sil. “o in­gres­so de ca­pi­tal es­tran­gei­ro no país ten­de a aumentar a competição no se­tor ao am­pli­ar as fon­tes de re­cur­sos pa­ra as com­pa­nhi­as já exis­ten­tes e po­ten­ci­a­li­zar o sur­gi­men­to de novos en­tran­tes”, dis­se a as­ses­so­ria da anac, des- ta­can­do ain­da que a me­di­da segue uma “ten­dên­cia de aber­tu­ra já ve­ri­fi­ca­da em ou­tros paí­ses”.

as ri­vais da avi­an­ca no mer­ca­do na­ci­o­nal tam­bém não vão bem das per­nas, um qua­dro agra­va­do re­cen­te­men­te pe­la al­ta dos preços do com­bus­tí­vel de avi­a­ção e do dó­lar. até ago­ra, o in­ves­ti­men­to de ca­pi­tal es­tran­gei­ro es­ta­va li­mi­ta­do a 20% nes­sas em­pre­sas. a la­tam Bra­sil é resultado da união da tam com a chi­le­na lan — os chi­le­nos de­têm ações pre­fe­ren­ci­ais. No mês pas­sa­do, a Gol anun­ci­ou pla­nos pa­ra in­cor­po­rar sua em­pre­sa de pro­gra­mas de fi­de­li­da­de smi­les, o que de­ve am­pli­ar poderes pa­ra fa­zer pla­ne­ja­men­to fis­cal. atu­al­men­te, a Gol tem 12,3% do seu ca­pi­tal nas mãos da nor­te-ame­ri­ca­na Del­ta. Já a Uni­ted air­li­nes de­tém 8,3% da azul.

o Go­ver­no bra­si­lei­ro ne­gou que a li­be­ra­ção do con­tro­le es­tran­gei­ro das aé­re­as bra­si­lei­ras ame­a­ce a segurança na­ci­o­nal. “Não há te­ma mais es­tra­té­gi­co pa­ra a segurança na­ci­o­nal e o co­nhe­ci­men­to do que a te­le­fo­nia. e na te­le­fo­nia, te­mos pos­si­bi­li­da­de de 100% de ca­pi­tal es­tran­gei­ro. te­mos que ca­mi­nhar nes­sa di­re­ção pa­ra as em­pre­sas aé­re­as tam­bém”, de­fen­deu eli­seu Pa­di­lha. se­gun­do ele, o se­tor fi­ca­rá mais competitivo, e qu­em ga­nha­rá no fi­nal é o con­su­mi­dor bra­si­lei­ro, com o sur­gi­men­to de no­vas com­pa­nhi­as, novos des­ti­nos, re­du­ção de preços e ge­ra­ção de em­pre­gos no se­tor.

Mar­ce­lo camargo/agência Bra­sil

Re­pro­du­ção/si­te avi­an­ca

Ae­ro­na­ve da Avi­an­ca no ae­ro­por­to San­tos Du­mont, no Rio de Ja­nei­ro, Brazil

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.