DI­CAS PRE­CI­O­SAS

Sai­ba co­mo usar ar­má­ri­os es­cu­ros sem per­der a am­pli­tu­de

Casa Linda - - Contents - Tex­to Ana Le­tí­cia Car­va­lho/Co­la­bo­ra­do­ra | De­sign Re­nan Oli­vei­ra

Sai­ba co­mo usar ar­má­ri­os es­cu­ros sem per­der a am­pli­tu­de

O uso de co­res cla­ras em am­bi­en­tes pe­que­nos é uma es­tra­té­gia mui­to usa­da pa­ra dar ideia de am­pli­tu­de. No en­tan­to, se vo­cê de­se­ja op­tar pe­la uti­li­za­ção de tons es­cu­ros – ca­rac­te­rís­ti­ca da ar­qui­te­tu­ra in­dus­tri­al – em uma co­zi­nha re­du­zi­da, is­so não de­ve ser um pro­ble­ma. Con­fi­ra os pro­je­tos a se­guir e sai­ba co­mo apli­car mar­ce­na­ria e re­ves­ti­men­tos em to­na­li­da­des co­mo gra­fi­te, cin­za ou pre­to sem per­der a le­ve­za e flui­dez do cô­mo­do.

Pro­pos­ta

A de­sig­ner de in­te­ri­o­res Mi­chel­le Ge­les­ko e a ar­qui­te­ta Ales­san­dra Bran­di­ni Go­mes, do stu­dio m+a ar­qui­te­tu­ra e de­sign, ti­nham ape­nas 9,24m² pa­ra trans­for­mar a co­zi­nha de um ho­mem de 55 anos em um lu­gar mo­der­no e es­pa­ço­so.

Fun­ci­o­nal

O con­cei­to aber­to, que in­te­gra a co­zi­nha à sa­la de es­tar, foi a so­lu­ção en­con­tra­da pe­las pro­fis­si­o­nais pa­ra oti­mi­zar a pou­ca me­tra­gem dis­po­ní­vel. Uma me­sa de jan­tar foi uti­li­za­da co­mo di­vi­só­ria en­tre os dois am­bi­en­tes, tran­for­man­do-os, as­sim, em um es­pa­ço 3 em 1. “Es­sa in­te­gra­ção cau­sa a im­pres­são de uma cir­cu­la­ção aber­ta”, ex­pli­cam.

Le­ve

A pa­le­ta de co­res fi­cou por con­ta de tons es­cu­ros e mar­can­tes, o que deu um ar con­tem­po­râ­neo ao cô­mo­do. Ape­sar da co­zi­nha ser pe­que­na, o fa­to de ser aber­ta e bem ilu­mi­na­da per­mi­tiu o uso do pre­to e do azul pe­tró­leo sem que is­so pre­ju­di­cas­se a sen­sa­ção de am­bi­en­te am­plo.

Mo­der­na e aco­lhe­do­ra

Atu­a­li­da­de, pra­ti­ci­da­de e char­me eram es­sen­ci­ais pa­ra as do­nas des­ta co­zi­nha, uma mu­lher de 34 anos e ou­tra de 43. Wal­ki­ria D’Puig, ar­qui­te­ta res­pon­sá­vel pe­lo pro­je­to de 8,78m2, aten­deu ao pe­di­do das mo­ra­do­ras apos­tan­do em co­res neu­tras e es­cu­ras e oti­mi­zan­do a dis­po­si­ção do es­pa­ço.

De por­tas aber­tas

“Co­mo elas ado­ram re­ce­ber ami­gos e co­zi­nhar, cri­a­mos ce­ná­ri­os por meio da ilu­mi­na­ção. Pa­ra o dia a dia, há um ti­po mais po­ten­te e, pa­ra re­ce­ber os con­vi­da­dos, po­de-se tra­ba­lhar com uma lu­mi­no­si­da­de in­di­re­ta, em­bu­ti­da nos mó­veis” ex­pli­ca a ar­qui­te­ta.

Des­ta­ques

Ape­sar da pre­do­mi­nân­cia de tons e ele­men­tos só­bri­os, al­guns de­ta­lhes su­tis fa­zem a di­fe­ren­ça na es­té­ti­ca des­te es­pa­ço. A es­co­lha do re­ves­ti­men­to com um ar re­trô e a cor quen­te da me­sa que­bram a cons­tân­cia e são um atra­ti­vo na com­po­si­ção da de­co­ra­ção.

So­lu­ci­o­nan­do

Nes­te pro­je­to, ape­sar de não ha­ver in­te­gra­ção de am­bi­en­tes, a uti­li­za­ção de ar­má­ri­os e ni­chos es­cu­ros tam­bém foi cer­tei­ra. Pa­ra não pre­ju­di­car a am­pli­tu­de do cô­mo­do, Wal­ki­ria apos­tou em mar­ce­na­ria na cor chum­bo ape­nas na par­te in­fe­ri­or. “Nos ar­má­ri­os de ci­ma, fo­ram uti­li­za­das por­tas de vi­dro pin­ta­do, ti­ran­do o pe­so da ma­dei­ra e tra­zen­do le­ve­za”, es­cla­re­ce.

Pro­je­to 1: stu­dio m+a ar­qui­te­tu­ra e de­sign, Gu­a­ru­lhos - SP

Em­bu­tir ele­tro­do­més­ti­cos traz a per­cep­ção de um am­bi­en­te mais or­ga­ni­za­do e lim­po Pro­je­to 2: Wal­ki­ria D'Puig Ar­qui­te­tu­ra, Ta­pe­ra - RS

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.