70M² E MUI­TA CRI­A­TI­VI­DA­DE

Ob­je­tos co­lo­ri­dos de­ram vi­da a es­te imó­vel

Casa Linda - - Índice - Tex­to Ju­li­a­na Borges De­sign Aman­da Marques/Co­la­bo­ra­do­ra

Ob­je­tos co­lo­ri­dos de­ram vi­da a es­te imó­vel

Aar­qui­te­ta Fer­nan­da Pi­tol ela­bo­rou es­te apar­ta­men­to de 70m² pa­ra um ca­sal de mo­ra­do­res que de­se­ja­va um es­pa­ço mo­der­no e ver­sá­til. Co­mo os cli­en­tes não pu­de­ram sair de ca­sa du­ran­te a re­for­ma, a pro­fis­si­o­nal op­tou por mu­dan­ças que não ne­ces­si­tas­sem de mui­ta obra, mos­tran­do que uma trans­for­ma­ção não pre­ci­sa, ne­ces­sa­ri­a­men­te, vir acom­pa­nha­da do que­bra-que­bra.

Equi­lí­brio

A pro­fis­si­o­nal op­tou por co­res neu­tras nas pa­re­des e na mar­ce­na­ria, já que elas har­mo­ni­zam com mo­bí­li­as em di­fe­ren­tes to­na­li­da­des. En­quan­to is­so, os qua­dros, es­to­fa­dos e ou­tros ob­je­tos, co­mo o cri­a­do-mu­do no quar­to, fi­ca­ram res­pon­sá­veis por dar um to­que de cor ao apar­ta­men­to. “Co­mo os cli­en­tes não es­ta­vam acos­tu­ma­dos com co­res for­tes, nós pon­tu­a­mos as to­na­li­da­des mais vi­bran­tes nos itens de de­co­ra­ção. As­sim, se qui­se­rem re­de­co­rar o am­bi­en­te, bas­ta tro­car os aces­só­ri­os”, de­ta­lha Fer­nan­da.

De cara no­va

Pen­san­do em eco­no­mia e sus­ten­ta­bi­li­da­de, a pro­fis­si­o­nal apro­vei­tou o so­fá já exis­ten­te e ape­nas cri­ou uma ca­pa, além de in­ves­tir em no­vas al­mo­fa­das e pu­fe pa­ra os pés, que de­ram um to­que de char­me ao lo­cal.

Pa­ra am­pli­ar...

Apos­te em es­pe­lhos, co­res neu­tras e mar­ce­na­ria pla­ne­ja­da. Se­gun­do a ar­qui­te­ta, es­sas são óti­mas so­lu­ções pa­ra fa­zer com que um es­pa­ço pa­re­ça mai­or do que ele re­al­men­te é, pois cri­am a ilu­são de pro­fun­di­da­de no lo­cal.

Sem al­te­ra­ção

A ilu­mi­na­ção do apar­ta­men­to não pre­ci­sou ser re­fei­ta, co­mo ex­pli­ca a pro­fis­si­o­nal: “Con­se­gui­mos apro­vei­tar to­tal­men­te es­sa par­te da de­co­ra­ção, já que a cli­en­te pos­suía spots di­re­ci­o­ná­veis que va­lo­ri­za­ram bas­tan­te a ar­qui­te­tu­ra no­va”. No quar­to e na sa­la, a luz di­re­ta, pa­ra lei­tu­ra e ou­tros afa­ze­res do dia a dia, fi­cou por con­ta dos aba­ju­res.

Ba­nhei­ro

A ar­qui­te­ta con­ta que, ini­ci­al­men­te, es­te cô­mo­do era aper­ta­do e sem mui­ta ilu­mi­na­ção. Por is­so, ela de­ci­diu tro­car to­dos os re­ves­ti­men­tos pa­ra o off-whi­te e re­du­zir a ban­ca­da, op­tan­do por um mo­de­lo com a cu­ba de se­mi­en­cai­xe, que não re­quer tan­to es­pa­ço. “O tom neu­tro dos re­ves­ti­men­tos e do gra­ni­to são que­bra­dos pe­lo ro­xo das pas­ti­lhas e do ta­pe­te. A cor foi su­ge­ri­da pe­la cli­en­te”, ex­pli­ca Fer­nan­da.

Pro­je­to: Fer­nan­da Pi­tol Ar­qui­te­tu­ra, Rio de Ja­nei­ro – RJ

A sa­la de TV não pre­ci­sou di­vi­dir es­pa­ço com a de jan­tar, por­que a va­ran­da aco­mo­da a me­sa pa­ra re­fei­ções

A co­zi­nha, com re­ves­ti­men­to em quart­zo be­ge e pi­so tra­ver­ti­no, re­ce­beu al­guns de­ta­lhes em la­ran­ja, sain­do do tra­di­ci­o­nal e dei­xan­do o am­bi­en­te mais ale­gre

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.